Soichiro Honda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético. (desde dezembro de 2017)
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Soichiro Honda
Nascimento 17 de novembro de 1906
Aldeia de Komyo Hamamatsu
Morte 5 de agosto de 1991 (84 anos)
Tóquio
Nacionalidade Japão Japonês
Ocupação Engenheiro
Prêmios Medalha Holley (1980), Medalha Internacional James Watt (1991)

Soichiro Honda (本田宗一郎, Honda Sōichirō; Hamamatsu, 17 de novembro de 1906Tóquio, 5 de agosto de 1991) foi um engenheiro, industrial e magnata japonês.

Aos 16 anos de idade iniciou sua trajetória profissional, como aprendiz em uma oficina em Tóquio, Japão, e poucos anos mais tarde retornou para sua cidade natal, Hamamatsu, abrindo sua própria oficina. Fundou a Honda Motor Co., Ltd., empresa fabricante de motocicletas. Sua atração por motores o levou às corridas automobilísticas em 1930.

Com 30 anos de idade decidiu fabricar peças, ao invés de consertá-las, e começou a fabricar anéis para pistões, que não atenderam aos padrões da Toyota Corporation, a quem pretentendia vender seu produto. Descobriu com o aconselhamento de um antigo professor que o que faltava na liga dos anéis era o silício.

Após dois anos a Toyota assinou com ele o contrato de fornecimento dos anéis. No final da década de 1930 a "Tokai Seiki Heavy Industries" começa a fabricar anéis de qualidade.

Surgiu então um novo problema. O governo japonês se preparava para a guerra, e negou a Honda o concreto de que precisava para construir sua fábrica. Ele desistiu? Focalizou a injustiça da situação? Achou que significava a morte do seu sonho? Absolutamente não. Mais uma vez Honda decidiu utilizar a experiência, e desenvolveu outra estratégia. Ele e sua equipe inventaram um processo para fabricarem o seu próprio concreto, e a fábrica foi construída. Durante a guerra, foi bombardeado duas vezes, ficando destruídas grande parte das instalações. A reação de Honda? Imediatamente convocou sua equipe, e recolheram os bujões de gasolina extra que os aviões americanos descartavam. Chamou-os de “presente do presidente Truman”, porque lhe proporcionaram a matéria prima de que precisava para o seu processo industrial – matéria prima que naquele tempo não era disponível no Japão. Ainda na época da Segunda Guerra Mundial, começou a produzir hélices para a Força Aérea Japonesa. Mas a região onde estava instalado sofreu muitos bombardeios, e em janeiro de 1945, um terremoto acaba de destruir ao que restara dos bombardeios e de sua fábrica. Com o futuro incerto, Honda vende sua fábrica para a Toyota, que era cliente de seus anéis.

A rendição do Japão se dava quando Honda lutava para reconstruir suas máquinas e instalações. Honda começou a trabalhar depois da Segunda Guerra Mundial, no final da década de 40, utilizando motores recondicionados do excedente do exército. Ao obter mais potência nas motos com uma aceleração maior do que pensava ser possível, ele partiu para a conquista do mercado mundial, vendendo máquinas elegantes para pessoas que antes as consideravam barulhentas.

Daí passou para os carros. Apesar de ser o presidente da Honda, Soichiro preferia trabalhar no instituto de pesquisa de sua própria companhia (criada em outubro de 1946, o Instituto de Pesquisas Técnicas Honda , no centro de Hammamatsu), nunca visitando a matriz em Tóquio, não comparecendo às reuniões da diretoria e deixando os assuntos gerenciais a um grupo de executivos jovens bem-preparados.

O Japão pós guerra estava caótico e um dos piores problemas era o transporte. Com o racionamento de combustível e trens lotados, Honda pensa pela primeira vez nas motocicletas. Comprou então um lote de motores usados para geradores e os adaptou em bicicletas, e logo estava vendendo os primeiros ciclomotores.

O primeiro lote de 500 motores arrematados foram vendidos rapidamente, e Honda começou a projetar seu próprio motor. Era um motor de 50cc com potência de 0,5 cavalo. O sucesso de vendas foi tanto que em setembro de 1948 era fundada a Honda Motor Company.

