Timbiriche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Timbiriche
Timbiriche3.jpg
Apresentação ao vivo da banda na Festa Telcel em 2007
Informação geral
Origem Cidade do México
País  México
Gênero(s) Pop Latino
Pop-Rock
Teen-Pop
Período em atividade 1982 - 1994
1998 - 1999
2007 - 2008
Gravadora(s) Discos y Cintas Melody (1982-1993), Fonovisa (1998-1999), EMI Televisa (2007- )
Integrantes Alix Bauer (1982-1988)* **
Benny Ibarra (1982-1985)* **
Diego Schoening (1982-1994)* **
Mariana Garza (1982-1987) * **
Paulina Rubio (1982-1991)*
Sasha Sokol (1982-1986)* **
Erik Rubín (1983-1991)* **
Eduardo Capetillo (1985-1989)
Thalía (1986-1989)
Edith Márquez (1987-1991)
Bibi Gaytán (1989-1991)
Claudio Bermudez (1989-1991)
Patty Tanus (1989-1990)
Silvia Campos (1990-1994)
Tannya Velasco (1991-1994)
Kennya Hijuelos (1991-1992)
Alexa Lozano (1991-1993)
Lorena Shelley (1991-1994)
Daniel Gaytan (1991-1994)
Jean Duverger (1992-1994)

(*) Participaram do primeiro reencontro
(**) Participam do atual reencontro

Página oficial Site Oficial

Timbiriche foi um grupo musical de pop mexicano conhecido inicialmente como La Banda Timbiriche, que surgiu como um grupo infantil. Timbiriche começou em 1982 e se desintegrou en 1994. Em 1999, os sete integrantes originais decidem se reencontrar com seu público para fazer uma série de shows e lançar um CD duplo ou vivo que incluiu três novas músicas e seus grandes éxitos. Lançou cantores como Thalía, Paulina Rubio, Edith Márquez e Eduardo Capetillo.

História[editar | editar código-fonte]

O Timbiriche iniciou sua carreira em 1982, sob a produção de Luis de Llano Macedo, como um concorrente ao grupo infantil espanhol Parchís.[1] Os seis integrantes originais: Alix Bauer, Benny Ibarra, Diego Schoening, Mariana Garza, Paulina Rubio y Sasha Sokol[2] faziam parte da Escuela de capacitación de Televisa.[1] O grupo foi apadrinhado pelo cantor espanhol Miguel Bosé e lançou seu primeiro disco, Timbiriche, no mesmo ano.[3] Em 1983, lançam seu segundo LP La Banda Timbiriche e posteriormente La Banda Timbiriche en Concierto.[2]

Em 1984, Erik Rubín se une ao grupo e logo, lançam um novo disco: Disco Ruido.[2] Nesse ano, os sete integrantes protagonizam a peça de teatro "Vaselina", e como consequência lançam o disco Vaselina con Timbiriche.[2] Na obra teatral também participaram Eduardo Capetillo, Thalia e Edith Marquez; na época eles nem imaginavam que mais tarde fariam parte da banda.[2]

1985 a 1989: A era de ouro do grupo[editar | editar código-fonte]

Em 1985, lançam o disco Timbiriche Rock Show, em qual a banda se afasta do repertório voltado para o público infantil.[4] É o último disco com a formação original, uma vez que dois integrantes deixam o grupo, a saber: Benny, ainda em 1985, e mudou-se para os Estados Unidos para continuar os estudos e Sasha, em 1986, para começar a sua carreira como solista, no lugar deles, entram Eduardo Capetillo e Thalia Sodi.[5]

Em 1987, acontecem as maiores mudanças, nesse ano, com o disco Timbiriche VII que a banda se consolida como grupo juvenil. O disco chegou a vender um milhão de cópias, sendo um dos mais vendidos da história do México.[6] A partir deste disco cada integrante passou a ter uma música solo, e dessa forma conseguiram expressar suas individualidades. Entre os sucessos, destacam-se: "Si No Es Ahora",[7] "Con Todos Menos Conmigo",[8] "Mirame (Cuestión de Tiempo)",[9] e "Besos de Ceniza".[10]

