Rio voador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rios voadores)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde julho de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Ixocactus (D C) há 3 dias. (Recarregar)

A água que evapora do oceano cai em forma de chuva na Amazônia. Posteriormente, a floresta evapotranspira formando os rios voadores que são levados por massas de ar até chegar no sudeste e centro-oeste e cair em forma de chuva.

Rios voadores (aéreos ou flutuantes) são fluxos concentrados de vapores atmosféricos invisíveis em determinada região da Amazônia que sobrevoam em meio a copa das árvores. Eles não tem margens como os rios terrestres, porém realizam a mesma função de transportar umidade e vapor de água, advindos da evapotranspiração das árvores, para outras regiões do Brasil como sudeste e centro-oeste.

Como funciona[editar | editar código-fonte]

A floresta amazônica funciona como uma bomba d’água. Ela puxa para dentro do continente a umidade evaporada pelo oceano Atlântico e carregada pelos ventos alísios.[1]

Referências

  1. «Alísios». Wikipédia, a enciclopédia livre. 15 de março de 2017 

Esse vapor de água forma nuvens que, quando chegam sobre a mata, com influência do calor e já "carregadas", ficam mais pesadas que o ar e caem em forma de chuva. Pela ação da evapotranspiração da árvores sob o sol tropical, a floresta devolve a água da chuva para a atmosfera na forma de vapor de água. Dessa forma, o ar é sempre recarregado com mais umidade, e continua sendo transportado rumo a curvatura do Acre, uma vez que por causa da cordilheira dos andes não passa direto, precipitando parcialmente nas encostas leste da cadeia de montanhas, formando as cabeceiras dos rios amazônicos. Em seguida são carregados em direção ao sudeste e centro-oeste e caindo em forma de chuva.

Capacidade[editar | editar código-fonte]

  • A quantidade de vapor de água evaporada pelas árvores da floresta amazônica pode ter a vazão comparada ao rio Amazonas (200.000 m3/s);
  • Uma árvore com copa de 10 metros de diâmetro é capaz de bombear para a atmosfera mais de 300 litros de água, em forma de vapor, em um único dia;
  • Uma árvore maior, com copa de 20 metros de diâmetro, por exemplo, pode evapotranspirar bem mais de 1.000 litr os por dia;
  • Estima-se que haja 600 bilhões de árvores na Amazônia.

Referências