Servidor Apache

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Servidor HTTP Apache
Logótipo
Autor Rob McCool
Desenvolvedor Apache Software Foundation
Plataforma Multiplataforma
Modelo do desenvolvimento Software livre
Lançamento 1995 (26–27 anos)[1]
Versão estável 2.4.54 (8 de junho de 2022; há 5 meses[2])
Mercado-alvo Servidores
Escrito em C, XML, Forth[3]
Sistema operacional Tipo Unix, Windows
Gênero(s) Servidor Web
Licença Licença Apache
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho 9 MB (tarball do fonte)
Página oficial httpd.apache.org

O Servidor HTTP Apache (do inglês Apache HTTP Server) ou Servidor Apache ou HTTP Daemon Apache ou somente Apache, é o servidor web livre criado em 1995 por um grupo de desenvolvedores da NCSA (National Center for Supercomputing Applications), tendo como base o servidor web NCSA HTTPd criado por Rob McCool[4]. É a principal tecnologia da Apache Software Foundation, responsável por mais de uma dezena de projetos envolvendo tecnologias de transmissão via web, processamento de dados e execução de aplicativos distribuídos.

É um servidor do tipo HTTPD (do inglês: HTTPd stands for Hypertext Transfer Protocol daemon), compatível com o protocolo HTTP versão 1.1.[5] Suas funcionalidades são mantidas através de uma estrutura de módulos, permitindo inclusive que o usuário escreva seus próprios módulos utilizando a API do software.

É disponibilizado em versões para os sistemas operacionais Windows, Novell, OS/2 e outros do padrão POSIX IEEE 1003 (Unix, Linux, FreeBSD, etc.).

Em janeiro de 2021, a Netcraft estimou que o Apache servia 24,63% dos milhões de sites mais ocupados, enquanto o Nginx atendia 23,21% e a Microsoft estava em terceiro lugar com 6,85% (para algumas das outras estatísticas da Netcraft, o Nginx está à frente do Apache), enquanto de acordo com a W3Techs, o Apache está classificado em primeiro lugar com 35,0% e o Nginx em segundo com 33,0% e Cloudflare Server em terceiro com 17,3%.[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome dado pela Fundação Apache Software possui algumas origens:

  • em referência à nação Apache, tribo de nativos americanos que tinha, em combate, grande resistência e estratégias superiores. Uma alusão à resistência da comunidade do software livre aos ataques de interesses privados;
  • refere-se também à estabilidade do servidor Apache e a sua variedade de ferramentas capazes de lidar com qualquer tipo de solicitação na web;
  • aceita popularmente porém refutada pela Fundação, é que o nome viria da expressão "a patchy server", do inglês significa um servidor remendado, ou melhoria no software, dada a origem do programa, criado sobre o código do servidor da NCSA, no qual foram adicionados diversos patches.[7]
  • após o lançamento do servidor Tomcat, um sistema auxiliar ao Apache que cuida do processamento de aplicativos em Java. Onde "Tomcat" é o nome da aeronave estadunidense, F-14 Tomcat e, Apache é o nome do helicóptero de ataque, AH-64 Apache.[carece de fontes?]

Segurança[editar | editar código-fonte]

Para garantir segurança nas transações HTTP, o servidor dispõe de um módulo chamado mod_ssl, o qual adiciona a capacidade do servidor atender requisições utilizando o protocolo HTTPS. Este protocolo utiliza uma camada SSL para criptografar todos os dados transferidos entre o cliente e o servidor, provendo maior grau de segurança, confidencialidade e confiabilidade dos dados. A camada SSL é compatível com certificados X.509, que são os certificados digitais fornecidos e assinados por grandes entidades certificadoras no mundo.

Configuração[editar | editar código-fonte]

Os arquivos de configuração, por padrão, em ambientes Unix-like, residem no diretório /etc/apache. O servidor é configurado por um arquivo mestre nomeado httpd.conf[8] e opcionalmente pode haver configurações para cada diretório utilizando arquivos com o nome .htaccess, onde é possível utilizar autenticação de usuário pelo próprio protocolo HTTP utilizando uma combinação de arquivo .htaccess com um arquivo .htpasswd, que guardará os usuários e senhas (criptografadas)

Adoção[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2017, a adoção de Apache foi:

Brasil: 49,87% de todos os domínios.[9]

Portugal: 58,57% de todos os domínios.[10]

Mundial: 47.20% dos servidores ativos

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «About The Apache HTTP Server Project». Apache Software Foundation. Consultado em 14 de outubro de 2019 
  2. «Apache HTTP Server 2.4.54 Released». Apache Software Foundation. 8 de junho de 2022. Consultado em 17 de novembro de 2022 
  3. «Languages». Black Duck Open Hub. Consultado em 14 de outubro de 2019 
  4. Apache Software Foundation. «How Apache Came to Be». Apache HTTP Server Project (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2022 
  5. Fielding, R.; Gettys, J.; Mogul, J.; Frystyk, H.; Masinter, L.; Leach, P.; Berners-Lee, T. (junho de 1999). «Hypertext Transfer Protocol -- HTTP/1.1» (em inglês). ISSN 2070-1721. doi:10.17487/RFC2616. Consultado em 17 de novembro de 2022 
  6. «Usage Statistics and Market Share of Web Servers, January 2021». W3Techs (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2022 
  7. «A bit of history» (em inglês). Apache Software Foundation. Consultado em 17 de novembro de 2022 
  8. https://httpd.apache.org/docs/current/configuring.html
  9. «Estatísticas de internet brasileira brasdo.com». www.brasdo.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2017 
  10. «Estatísticas de internet portuguesa siteo.pt». www.siteo.pt. Consultado em 20 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 14 de fevereiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]