Mas Honda queria algo mais, e após vários protótipos, em 1949 nasce a primeira motocicleta Honda com 98cc e 3 cavalos. Ela seria chamada muito apropriadamente de "Dream" (sonho).

Soichiro parecia que nunca estava satisfeito, e sempre incentivou as pesquisas. Isto levou a Honda a participar de competições de motos e carros, invariavelmente com incrível sucesso.

Os primeiros automóveis Honda[editar | editar código-fonte]

Os primeiros automóveis produzidos pela Honda foram o esportivo S500 de 2 lugares e a camioneta T360, seguidos do evoluído coupé S600 e da carrinha L700 em 1965. Em 1967, o extraordinário e compacto motor do N360 de 4 tempos, dois cilindros e 354 cm³. Acelerava até às 8.500 rpm e desenvolvia 31cv! Destinado a compradores japoneses para substituição de motociclos, chegou mesmo a tempo do 'boom' dos minis dos anos 60.

Em 1970, a apresentação do Z360 arrefecido a ar formou a base para uma gama de veículos utilitários que, eventualmente, conduziu ao Civic em 1972, com um motor transversal de 1,2 litros.

Em 1971, começou a ser desenvolvido o motor CVCC (Combustão Controlada por Vortex Composto) de carga estratificada. O CVCC representa mais um marco importante na história da Honda; universalmente reconhecido como estando anos adiantado em relação aos à concorrência, que asseguravam que a iminente legislação norte americana Muski de 1975 sobre as emissões do escape era impossível de cumprir. O Civic CVCC estabeleceu a Honda nos Estados Unidos.

A indústria sofreu o seu primeiro abalo em 1973, durante a primeira crise mundial do petróleo, que trouxe a inflação e a recessão ao Japão. Enquanto os preços dos automóveis e dos motociclos aumentaram 15% para financiamento dos centros R&D dos fabricantes, a Honda aumentou a produção de automóveis para conter os seus preços. Significativamente, foi em 1973 que a empresa se lançou na expansão dos produtos de força, que incluiam geradores, moto-cultivadores, corta-relvas, motores fora de bordo e bombas de água.

Mais tarde, passou a exportar suas motos para a Europa e Estados Unidos, prosseguindo nos anos 1970 com os carros que se tornaram populares.

Em 1971 foi inaugurada a Honda Brasil, no bairro de Pompéia, cidade de São Paulo. Neste mesmo ano foram lançadas as motos CB500 Four.

Soichiro permaneceu na presidência da empresa até aposentar-se em 1973, e desde então foi um membro do Conselho de Administração da Honda.

Foi com motores Honda que Ayrton Senna conquistou o seu primeiro título na equipe Mclaren, em 1988.

Soichiro Honda está no Hall of Fame do setor automobilístico desde 1989 (Toyoda da Toyota entrou somente em 1994).

Em 2008 recebeu dois prêmios na pesquisa Top Of Mind Rural nas categorias Roçadeira e Motobomba.

Atualmente a Honda Corporation emprega mais de cem mil pessoas no Japão e Estados Unidos, sendo considerado um dos maiores impérios automobilísticos japoneses, ultrapassando todos os demais, exceto a Toyota, nos Estados Unidos. É composta de 507 empresas, 134 unidades de produção em 28 países e 31 unidades de pesquisas e desenvolvimento em 15 nações. Aproximadamente 178 mil colaboradores são responsáveis pela produção de motocicletas, automóveis e produtos de força. Em 2007 o grupo atendeu 23 milhões de clientes em todo o mundo.

Honda faleceu em 5 de agosto de 1991, aos 84 anos, de insuficiência hepática. Em 1999 foi eleito por jornalistas do mundo inteiro o "Motociclista do Século".

Soichiro Honda foi introduzido no Motorcycle Hall of Fame no ano de 2000.[1]

Referências

  1. Co-founder of Honda Motor Company, Motorcyclemuseum, consultado em 12 de setembro de 2014. 
Ícone de esboço Este artigo sobre engenheiro(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.