Totó (Oz)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Wonderful Wizard of Oz, 013.png

Totó é nome do cãozinho de estimação da menina Dorothy, na obra do escritor norte-americano L. Frank Baum, que acompanha a garota em sua primeira aventura na Terra de Oz.

O personagem[editar | editar código-fonte]

The Wonderful Wizard of Oz, 007.png

Totó é companheiro inseparável de Dorothy na fazenda do Kansas em que a garota mora. Ele e a menina são levados por um tornado, junto com a própria casa.

Deixados sobre uma malvada bruxa, que morre atingida pela casa, libertando um estranho povo de homenzinhos (os Quadlings), não ocorre com Totó o que nas obras futuras de Baum se passa com outros bichos: eles tornam-se falantes.

Permanecendo mudo durante toda a obra, o cãozinho segue sempre ao lado da sua dona e seus novos amigos: o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão Covarde, na busca de um jeito para voltar para casa.

Procuram o Mágico de Oz a fim de que este possa solucionar o problema mas, quando estão prestes a embarcar num balão feito pelo Mágico, Totó escapa, correndo atrás de um gato, fazendo com que a volta para casa seja adiada.

No segundo livro da série, ele e Dorothy não aparecem e, no terceiro, Ozma of Oz, Dorothy é acompanhada por Billina, uma galinha falante. Mas a garota continua preocupada com seu pequeno amigo canino, tanto que já no final da obra, antes de voltar para casa, observa a fazenda, procurando-o, através de um quadro mágico.

No cinema[editar | editar código-fonte]

Totó foi "interpretado" por um cãozinho da raça Cairn Terrier, chamado Terri, no filme The Wizard of Oz.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Terry já era um "veterano" no ramo cinematográfico quando fez O Mágico de Oz em 1939. Era conhecido como "rouba cenas" e no começo de sua carreira era tímido demais, foi aí que contrataram um adestrador chamado Carl Spitz.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Uma de suas melhores atuações foi como o carismático Rainbow, no suspense Fúria(1936),depois de O Mágico de Oz, Terry passou de um cão rural a alta sociedade em The Women e trabalhou também em outro suspense de nome Calling Philo Vance, ambos de 1940. Foi rebatizado definitivamente como Totó, depois do filme. Continuou a trabalhar como Totó até o ano de 1942, quando se "aposentou". Em inúmeras vezes atuou ao lado de ex-colegas de O Mágico de Oz, em especial o próprio mago (Frank Morgan) em 1942 no filme Boêmios Errantes, como Paelito. Em 1944, na fazenda de Carl Spitz em San Francisco Valley, Totó morreu.