No mesmo ano, Thalia protagoniza sua primeira novela, Quinceañera, o que a tornou extremamente popular.[11] A música, trilha da novela e que levava o mesmo nome, fez sucesso no México atingindo a posição de #2 na parada de sucessos Notitas Musicales.[12] Nessa época, manchetes de revistas e jornais comentavam que a relação que havia entre Thalía e Paulina Rubio era conflituosa, e a imprensa especulava sobre uma possível rivalidade entre as duas, mesmo após a saída do grupo.[11]

No final de 1987, Mariana sai do grupo para ser atriz de televisão e é substituída por Edith Márquez.[1] Em 1988, a banda lança o disco duplo Timbiriche VIII y IX, que traz os sucessos: "Tu y Yo Somos Uno Mismo",[13] "Amame Hasta con Los Dientes",[14] "Acelerar",[15] "No Sé Si Es Amor"[16] e "Me Estoy Volviendo Loca".[17] No início de 1989, o grupo passa por uma outra mudança de formação, dessa vez com a saída de Alix, que decide deixar o grupo para preparar sua carreira como solista e em seu lugar entra Bibi Gaytán.[18] Em 1990 saem mais dois integrantes, Thalía e Eduardo para seguirem carreira solo,[11] sendo substituídos por Claudio Bermúdez e Patty Tanus, que alguns meses depois foi substituída por Silvia Campos.[19] Com a nova formação, a banda lança em 1990 o disco Timbiriche X.[19]

Anos 90: fim do grupo[editar | editar código-fonte]

O primeiro disco da década de 1990 é o Timbiriche X, que traz os sucessos "Me Pongo Mal", "Princesa Tibetana", "Como Te Diré" e "Sacudate", e explora gêneros musicais inéditos no repertório do grupo, tais como: dance music, house e ritmos tropicais. O álbum conseguiu vender mais de 250 mil cópias no México e recebeu um disco de platina.[20] Nos anos 90, a banda teve outra surpresa com a curta estadia de Patty Tanús, que gravou o disco X, mas foi dispensada do grupo logo após o lançamento dele.[1] Foi nessa época que Timbiriche sofreu o maior desfalque de sua história: cinco dos sete integrantes saíram para seguirem carreira solo, foram Paulina, Erik, Edith, Bibi e Cláudio.[1]

Em 1991, o grupo passou a ser constituído por: Tanya Velasco, Kenya Hijuelos que alguns meses depois foi substituída por Jean Duverger, Alexa Lozano, Lorena Shelley e Daniel Gaytán (irmão de Bibi), o disco Timbiriche 11 ganha um disco de ouro no México.[21] O último disco lançado foi Timbiriche XII mas, apesar de conseguir um disco de ouro,[22] o grupo perdeu seu encanto e acabou em 1994.[1]

Os Reencontros[editar | editar código-fonte]

Em 1998, sem Erik Rubín, os integrantes originais de Timbiriche se reencontram no festival Acapulco 98.[23] Por causa da boa repercussão desse encontro é lançado o dico Timbiriche Sinfónico com sucessos da banda gravadas com uma orquestra, além disso uma turnê percorre todo o México e algumas partes da América Latina.[23] Seis dos sete membros originais (Paulina não participou) voltam a se reunir em 2007 para festejar o 25º aniversario da banda (30 de Abril de 2007), o grupo faz shows e lança CDs ao vivo com performances da turnê.[24]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Certificações Vendas
1982 Timbiriche[25]
1982 La Banda Timbiriche[25]
1983 En concierto
1983 Disco Ruido[25]
1984 Timbiriche Vaselina[25]
1985 Timbiriche Rock Show
1987 Timbiriche VII
1988 Timbiriche VIII y IX
1990 Timbiriche X
1992 Timbiriche 11
1993 Timbiriche XII

