Surto de ébola na África Ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Surto de ébola na África Ocidental
2014 ebola virus epidemic in West Africa simplified.svg
Locais atingidos
Local Guiné, Libéria, Serra Leoa, Nigéria, Senegal, Mali, Estados Unidos e Espanha.
Doença Ébola
Tabela
País Casos Mortes Notas
Libéria 10 564 4 716 encerrada em 9 de maio de 2015[1]
Serra Leoa 12 492 3 904
Guiné 3 592 2 387
Nigéria 20 8 encerrada em 19 de outubro de 2014
Mali 8 6 encerrada em 18 de janeiro de 2015
 Estados Unidos 4 1 encerrada em 21 de dezembro de 2014[2]
 Reino Unido 1 0 encerrada em 10 de março de 2015
Senegal 1 0 encerrada em 17 de outubro de 2014
Flag of Spain.svg Espanha 1 0 encerrada em 2 de dezembro de 2014[3]
 Itália 1 0
Total 26 683 11 022

Um surto de ébola na África Ocidental foi uma epidemia que se iniciou em dezembro de 2013 na Guiné e se propagou em diversos países do oeste do continente africano, onde foram registradas as primeiras mortes por ebolavírus de forma epidêmica.[4] O surto teve início na Guiné, em dezembro de 2013, mas só foi detectado em março de 2014.[carece de fontes?] Desde sua detecção inicial, o vírus já se espalhou pela Libéria, Serra Leoa, Nigéria, Senegal e Estados Unidos. O presente surto é o mais grave já registrado, seja em número de casos, como em vítimas fatais.[5] A Organização Mundial de Saúde declarou o fim da epidemia em 14 de janeiro de 2016.[6].

Em 8 de agosto de 2014, a Organização Mundial de Saúde declarou a epidemia em estado de emergência internacional.[7] Essa designação só havia sido usada duas vezes antes, para a gripe Suína em 2009 e para o ressurgimento da Polio em 2014.[8] No dia 24 de agosto de 2014, um surto de Ebola não relatado a esse foi detectado na República Democrática do Congo, onde testes em duas vítimas de febre hemorrágica deram resultado positivo para a infecção.[9]

Até 10 de fevereiro de 2015, o ébola já infectou um total de 23.034 pacientes, resultando em 9.268 mortes.[10] A OMS afirma que o número de casos é provavelmente muito maior do que o oficialmente reportado. Isso se deve a resistência por parte da comunidade em informar sobre os casos e também a falta de pessoal e equipamento suficiente.[11]

Em 12 de dezembro de 2014, a epidemia de febre hemorrágica Ébola na África Ocidental já fez 6.583 mortos, num total de 18.188 casos identificados nos três países mais afectados.[12]

Diversas organizações, incluindo a Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEEAO), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) e a Comissão Europeia doaram fundos e mobilizaram pessoal para ajudar a combater o surto; entidades filantrópicas, incluindo os Médicos Sem Fronteiras, a Cruz Vermelha[13] e a Samaritan’s Purse também estão trabalhando na área.

Em 4 de janeiro de 2015 foram contabilizados 20 000 casos de infeção em oito países, dos quais 8 000 acabaram por ser mortais.[14] A Libéria, o foco inicial da epidemia, foi declarada uma zona livre de ebola em maio de 2015, depois de 42 dias sem o registro de qualquer caso de infecção.[15]

Desenvolvimento do surto[editar | editar código-fonte]

Total de casos (azul) e total de mortes (vermelho)
Caso novo por dia de cada mês (azul) e mortes (vermelho)

Pesquisadores acreditam que o primeiro caso em humanos deste surto foi uma criança de dois anos de idade que faleceu em 6 de dezembro de 2013 na vila de Meliandou, na Prefeitura de Guéckédou, Guiné. Sua mãe, sua irmã de dois anos e sua avó também desenvolveram sintomas da doença e também morreram. As pessoas infectadas por essas vítimas espalharam a doença para outras vilas.[16][17]

