Rio Casca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o rio afluente do Rio Doce, veja Rio Casca (Minas Gerais).
Município de Rio Casca
Igreja matriz, à noite.

Igreja matriz, à noite.
Bandeira de Rio Casca
Brasão de Rio Casca
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1 de junho de 1912 (104 anos)
Gentílico riocasquense
Prefeito(a) José Mario Russo Maroca (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Rio Casca
Localização de Rio Casca em Minas Gerais
Rio Casca está localizado em: Brasil
Rio Casca
Localização de Rio Casca no Brasil
20° 13' 33" S 42° 39' 03" O20° 13' 33" S 42° 39' 03" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008 [1]
Microrregião Ponte Nova IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes São Pedro dos Ferros, São José do Goiabal, Sem-Peixe, Urucânia, Piedade de Ponte Nova, Santa Cruz do Escalvado, Abre Campo, Santo Antônio do Grama e São Domingos do Prata.
Distância até a capital 192 km
Características geográficas
Área 384,174 km² [2]
População 14 198 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 36,96 hab./km²
Altitude 333,87 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,712 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 121 550,904 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 187,45 IBGE/2008[5]
Página oficial

Rio Casca é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1826, Francisco Ferreira Maciel Laia, aventureiro em busca de terras, embrenha-se pela densa mata as margens do rio Casca. Dessa maneira, apossou-se de enorme área, onde hoje se localiza a fazenda de Fidelidade. Em 1836, a fazenda foi vendida a Ângelo Vieira de Souza e, naquele mesmo ano, o povoado se iniciou em seus terrenos.

Em 1858, o arraial de Conceição do Casca foi elevado à freguesia com o nome de Nossa Senhora da Conceição da Casca. O município foi criado em 1911 e instalado um ano depois.

A vila foi fundada pelo furriel Angelo Vieira de Souza. O município foi criado em 30 de agosto de 1911, através da lei 556. Os pioneiros habitantes chegaram à região no princípio do século XIX. Banhada pelo rio Casca, que nasce na serra das Aranhas e forma várias cachoeiras em seu percurso, tinha suas terras cobertas de floresta, onde havia em quantidade árvores como o jacarandá, peroba, braúna, cedro e jequitibás centenários. A extração de madeira se constituiu, no princípio, a principal atividade econômica, o que durou até a sua extinção. Em 1929, a cidade tinha uma população de 3.000 pessoas, iluminada com luz elétrica, sendo a Estrada de Ferro Leopoldina seu único acesso aos grandes centros, até o aparecimento das rodovias por volta de meados 1950. Atualmente o município tem na indústria do leite sua principal atividade, suinocultura, produzindo também , feijão, milho e cana, além de avicultura e pequenas indústrias de transformação. Sua população é de 15.244 pessoas.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Rio Casca é caracterizado, geomorfologicamente, como mares de morros, sendo estes plano-ondulados. A vegetação é gramínea em sua área circunvizinha.

O clima é do tipo Cwa - clima mesotérmico com chuvas concentradas no verão e invernos secos. Sofre o efeito de continentalidade, conferindo-lhe temperaturas mais altas que a costa que sofre o efeito de maritimidade. Ocupação desordenada e inadequada das margens do rio que corta a cidade, permite extravasamento de seu leito natural gerando enchentes nos períodos chuvosos que se caracterizam por alta pluviosidade. O relevo acentuado permite concentração dos volumes de precipitação, resultando em aumento do volume das águas fluviais.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.