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Certificações
1999 Timbiriche: El Concierto
2007 Somos... Timbiriche 25
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2008 Vivo en Vivo Timbiriche 25
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2017 Timbiriche: Juntos
  • México: AMPROFON: Platina + Ouro[30]

EPs[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
1984 Que No Acabe Navidad[31]
1986 Quinceañera[32]
1990 Morir para Vivir[33]
1994 Me Pongo Mal (Remixes)[34]
1994 Que viva México Mejor[35]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Certificações
1984 Los 15 Éxitos de Timbiriche[25]
1985 Timbiriche: 20 Exitos[25]
1988 Timbiriche: Lo Mejor[25]
1989 Los Clásicos de Timbiriche[25]
1998 Timbiriche Clásico: Simphonic[25]
2007 Su Historia[25]
2007 25 Años[25]
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2007 Timbiriche 25
  • México: AMPROFON: Platina + Ouro[30]
2008 Todo el reencuentro[25]
2008 La más completa colección[25]
2009 La Historia: Audio y video de colección[25]
2011 20 Super Temas: La historia de los éxitos[25]
2017 Timbiriche 35[25]

Álbuns de vídeo[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum Certificações
1998 La Trayectoria[36]
2004 Timbiriche Trayectoria Vol. I
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2004 Timbiriche Trayectoria Vol. II
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2004 Flans y Timbiriche: Legado Musical
2004 El Concierto
  • México: AMPROFON: Ouro[30]
2008 La Misma Piedra[37]

Músicas Regravadas no Brasil[editar | editar código-fonte]

Vários grupos brasileiros fizeram versões em português de músicas do Timbiriche, entre eles, a Turma do Balão Mágico, Grupo Dominó e o Grupo Polegar que regravou oito músicas do Timbiriche.[38]