No dia 19 de Março de 2014 o ministro da saúde da Guiné informou sobre um surto de uma febre hemorrágica desconhecida, que havia infectado 35 pessoas e matado 23.[18] Em 25 de Março a Organização Mundial da Saúde relatou que tratava-se de um surto de ébola, com casos suspeitos também na Libéria e em Serra Leoa.[19] No fim de Maio o surto alcançou Conacri, Capital da Guiné.[20]

Na Libéria a doença foi reportada em Lofa e em Nimba no final de Março.[21] Os primeiros casos em Monróvia, capital da Libéria, foram registrados em meados de Junho.[22][23]

O surto se espalhou para Serra Leoa, onde proguediu rapidamente. Um estudo dos genomas dos vírus determinou que 12 moradores se infectaram com o vírus ao comparecer a um funeral na Guiné. Posteriormente, eles levaram a doença para casa.[24] . Em 17 de Julho o número total de casos no país já havia ultrapassado os da Libéria e GUiné, com 442 casos suspeitos ou comprovados.[25]

A primeira morte na Nigéria ocorreu no dia 25 de julho.[26] Um cidadão da Libéria, viajando doente, morreu em Lagos pouco depois da sua chegada.[27] Outros 20 casos, com 8 mortes, foram registrados na Nigéria até 22 de Setembro.[28]

Em 29 de Agosto, o ministro da Saúde de Senegal confirmou o primeiro caso no país. O paciente foi identificado como um cidadão da Guiné que viajou portando o vírus para Dakar.[29] O paciente se recuperou e em 22 de setembro, a OMS anunciou que todos os contatos haviam completado os 21 dias de observação, sem novos casos registrados. [30]

A doença teve seu primeiro caso fora do continente africano em 30 de setembro, quando um homem voltou da Libéria para os Estados Unidos, sendo o caso identificado em Dallas.[31] No mesmo dia, o presidente norte-americano Barack Obama discutiu com Tom Frieden, diretor do Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) um protocolo de isolamento em caso de epidemia no país.[32]

Pesquisas[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2014, foi anunciado que pela primeira vez cientistas conseguiram concluir o sequenciamento genético do vírus, na tentativa de melhorar e aprofundar o diagnóstico sobre a doença e para ajudar no desenvolvimento de vacinas e medicamentos, em resposta ao surto epidêmico na África. A equipe de pesquisadores, formada por cientistas da Universidade de Harvard, do Ministério da Saúde de Serra Leoa e do Instituto Broad, conseguiu realizar o sequenciamento completo de mais de 99 genomas que compõem o ebola. Os estudos foram feitos em cima de 78 amostras de sangue de pacientes infectados e foram identificadas mais de 300 mutações genéticas no vírus desde o surgimento da epidemia de 2014. A descoberta do sequenciamento genético também possibilitou aos pesquisadores teorizarem como o ebola chegou à África Ocidental, já que até então era um vírus localizado, desde sua descoberta em 1976, apenas na África Central e no Gabão. Ela teria ocorrido através da migração de animais infectados pelo continente e do contato de seres humanos com estes animais.[33][34]

