Teatro Gayarre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Teatro Gayarre
Fachada do Teatro Gayarre
Tipo Teatro
Arquiteto Javier Yárnoz
Início da construção 1931
Inauguração 3 de maio de 1932 (87 anos)
Restauro década de 2000
Proprietário atual Fundação Municipal Teatro Gayarre, Ayuntamiento de Pamplona
Website www.teatrogayarre.com
Geografia
País Flag of Spain.svg Espanha
Comunidade autónoma Navarra
Cidade Pamplona
Bairro Segundo Ensanche
Coordenadas 42° 48' 57" N 1° 38' 30" O
Vista integral da fachada

O Teatro Gayarre é um edifício de Pamplona, capital da Comunidade Foral de Navarra, Espanha, construído em 1932 e situado na Avenida Carlos III, no bairro do Segundo Ensanche.

A origem do teatro remonta a 1839, quando foi edificado o Teatro Principal na Praça da Constituição (atualmente Praça do Castelo). O Teatro Principal fechava o lado sul daquela praça, juntamente com o Palácio da Deputação (atual Palácio de Navarra). Ambos os edifícios foram construídos nos terrenos do antigo convento das Carmelitas Descalças que tinha sido desamortizado pouco antes. O projeto do antigo teatro foi da autoria de Pedro Manuel Ugartemendía, embora a fachada fosse de José de Nagusia, que também dirigiu a obra. O Teatro Principal substituiu o antigo Patio y Casa de Comedias, situado na rua do mesmo nome desde 1608.

O nome do teatro foi mudado em 1903 para o atual em honra do tenor Julián Gayarre, natural da localidade vizinha de Roncal. O teatro foi demolido em 1931, quando se abriu a Praça do Castelo em direção a sul, criando a Avenida Carlos III, conservando-se apenas a fachada, a qual foi transladada para a nova localização. Parte do interesse arquitetónico foi perdido com a mudança, nomeadamente com o desaprecimento do frontão clássico. O novo edifício é da autoria de Javier Yárnoz, que ganhou o concurso lançado pelo Ayuntamiento de Pamplona (administração do município) em 1929. Foi inaugurado em 3 de maio de 1932.

O teatro é propriedade do município. Entre 1931 e 1942 a exploração esteve a cargo da empresa que o construiu, a Erroz y San Martín. Depois disso a gestão ficou a cargo da Sociedad Anónima Inmobiliaria de Espectáculos (SAIDE). Em 1953, ante a necessidade de reformas urgentes, essa sociedade acedeu em suportar os gastos das obras e foi assinado outro contrato de exploração que deveria ter terminado em 3 de maio de 2003. No entanto, o governo municipal decidiu terminar o contrato cinco anos antes, passando a gestão para a Fundação Municipal Teatro Gayarre. Desde então que foram efetuadas obras importantes de acondicionamento.

A Fundação Municipal Teatro Gayarre é presidida pela alcaidesa de Pamplona e cinco vogais, atuando um deles como vice-presidente, um por cada grupo político eleito para o ayuntamiento.

Fontes[editar | editar código-fonte]