Ano Artista Título Título Original Refs.
1984 Turma do Balão Mágico "Amigos Do Peito" "Somos Amigos" [38]
1988 Dominó "Com Todos Menos Comigo" "Con Todos Menos Conmigo" [38]
1988 A Nova Turma do Balão Mágico "Nossa História" "Si No Es Ahora (Será Mañana)" [38]
1989 Polegar "Ando Falando Sozinho" "Tu Y Yo Somos Uno Mismo" [38]
1989 Polegar "Dá Para Mim" "Amame Hasta Con Los Dientes" [38]
1989 Polegar "Sou Como Sou" "Soy Como Soy" [38]
1990 Polegar "Ela Não Liga" "Soy Un Desastre" [38]
1990 Polegar "Estou Ficando Louco" "Me Estoy Volviendo Loca" [38]
1990 Polegar "Fogo do Amor" "Corro, Vuelo, Me Acelero" [38]
1991 Polegar "Qualquer Hora" "Si No Es Ahora(Será Mañana)" [38]
1991 Polegar "Prisioneiro" "Princesa Tibetana" [38]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f «Timbiriche - Biografia, historia y legado musical». www.buenamusica.com. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  2. a b c d e «Grupo Timbiriche». El Siglo de Torreón (em espanhol). 19 de junho de 1988. Consultado em 30 de setembro de 2020 
  3. «Miguel Bosé, padrino infaltable de Timbiriche». El Informador (em espanhol). 8 de julho de 2017. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2018 
  4. a b «"Timbiriche" entra a la adolescencia». El Siglo de Torreón (em Spanish). 5 de novembro de 1987. Consultado em 30 de setembro de 2020 
  5. «La Historia de Timbiriche (part 1)». El Siglo de Torreón (em Spanish). 24 de maio de 1988. Consultado em 27 de maio de 2017. Cópia arquivada em 27 de maio de 2017 
  6. González, Carlos Ignacio (15 de maio de 1988), «Timbiriche», Editorial Televisa, ERES 
  7. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em Spanish). 1 de janeiro de 1988. Consultado em 20 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2020 
  8. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em Spanish). 15 de setembro de 1987. Consultado em 20 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2021 
  9. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em Spanish). 15 de maio de 1987. Consultado em 20 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2021 
  10. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em Spanish). 1 de julho de 1987. Consultado em 20 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2021 
  11. a b c Andrade, Nelson Theodoro (1999). «Biografia não autorizada». Escala (em Portuguese). Brazil. p. 22 
  12. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em Spanish). 1 de maio de 1988. Consultado em 20 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2021 
  13. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em espanhol). 15 de julho de 1988. p. 23. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  14. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em espanhol). 1 de agosto de 1988. p. 31. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  15. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em espanhol). 1 de janeiro de 1989. p. 31. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  16. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em espanhol). 1 de setembro de 1988. p. 31. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  17. «Los discos más populares». Notitas Musicales (em espanhol). 15 de abril de 1989. p. 32. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  18. «Grupo Timbiriche...». El Siglo del Torréon (em espanhol). 20 de junho de 1988. p. 54. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  19. a b «Timbiriche impulsó las carreras como solistas de Thalía, Paulina Rubio y otros». El Telégrafo (em espanhol). 18 de março de 2013. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2021 
  20. a b c «Timbiriche», Notitas Musicales, 15 de julho de 1990, arquivado do original em 1 de outubro de 2020 
  21. a b «Timbiriche vuelve a lacarga!». El Siglo de Torreón (em espanhol). 27 de junho de 1992. Consultado em 23 de maio de 2017. Arquivado do original em 23 de maio de 2017 
  22. a b «"Timbiriche" presenta su nuevo espectáculo». El Siglo de Torreón (em espanhol). 20 de agosto de 1993. Consultado em 23 de maio de 2017. Arquivado do original em 23 de maio de 2017 
  23. a b Segura, Eduardo Gutiérrez. «Timbiriche está en pláticas para una bioserie y su gira del adiós». Revista Quién. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 5 de março de 2021 
  24. «El adiós de Timbiriche». Revista Quién. Consultado em 8 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 4 de maio de 2015 
  25. a b c d e f g h i j k l m n o p «Timbiriche Albums and Discography». AllMusic. Consultado em 8 de outubro de 2021 
  26. «Estrellas del Momento: Timbiriche», Notitas Musicales: 20–22, 15 de março de 1983 
  27. González, Carlos Ignacio (15 de maio de 1988), «Timbiriche», Revista ERES 
  28. «El juvenil grupo Timbiriche obtiene disco de platino por ventas de discos.». El Siglo de Torreón (em espanhol). 27 de março de 1989. Consultado em 23 de maio de 2017. Arquivado do original em 23 de maio de 2017 
  29. «Timbiriche VIII y IX». Especiales Canal 5 (em espanhol). 25 de dezembro de 1988. Televisa. Canal 5. Él álbum doble lleva vendido más de un millón de copias, algo realmente inusitado en la industria discográfica mexicana. 
  30. a b c d e f g h i «Certificaciones Amprofon − Timbiriche». Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 18 de outubro de 2021 
  31. (1984) Créditos do álbum Que No Acabe Navidad por Timbiriche [LP]. México: Melody (SS/6032).
  32. (1986) Créditos do álbum Quinceañera por Timbiriche [LP]. México: Melody (SU-073).
  33. (1990) Créditos do álbum Morir para Vivir por Timbiriche [LP]. México: Melody (MEP/1007).
  34. (1994) Créditos do álbum Me Pongo Mal (Remixes) por Timbiriche [CD]. México: Melody (PE/4700).
  35. (1994) Créditos do álbum Que viva México Mejor por Timbiriche [K7]. México: Melody (KPE/ 5285).
  36. (1998) Créditos do álbum La Trayectoria por Timbiriche [VHS]. México: Melody (T-1201).
  37. (2008) Créditos do álbum La Misma Piedra por Timbiriche [DVD]. México: Alphaville Cinema (7503012870126).
  38. a b c d e f g h i j k l Mossmann, Matheus (10 de março de 2019). «Conheça a banda de Thalia que criou hits do Balão Mágico e Polegar». Terra Networks. Consultado em 7 de abril de 2020. Cópia arquivada em 20 de maio de 2020