Verdadeira Igreja de Jesus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Maio de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Verdadeira Igreja de Jesus é uma igreja independente do Cristianismo Pentecostal, estabelecida em Pequim, China em 1917. O atual presidente eleito da assembleia internacional da Verdadeira Igreja de Jesus é o pregador Yung-Ji Lin. Há aproximadamente 1 milhão e meio de seguidores nos cinco continentes. A igreja também acredita nas teologias dos Pentecostais do Nome de Jesus e do unicismo.

Os Adventistas do Sétimo Dia apoiam enfaticamente a separação Igreja-Estado. A Igreja possui o Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa que incentiva, onde for possível, a necessidade de um Estado laico. os Adventistas também acreditam que a liberdade religiosa é um direito humano básico. Por isso, a igreja tem sido ativa por mais de 100 anos em defender a liberdade de religião das pessoas independente de sua fé. Em 1893 os líderes adventistas fundaram a International Religious Liberty Association (Associação Internacional da Liberdade Religiosa)[50] , que é universal e não sectária. O Seventh-day Adventist Church State Council (Conselho de Estado da IASD) serve para proteger os grupos religiosos da legislação que possam afetar suas práticas religiosas. Os Adventistas promovem em todo o mundo simpósios nesse assunto. Nos Estados Unidos publicam uma revista especializada em liberdade religiosa, chamada Liberty.

Situação de não-combatentes Por definição, os adventistas rejeitam o porte de armas e atividades onde tenham que portar armas. No entanto, aceitam e se voluntariam para atividades assistenciais em caso de guerra e de saúde. Durante a segunda guerra mundial, vários adventistas alemães foram executados[51] em campos de concentração ou mandados para manicômios por se recusarem a portar armas e trabalharem para o regime nazista de Adolf Hitler.

Papel da mulher na organização eclesiástica A Ordenação de mulheres para o Ministério é ativamente debatida dentro da Igreja Adventista. O papel especial de Ellen G. White dentro da denominação mostra a importância e contribuição das mulheres para o desenvolvimento da igreja, segundo visão geral. No entanto, embora Ellen White tenha tido um papel ativo dentro do Adventismo, existe uma forte resistência na liderança da denominação a fim de ordenar mulheres para serem pastoras. Durante as Assembleias da Associação Geral de 1990 e 1995, os Adventistas debateram a ordenação das mulheres. Em ambas ocasiões, a igreja decidiu não ordená-la.

Na 59.ª conferência geral realizada em Atlanta em julho de 2010, não foi levado em ata o debate em relação ao ordenamento de mulheres no serviço eclesiástico. No entanto um grupo de ativista formado por 3 mulheres colocaram uma faixa durante oito minutos na arena principal onde ocorria a reunião em protesto. A faixa continha citações de Ellen White contra a não aceitação por parte da Associação Mundial de ordenar mulheres ao cargo de pastoras a nível mundial uma vez que é aceito tal ato na China. Depois de alguns líderes pacificamente pedir a retirada da faixa,o grupo abandonou a arena.

Somente na China, onde a ordenação é uma função tanto da autoridade adventista regional quanto do Movimento Patriótico das Três Auto-Suficiências, pastoras adventistas são oficialmente ordenadas[carece de fontes].

O presidente da União Central Africana da IASD, Allah-Ridy Kone, apelou a "unidade na Igreja" e alegou não haver base bíblica para a ordenação de mulheres. O arquivista da igreja, Bert Haloviak, argumentou que Ellen G. White interpretou Isaías 61:6 -- "Mas vós sereis chamados sacerdotes do Senhor, e vos chamarão ministros de nosso Deus" -- como aplicando-se igualmente a mulheres e homens.

Localmente a participação da mulher na IASD é intensa em vários segmentos e aprovada pela Associação Geral. Um dos vice-presidentes escolhidos na última Conferência Geral (2005) é uma mulher[carece de fontes]. No entanto, o cargo de presidente da Associação Geral é exclusivo a um pastor ordenado, o que, no momento exclui as mulheres adventistas da possibilidade deste cargo.

Tensões Teológicas

Colégio Adventista de Petrópolis, situado na rodovia BR-040, cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil. Como acontece com qualquer movimento religioso, as tensões teológicas existentes dentro do adventismo é comparável, por exemplo, as tensões entre o fundamentalismo-conservador e o liberalismo-moderado. Uma variedade de grupos, movimentos ou subculturas dentro da igreja apresentam pontos de vista diferentes sobre as crenças e o estilo de vida adventista.

