Tupuxuara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTupuxuara
Ocorrência: Cretáceo Inferior
Tupux longDB2.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Ordem: Pterosauria
Superfamília: Azhdarchoidea
Género: Tupuxuara
Espécie-tipo
Tupuxuara longicristatus
Witton, 2009
Outras espécies
  • Tupuxuara leonardii

Kellner & Campos, 1994

  • Tupuxuara deliradamus

Witton, 2009

O Tupuxuara é um gênero de pterossauro que sobrevoava a região brasileira de Santana do Cariri, no sul do Ceará, há mais de 100 milhões de anos. Sua espécie-tipo é o Tupuxuara longicristatus. Outras espécies deste pterossauro foram encontrada no Brasil.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Tamanho do T. leonardii

O gênero foi batizado e descrito por Alexander Kellner e Diógenes de Almeida Campos em 1988, com espécie tipo Tupuxuara longicristatus. O nome genérico se refere a um espírito familiar da mitologia dos índios Tupi. O nome específico significa "crista longa" em latim.[1]

Em 1994, uma segunda espécie foi nomeada por Kellner: Tupuxuara leonardii. O nome específico homenageia Giuseppe Leonardi.[2]

Em 2009, outra espécie, batizada de Tupuxuara deliradamus foi encontrada por Mark Witton.[3]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Tupuxuara faz parte do grupo Azhdarchoidea. Kellner atribuiu-o aos Tapejaridae dentro de Azhdarchoidea. De acordo com algumas análises, no entanto, Tupuxuara está mais próximo dos Azhdarchidae (o grupo que inclui a forma gigante texana Quetzalcoatlus) do que de Tapejara e seus parentes.[1]

O cladograma abaixo segue a análise de 2011 de Felipe Pinheiro e colegas.[4]

Azhdarchoidea

Azhdarchidae


Tapejaridae
Thalassodrominae

Thalassodromeus sethi




Tupuxuara deliradamus



Tupuxuara leonardii





Chaoyangopterinae

Jidapterus edentus



Shenzhoupterus chaoyangensis



Chaoyangopterus zhangi



Tapejarinae


Sinopterus jii



Sinopterus dongi






Huaxiapterus benxiensis



Huaxiapterus corollatus





Tapejara wellnhoferi




Tupandactylus navigans



Tupandactylus imperator









Abaixo está um cladograma que mostra a colocação filogenética de Tupuxuara dentro da Neoazhdarchia de Andres e Myers (2013).[5]

Concepção artística dos pterossauros T. leonardii (esquerda) e T. longicristatus (direita)
 Neoazhdarchia 

 Thalassodrominae 

Thalassodromeus sethi




Tupuxuara leonardii



Tupuxuara longicristatus




 Dsungaripteridae 


Domeykodactylus ceciliae



Dsungaripterus weii





Noripterus complicidens



Noripterus parvus






 Chaoyangopteridae 

Eoazhdarcho liaoxiensis




Shenzhoupterus chaoyangensis




Chaoyangopterus zhangi



Jidapterus edentus







Radiodactylus langstoni


 Azhdarchidae 

Azhdarcho lancicollis




TMM 42489




Zhejiangopterus linhaiensis




Arambourgiania philadelphiae



Quetzalcoatlus northropi



Quetzalcoatlus sp.









Paleobiologia[editar | editar código-fonte]

Já foi sugerido que Tupuxuara comia peixes na costa da América do Sul, enquanto algumas hipóteses divergentes incluem a possibilidade de que fosse frugívoro. No entanto, com base em suas afinidades com outros membros do mesmo clado, era provavelmente um onívoro ou carnívoro terrestre. O Thalassodromeus intimamente relacionado era especializado em presas maiores, enquanto as duas espécies de Tupuxuara careciam de tais especializações.[6]

Comparações entre os anéis esclerais de Tupuxuara e pássaros e répteis modernos sugerem que seria um animal de hábitos diurnos.[7]

Referências

  1. a b Kellner, A.W.A., and Campos, D.A. (1988). "Sobre um novo pterossauro com crista sagital da Bacia do Araripe, Cretaceo Inferior do Nordeste do Brasil. (Pterosauria, Tupuxuara, Cretaceo, Brasil)." Anais da Academia Brasileira de Ciências, 60: 459–469.
  2. Kellner, A. W. A.; Campos, D. A. (1994). «A new species of Tupuxuara (Pterosauria, Tapejaridae) from the Early Cretaceous of Brazil». An. Acad. Bras. Ciênc. (em inglês). 66: 467–473 
  3. «Britânico acha nova espécie de réptil voador nordestino». Folha 
  4. Pinheiro, Felipe L.; Fortier, Daniel C.; Schultz, Cesar L.; De Andrade, José Artur F.G.; Bantim, Renan A.M. (Setembro de 2011). «New Information on the Pterosaur, with Comments on the Relationships of Tapejaridae». Acta Palaeontologica Polonica (em inglês). 56 (3): 567–580. doi:10.4202/app.2010.0057 
  5. Andres, B.; Myers, T. S. (2013). «Lone Star Pterosaurs». Earth and Environmental Science Transactions of the Royal Society of Edinburgh (em inglês). 103 (3–4): 383–398. doi:10.1017/S1755691013000303 
  6. Witton, Mark P. Pterosaurs: Natural History, Evolution, Anatomy. ISBN 9780691150611.
  7. Schmitz, L.; Motani, R. (2011). «Nocturnality in Dinosaurs Inferred from Scleral Ring and Orbit Morphology». Science (em inglês). 332 (6030): 705–8. Bibcode:2011Sci...332..705S. PMID 21493820. doi:10.1126/science.1200043 
Ícone de esboço Este artigo sobre pterossauro é um esboço relacionado ao Projeto Dinossauros e Animais Pré-Históricos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.