Valêncio Xavier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Valêncio Xavier
Nome completo Valêncio Xavier Niculitcheff
Nascimento 21 de março de 1933
São Paulo
Morte 5 de dezembro de 2008 (75 anos)
Curitiba
Residência Bairro Ahú, Curitiba
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Cônjuge Luci
Ocupação Escritor, cineasta, roteirista e diretor de televisão
Prémios Prêmio Jabuti de Literatura (1999)
Movimento literário Literatura experimental
Magnum opus O mez da grippe (1981)

Valêncio Xavier Niculitcheff (São Paulo, 21 de março de 1933Curitiba, 5 de dezembro de 2008) foi um escritor, cineasta, roteirista e diretor de TV brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Paulistano de nascimento, Valêncio mudou-se para a cidade de Curitiba aos 21 anos de idade. Na capital paranaense trabalhou na TV Paranaense (atual RPC TV) e na afiliada da Rede Tupi, a TV Paraná (atual CNT). Neste meio, escreveu dramas e chegou a dirigir episódios do Globo Repórter.

Atrás das câmaras, agora voltado ao cinema, atuou como diretor, assistente de direção, montador, roteirista e consultor. Dirigiu vídeos como: "O Pão Negro - Um Episódio da Colônia Cecília" de 1993 e "Os 11 de Curitiba, Todos Nós", entre outros. Recebeu o prêmio de "Melhor Filme de Ficção" na IX Jornada Brasileira de Curta-metragem, por "Caro Signore Feline" de 1980.

Junto com Francisco Alves dos Santos, criou, em 1975, a Cinemateca de Curitiba, ligada à Fundação Cultural. Também exerceu a função de diretor em museus e espaços culturais da capital.

Nas letras, Valêncio Xavier escreveu narrativas em jornais e revistas, como: Nicolau, Revista USP e o caderno Mais! da Folha de S. Paulo. Foi colunista do jornal Gazeta do Povo de 1995 a 2003.

Como um dos representantes do movimento de literatura experimental, ganhou boas críticas na imprensa nacional ao escrever livros como:

  • 7 de Amor e Violência (antologia com outros autores) – 1964;
  • Desembrulhando as Balas Zequinha1973;
  • Curitiba, de Nós (em parceria com Poty Lazzarotto) – 1975;
  • O Mez da Grippe1981;
  • Maciste no Inferno1983;
  • O Minotauro1985;
  • O Mistério da Prostituta Japonesa & Mimi-Nashi-Oichi1986;
  • A Propósito de Figurinhas (em parceria com Poty Lazzarotto) – 1986;
  • Poty, Trilhas e Traços (uma biografia de Poty Lazzarotto) – 1994;
  • Meu 7º dia1998;
  • Minha Mãe Morrendo e o Menino Mentido (uma espécie de autobiografia literária) – 2001;
  • Crimes à Moda Antiga2004, entre outros.

Xavier traduziu "Conversa na Sicília" em 2002, de Elio Vittorini, com Maria Helena Arrigucci. Foi o ganhador do Prêmio Jabuti de melhor produção editorial em 1999.

Algumas de suas obras inspiraram peças de teatros e o livro "O Mez da Grippe" virou filme, dirigido por Beto Carminati.

Na manhã da sexta-feira, dia 5 de dezembro de 2008 morreu, devido a complicações de uma pneumonia, Valêncio Xavier Niculitcheff, aos 75 anos e 8 meses.

Referências[editar | editar código-fonte]