O lado conservador da teologia adventista é representado pelos Adventistas Históricos. Eles são caracterizados pela sua oposição às tendências teológicas dentro da denominação que se iniciaram na década de 1950. Eles tendem a ver a teologia adventista moderna como tendo compromisso com os evangelicalistas. Por isso, procuram defender os ensinamentos mais antigos, como por exemplo a expiação completa na cruz mas não definida até o fim do juízo investigativo e a perfeição de caráter que todo indivíduo pode alcançar, assim como Cristo alcançou somente pela comunhão com ele. Os adventistas históricos são representados, principalmente, por Adventistas que buscam as raízes teológicas da denominação e a posição desses membros é promovida através de ministérios independentes[carece de fontes].

Os mais "liberais" da igreja são geralmente conhecidos como Adventistas Progressistas. Eles tendem a manter uma perspectiva moderna sobre questões controversas como a inspiração de Ellen White, a doutrina da "Igreja Remanescente " e o juízo investigativo. O movimento progressista parece ser o mais forte entre os estudiosos da denominação, onde encontra a sua posição em organismos como a Association of Adventist Forums e em revistas como a Spectrum e a Adventist Today.

Organizações teológicas O Biblical Research Institute é o centro de investigação teológico oficial da igreja. A igreja possui duas organizações profissionais para os teólogos adventistas que estejam associados à denominação. A Adventist Society for Religious Studies foi formada para promover uma comunidade entre os teólogos adventistas que frequentam o Society of Biblical Literature e os estudiosos da religião que frequentam a American Academy of Religion. Em 2006, a instituição foi votada para continuar suas reuniões em conjunto com a o Society of Biblical Literature. Durante os anos 1980, a Adventist Theological Society foi criada a fim de proporcionar um fórum para atender os teólogos mais conservadores. Ela é realizada em conjunto com a Evangelical Theological Society.

O fundo histórico e origens[editar | editar código-fonte]

  • Houve algumas tentativas bem-sucedidas de evangelizar a China, por cristãos nestorianos da Pérsia (635-845), e pelos Católicos. Católicos e Jesuítas (1265, 1601-1724) estiveram em evidência por pouco tempo - caíram em desfavor com o Imperador chinês e a serra dispersou somente esforços subterrâneos. Os primeiros missionários protestantes começaram a trabalhar em solo chinês em 1807, com a chegada de Robert Morrison.
  • Depois da Guerra do Ópio, começaram a chegar missionários de todas as partes do mundo para a China. Hudson Taylor fundou a Missão do Interior da China em 1865. O século XIX testemunhou um grande aumento no número de cristãos. Em 1900 havia quase 113.000 cristãos protestantes, contando-se com os 1.600 trabalhadores cristãos chineses e os 2.000 missionários.

O movimento Pentecostal na China e as origens de VIJ (Verdadeira Igreja de Jesus)[editar | editar código-fonte]

  • Igrejas pentecostais foram estabelecidos em Shanghai e muitos cristãos chineses receberam subseqüentemente o Espírito Santo. Não por muito tempo depois que os ataques e os perseguições da Levante dos boxers
  • Em 1900, muitos cristãos chineses advogaram um Movimento das Três Autonomias, que promovesse a estratégia de auto-governo, auto-suporte, e auto-propagação a fim de reduzir influências ou interferências estrangeira nas igrejas chinesas. Diversas igrejas foram então aí estabelecidas.
  • Os fundadores da denominação, acreditando ter inspiração e as revelações do Espírito Santo decidiram se afastar de suas igrejas pentecostais, liderados por Ling-Sheng Zhang, Paul Wei, acreditando que havia erros nas igrejas.
  • Missionários foram enviados e boletins de notícias do evangelho foram publicados e distribuídos às várias províncias da China. Ocorriam várias manifestações pentecostais, com curas milagrosas das doenças durante os estágios adiantados do desenvolvimento da igreja. O evangelho foi pregado em Formosa em março de 1926.

Embora a maioria dos membros residissem na China, o contato com vários deles foi perdido logo após a tomada de 1949 pelos comunistas e perseguições dos cristãos durante toda a China.

Em 1958, a Verdadeira Igreja de Jesus e todas igrejas cristãs restantes (excepto a Igreja Patriótica das Três Autonomias) sofreram das proibições impostas pelo governo junto com outras denominações.