Rubiácea (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Rubiácea
Bandeira de Rubiácea
Brasão de Rubiácea
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1944 (73 anos)
Gentílico rubiacense
Prefeito(a) Lenira Novais (PSD)
(2017–2020)
Localização
Localização de Rubiácea
Localização de Rubiácea em São Paulo
Rubiácea está localizado em: Brasil
Rubiácea
Localização de Rubiácea no Brasil
21° 18' 03" S 50° 43' 37" O21° 18' 03" S 50° 43' 37" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008 [1]
Microrregião Araçatuba IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Guararapes, Salmourão, Lucélia, Bento de Abreu
Distância até a capital 490 km
Características geográficas
Área 236,907 km² [2]
População 2 729 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 11,52 hab./km²
Altitude 420 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,781 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 45 635,709 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 17 332,21 IBGE/2008[5]
Página oficial

Rubiácea é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A região onde hoje se encontra o município de Rubiácea está situada entre o rio Aguapeí e o rio Tietê, ao longo do qual a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil estendeu seus trilhos até Mato Grosso. A passagem desta linha férrea por este local constituiu um dos motivos da formação do primeiro povoamento.

Dois proprietários de terras disputaram o privilégio de ter uma parada de ferrovia: o Coronel Francisco Prudente Corrêa, da Fazenda Jandaia, e Afonso Junqueira Franco, que já havia desenvolvido em sua fazenda o povoado de Ouro Verde, desde 1927. Ao final dos estudos, os engenheiros responsáveis pela construção da ferrovia resolveram mudar o traçado a linha férrea, originalmente planejada para passar em Ouro Verde, e levaram os trilhos para as terras de Prudente Corrêa.

Em 21 de julho de 1930 foi inaugurada a estação nas terras da Fazenda Jandaia. Outro fator da expansão demográfica e econômica da região foi a cafeicultura, que por constituir grande riqueza acabou por dar o nome à cidade que se formou - Rubiácea.

Em 1944 já havia sido criado o Distrito de Paz, com terras desmembradas de Guararapes e, em 1948 ganhou a autonomia político-administrativa.

Em 30 de novembro de 1944, foi criado o distrito com a denominação de Rubiácea, por Decreto-lei Estadual nº 14334, no Município de Guararapes, sendo que esta estrutura vigorou até 1948.

Elevado à categoria de município com a denominação de Rubiácea, por Lei Estadual nº 233, de 24 de dezembro de 1948, foi finalmente desmembrado de Guararapes. O novo município foi estruturado como o conjunto de dois Distritos: Rubiácea e Caramuru. Sua instalação foi promulgada no dia 3 de abril de 1949.

A Lei Estadual no 5285, de 18 de fevereiro de 1959, e Acórdão do Superior Tribunal Federal, extinguiu o Distrito de Caramuru do Município de Rubiácea, este passando a ser um bairro do município sede, sendo que esta estrutura administrativa perdura até os dias atuais.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 21º18'02" sul e a uma longitude 50º43'36" oeste, estando a uma altitude de 420 metros. Possui clima tropical. Sua população estimada em 2004 era de 2.182 habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 2.337

  • Urbana: 1.268
  • Rural: 1.069
  • Homens: 1.192
  • Mulheres: 1.145

Densidade demográfica (hab./km²): 9,86

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 10,20

Expectativa de vida (anos): 74,58

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,22

Taxa de alfabetização: 85,65%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,781

  • IDH-M Renda: 0,689
  • IDH-M Longevidade: 0,826
  • IDH-M Educação: 0,829

(Fonte: IPEADATA)

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]