Referências

  1. «How Liberia got to zero cases of Ebola». World Health Organization. 9 May 2015. Consultado em 10 de maio de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. «Ebola response roadmap - Situation report 24 December 2014». World Health organization. 26 December 2014. Consultado em 29 December 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  3. «Situation summary Data published on the 4th of December 2014». World Health organization. 5 December 2014. Consultado em 6 December 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  4. Roy-Macaulay, Clarence (31 de julho de 2014). «Ebola Crisis Triggers Health Emergency». Drug Discov. Dev. Highlands Ranch, Colorado, United States: Cahners Business Information. Associated Press. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  5. «Chronology of Ebola Hemorrhagic Fever Outbreaks». Centers for Disease Control and Prevention. 24 de junho de 2014. Consultado em 25 de junho de 2014 
  6. http://www.theguardian.com/world/2016/jan/13/ebola-epidemic-over-liberia-expects-all-clear-world-health-organisation
  7. «WHO: Ebola Outbreak Is a Public Health Emergency». ABC News. Consultado em 9 de agosto de 2014 
  8. «WHO says Ebola outbreak could strike 20,000 people». Reuters. 28 August 2014. Consultado em 28 de Augusto 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  9. «Presença do ebola é confirmada na República Democrática do Congo». G1. Consultado em 24 de agosto de 2014 
  10. Número de mortos por ebola sobe para 4.447, segundo dados da OMS
  11. «As Ebola outbreak grows, WHO notes case-count difficulties». University of Minnesota CIDRAP. Consultado em 21 de Setembro de 2014 
  12. «Ébola. Novo balanço da OMS regista 6583 mortos em 18188 casos» 
  13. Nossiter, Adam (28 July 2014). "Fear of Ebola Breeds a Terror of Physicians". The New York Times. Acessado em 29 de julho de 2014.
  14. «Ébola já causou a morte a mais de 6.900 pessoas, segundo OMS» 
  15. «Liberia declared Ebola-free, but outbreak continues over border». Reuters. 8 de maio de 2015 
  16. Baize, Sylvain; Pannetier, Delphine; Oestereich, Lisa; Rieger, Toni (16 April 2014). «Emergence of Zaire Ebola Virus Disease in Guinea — Preliminary Report». New England Journal of Medicine. doi:10.1056/NEJMoa1404505  Verifique data em: |data= (ajuda)
  17. Grady, Denise; Fink, Sheri (9 de agosto de 2014). «Tracing Ebola's Breakout to an African 2-Year-Old». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 14 de agosto 2014 
  18. «Mystery hemorrhagic fever kills 23 in Guinea». Reuters. 19 March 2014. Consultado em 9 August 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  19. name = Previous_Updates_2014_West_Africa_Outbreak>«Previous Updates: 2014 West Africa Outbreak». Centers for Disease Control and Prevention 
  20. «Previous Updates: 2014 West Africa Outbreak». Centers for Disease Control and Prevention 
  21. «2 of 5 Test Positive for Ebola in Liberia», Liberian Observer, 31 March 2014, consultado em 6 July 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  22. «Seven die in Monrovia Ebola outbreak». BBC News. 17 June 2014. Consultado em 28 July 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  23. «Ebola Haemorrhagic Fever, West Africa (Situation)». WHO. 16 April 2014. Consultado em 16 April 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  24. Science. 28 july 2014 http://www.sciencemag.org/content/345/6202/1369.abstract  Verifique data em: |data= (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  25. «Ebola virus disease, West Africa – update 18 July 2014». WHO: Outbreak news. 18 July 2014. Consultado em 27 July 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  26. «Ebola virus disease, West Africa – update 25 July 2014». WHO: Outbreak news. 25 July 2014. Consultado em 27 July 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  27. Wesee, Ben P. (4 August 2014). «I'm ok - Nigerian Ambassador Assures Public». The New Dawn, Monrovia. Consultado em 7 August 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  28. «Nigeria's Optimism Amid Ebola's Threat». 24 September 2014. Consultado em 25 September 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  29. «Ebola virus disease update Senegal 30 August 2014». World Health Organisation. Consultado em 17 September 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  30. «WHO: Ebola Response Roadmap Update, 22 September 2014» (PDF). WHO. 22 September 2014. Consultado em 22 September 2014  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  31. «EUA confirmam primeiro caso de ebola diagnosticado no país». G1. Consultado em 30 de Setembro de 2014 
  32. «Obama discute protocolo de isolamento após caso de ebola». G1. Consultado em 30 de Setembro de 2014 
  33. «Cientistas concluem o sequenciamento genético do ebola». O Globo. 28 de agosto de 2014. Consultado em 28 de agosto de 2014 
  34. Vogel, Gretchen (28 de agosto de 2014). «Genomes reveal start of Ebola outbreak». Science Magazine. Consultado em 28 de agosto de 2014