Rubiácea (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Rubiácea
Bandeira de Rubiácea
Brasão de Rubiácea
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1944 (74 anos)
Gentílico rubiacense
Prefeito(a) Lenira Novais (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Rubiácea
Localização de Rubiácea em São Paulo
Rubiácea está localizado em: Brasil
Rubiácea
Localização de Rubiácea no Brasil
21° 18' 03" S 50° 43' 37" O21° 18' 03" S 50° 43' 37" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008 [1]
Microrregião Araçatuba IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Guararapes, Salmourão, Lucélia, Bento de Abreu
Distância até a capital 490 km
Características geográficas
Área 236,907 km² [2]
População 2 729 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 11,52 hab./km²
Altitude 420 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,781 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 45 635,709 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 17 332,21 IBGE/2008[5]

Rubiácea é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A região onde hoje se encontra o município de Rubiácea está situada entre o rio Aguapeí e o rio Tietê, ao longo do qual a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil estendeu seus trilhos até Mato Grosso. A passagem desta linha férrea por este local constituiu um dos motivos da formação do primeiro povoamento.

Dois proprietários de terras disputaram o privilégio de ter uma parada de ferrovia: o Coronel Francisco Prudente Corrêa, da Fazenda Jandaia, e Afonso Junqueira Franco, que já havia desenvolvido em sua fazenda o povoado de Ouro Verde, desde 1927. Ao final dos estudos, os engenheiros responsáveis pela construção da ferrovia resolveram mudar o traçado a linha férrea, originalmente planejada para passar em Ouro Verde, e levaram os trilhos para as terras de Prudente Corrêa.

Em 21 de julho de 1930 foi inaugurada a estação nas terras da Fazenda Jandaia. Outro fator da expansão demográfica e econômica da região foi a cafeicultura, que por constituir grande riqueza acabou por dar o nome à cidade que se formou - Rubiácea.

Em 1944 já havia sido criado o Distrito de Paz, com terras desmembradas de Guararapes e, em 1948 ganhou a autonomia político-administrativa.

Em 30 de novembro de 1944, foi criado o distrito com a denominação de Rubiácea, por Decreto-lei Estadual nº 14334, no Município de Guararapes, sendo que esta estrutura vigorou até 1948.

Elevado à categoria de município com a denominação de Rubiácea, por Lei Estadual nº 233, de 24 de dezembro de 1948, foi finalmente desmembrado de Guararapes. O novo município foi estruturado como o conjunto de dois Distritos: Rubiácea e Caramuru. Sua instalação foi promulgada no dia 3 de abril de 1949.

A Lei Estadual no 5285, de 18 de fevereiro de 1959, e Acórdão do Superior Tribunal Federal, extinguiu o Distrito de Caramuru do Município de Rubiácea, este passando a ser um bairro do município sede, sendo que esta estrutura administrativa perdura até os dias atuais.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 21º18'02" sul e a uma longitude 50º43'36" oeste, estando a uma altitude de 420 metros. Possui clima tropical. Sua população estimada em 2004 era de 2.182 habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 2.337

  • Urbana: 1.268
  • Rural: 1.069
  • Homens: 1.192
  • Mulheres: 1.145

Densidade demográfica (hab./km²): 9,86

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 10,20

Expectativa de vida (anos): 74,58

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,22

Taxa de alfabetização: 85,65%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,781

  • IDH-M Renda: 0,689
  • IDH-M Longevidade: 0,826
  • IDH-M Educação: 0,829

(Fonte: IPEADATA)

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]