Tronco linguístico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tronco linguístico é um conjunto de famílias linguísticas. A origem comum das famílias que integram o mesmo tronco é, no entanto, muito remota (às vezes situada há milhares de anos) e, por essa razão, as semelhanças entre línguas de um mesmo tronco (o lituano e o português, por exemplo) podem ser muito sutis.

Já as línguas de uma mesma família (o português e o italiano, por exemplo) apresentam maior similitude, pois as separações ocorreram há menos tempo. O tronco Indo-Europeu, por exemplo, reúne, entre outras, a maior parte das línguas faladas na Europa, pertencentes às famílias Itálica, Germânica, Eslava, Báltica, Céltica.

Já as línguas indígenas no Brasil, por exemplo, dividem-se em dois grandes troncos linguísticos - Macro-Tupi e Macro-Jê - mas há ainda 19 famílias linguísticas que não apresentam semelhanças suficientes para serem agrupadas em troncos, e existem também famílias linguísticas de apenas uma língua, às vezes denominadas "línguas isoladas", que não apresentam semelhanças com nenhuma outra língua conhecida. [1]. [2]

Referências

  1. D'ANGELIS, W. R. A língua kaingang. Acesso em 10 de março de 2013.
  2. Instituto Socioambiental. Troncos e famílias

Ver também[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.