Viradouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Viradouro (desambiguação).
Município de Viradouro
"Princesinha do Rio Pardo"
Bandeira de Viradouro
Brasão de Viradouro
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 23 de março
Fundação 23 de março de 1918 (98 anos)
Gentílico viradourense
Lema "Viradouro Seguindo em Frente!"
Prefeito(a) Antonio Carlos Ribeiro de Souza (PTB)
Localização
Localização de Viradouro
Localização de Viradouro em São Paulo
Viradouro está localizado em: Brasil
Viradouro
Localização de Viradouro no Brasil
20° 52' 22" S 48° 17' 49" O20° 52' 22" S 48° 17' 49" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Jaboticabal IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Pitangueiras, Bebedouro, Terra Roxa e Morro Agudo
Distância até a capital 416 km
Características geográficas
Área 219,044 km² [2]
População 18 191 hab. (SP: 262º) –  Censo IBGE/2013[3]
Densidade 83,05 hab./km²
Altitude 528 m
Clima 28ºC Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,739 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 135 292,395 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 548,11 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura Website oficial

Viradouro é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 20º52'23" sul e a uma longitude 48º17'49" oeste, estando a uma altitude de 528 metros. Sua população estimada em 2015 era de 18.428 habitantes. Possui uma área de 217,726 km².

História[editar | editar código-fonte]

A FUNDAÇÃO

Os fazendeiros da margem esquerda do Rio Pardo, já agora em número  de quatorze idealistas, João da Macena Machado, Francisco Machado de Oliveira, Cap. Antônio Machado da Silveira, Major Gabriel Custódio da Silveira, Antônio Sanches Diniz Junqueira, Cap. Vicente Marçal de Lima, Major Manoel Joaquim de Souza Junior, Manoel Machado (conhecido por Neca Machado), José Custódio Braga, Eduardo Custódio da Silveira, Pedro Custódio da Silveira, Cel. José Walter da Silva Porto, José Eduardo  da Silveira e o Cap. Jeronymo Custódio da Silveira, vinham amadurecendo a idéia de transformar o Arraial de Viradouro em Distrito de Paz. Para isto era preciso um território delimitado.

Ao mesmo tempo em que o projeto era desenvolvido iam sendo construídas as primeiras casas no arraial.

Em 1899, foi construída a segunda casa de tijolos, por Vicente Marçal de Lima. Esta foi, também, a primeira casa comercial.

Um ano depois, em 1900, era construída no arraial a primeira capela, já que a quase totalidade dos moradores era católica.

Alguns moradores reuniram-se e formaram uma comissão para angariar fundos para a construção da capela, que foi entregue aos empreiteiros Carlos Tocalino e seu filho, Luiz Carlos Tocalino. Um dos maiores colaboradores, responsável pela obra e pelo fornecimento dos materiais foi  João da Macena Machado.

Em 1902, foi construído o primeiro cemitério, em terreno doado pelo Cel. Fancisco Antônio Diniz  Junqueira, com madeira doada por Francisco Antônio Geraldo, cujo rachamento foi pago por  Vicente Marçal de Lima.

Em 1905, a comissão organizada inicialmente em 1898, depois de haver angariado o numerário suficiente para a aquisição dos 30 alqueires de terra, adquiriu as  terras de Jerônymo Custódio da Silveira para o arraial.

Ao passar a escritura constatou-se que os impostos excediam o previsto, mesmo que fosse feita em forma de doação das terras. Feito o cálculo  do imposto  de doação e do valor das terras, concluiu-se que o dinheiro angariado não seria suficiente. Só  daria para comprar 25 alqueires e assim, no dia 6 de março de 1905, na residência do Cap. Jerônymo Custódio da Silveira foi lavrada escritura de doação, que faziam Jerônymo Custódio da Silveira e sua mulher Izabel Theodora da Silveira à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do arraial de Viradouro, então representada pelo Major Gabriel Custódio da Silveira. As terras haviam sido adquiridas de Mizael Alves de Limapor.

Com esta doação, o Arraial de Viradouro passou a possuir a principal condição para se tornar Distrito de Paz, ter um território delimitado.

Estava oficializada a Fundação.

HISTÓRIA POLÍTICA

No início de 1906, foi terminado o serviço  de demarcação dos quarteirões e execução do mapa do  patrimônio, elaborado pelo engenheiro João Maestrela, de Bebedouro, em 1909.

Logo em seguida foi determinada a criação da Fábrica da Igreja, sendo primeiro fabriqueiro o  Cel. Gabriel Custódio da Silveira.

Em 21 de março de 1906, era publicado o  Decreto que criava o  Distrito Policial de Viradouro e o primeiro posto policial; e em 3 de dezembro do mesmo ano, através da Lei n. 1004, o Arraial do Viradouro foi elevado à categoria de Distrito de Paz de Pitangueiras, que então  pertencia à Comarca de Bebedouro. A instalação do  Distrito deu-se em 31 de janeiro de 1907.

Em 26 de dezembro de 1916, pela Lei n. 1.522, a localidade foi elevada a município, vindo a ser instalado em 23 de março de 1918.

Em 28 de fevereiro de 1964, pela Lei n. 8.029,  Viradouro foi elevado a Comarca, instalada em 4 de abril de 1965.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Pardo
  • Córrego Viradouro - corta os bairros "Nova Viradouro" e o "Jardim Imperial"
  • Córrego Sucuri-(limpo) abastece a cidade

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 11 de junho de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]