Saparmyrat Nyýazow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Saparmyrat Nyýazow
Monumento da Independência em Ashgabat com a estátua de Nyýazow ao centro.

Saparmurat Ataýewiç Nyýazow (também Saparmurat Atayevich Niyazov, AFI[θɑːpɑːrmuːrɑːt niːjɑːðɒv]; Gypjak, 19 de Fevereiro de 1940Aşgabat, 21 de Dezembro de 2006) foi o primeiro presidente do Turquemenistão (ou Turcomenistão). Tinha o título de Türkmenbaşı, "pai de todos os turcomanos".

Chefe de Estado desde 1991, eleito em 1992; em 1994, um referendo estendeu o mandato de Nyýazow até 2002; em 1999, o Khalk Maslakhaty (Conselho do Povo, órgão representativo supremo que reúne integrantes de todos os poderes) aprovou o mandato vitalício de Nyýazow, que foi, até à sua morte, presidente e primeiro-ministro.

Nyýazow veio de uma família de trabalhadores de Aşgabat. O seu pai morreu lutando na Segunda Guerra Mundial e os restantes membros de sua família morreram num sismo em 1948. Nyýazowfoi criado num orfanato e depois morou com parentes distantes. Graduou-se em Engenharia no Instituto Politécnico de Leninegrado em 1966.

Depois de sua formação começou a trabalhar na central elétrica de Bezmeinskaya perto de Aşgabat. Em 1962, Nyýazow tornou-se membro do Partido Comunista da União Soviética.

Em 1985 foi nomeado presidente do Conselho de Ministros do Turquemenistão e foi eleito primeiro-secretário do Comitê Central do Partido Comunista do Turquemenistão. Já em 1991, envolve-se no golpe de Agosto (que apenas durou três dias) contra o então líder da União Soviética, Mikhail Gorbatchov e assume o controlo da República Soviética do Turquemenistão.

Em 13 de janeiro de 1990, Nyýazow tornou-se presidente do Soviete Supremo.

Foi eleito como primeiro presidente da República Socialista Soviética Turquemena em 27 de outubro de 1990. Em 27 de outubro de 1991, sob sua liderança, o Turquemenistão proclamou a independência da União Soviética. Foi eleito Presidente da Republica do Turcomenistão em 21 de junho de 1991. Também foi Presidente do Gabinete dos Ministros e Presidente do Partido Democrático do Turquemenistão. Morreu a 21 de Dezembro de 2006 (aos 66 anos) de paragem cardíaca.

Excentricidades[editar | editar código-fonte]

Saparmurat Nyýazow era conhecido por ser excêntrico e autoritário. Desde a subida ao poder, gastou grande parte da fortuna nacional, que é obtida através da exportação de gás natural, em obras como um lago artificial no deserto de Kara Kum, numa grande floresta de ciprestes que teoricamente iria compensar o terrível clima desértico do país, num palácio de gelo e numa estância de esqui, além de ter ordenado a construção de uma pirâmide com cerca de 40 metros de altura. Mas talvez a maior de todas as excentricidades seja uma estátua em ouro, colocada numa praça da capital, Ashkabad. O monumento tem uma base rotativa que permite que esteja sempre virado para o Sol.

Seu rosto foi difundido por todo o país em fotografias, estátuas e documentos nacionais. Escreveu o livro Rukhnama ("O Livro da Alma"), uma coleção de pensamentos e valores do Turquemenistão e é de leitura obrigatória nas escolas, à semelhança do Livro Vermelho de Mao Tsé-Tung. Numa das mais emblemáticas e excêntricas medidas que reflectiam o seu culto da personalidade, Nyýazow alterou, em 2002, os nomes dos meses do ano e dos dias da semana, de origem russa e turca, alegando que os nomes correntes haviam sido uma imposição bolchevique ao país. Janeiro, por exemplo, foi nomeado Turkmenbashi (um título executivo, "Pai dos turcomenos"), o mês de abril foi rebatizado Gurbansoltan, em homenagem à mãe do presidente e setembro Rukhnama, em honra da sua obra. Em julho de 2008, a lei foi revogada.[1] [2]

Após uma complexa cirurgia cardíaca a que foi submetido em 1997, deixou de fumar e obrigou toda a sua equipa de governantes a imitá-lo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
primeiro no cargo
Presidentes do Turquemenistão
1991 - 2006
Sucedido por
Gurbanguly Berdimuhammedow