Willy Wonka and the Chocolate Factory

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Willy Wonka and the Chocolate Factory
Willy Wonka e a Fábrica de Chocolate (PRT)
A Fantástica Fábrica de Chocolate (BRA)
 Estados Unidos
1971 •  cor •  100 min 
Direção Mel Stuart
Produção Stan Margulies
David L. Wolper
Roteiro Roald Dahl
David Seltzer
Baseado em Charlie and the Chocolate Factory
de Roald Dahl
Elenco Gene Wilder
Jack Albertson
Peter Ostrum
Roy Kinnear
Denise Nickerson
Leonard Stone
Julie Dawn Cole
Paris Themmen
Nora Denney
Género fantasia
comédia dramática
Música Leslie Bricusse
Anthony Newley
Walter Scharf
Cinematografia Arthur Ibbetson
Edição David Saxon
Companhia(s) produtora(s) Wolper Pictures, Ltd.
The Quaker Oats Company
Distribuição Paramount Pictures
Warner Bros. Pictures
Lançamento Estados Unidos 30 de Junho de 1971
Idioma inglês
Cronologia
Charlie and the Chocolate Factory
Página no IMDb (em inglês)

Willy Wonka and the Chocolate Factory (no Brasil: A Fantástica Fábrica de Chocolate / em Portugal: Willy Wonka e a Fábrica de Chocolate) é um filme musical dirigido por Mel Stuart e lançado em 1971, dos genêros Fantasia e Comédia dramática, estrelando Gene Wilder no papel de Willy Wonka. A história é baseada no livro infantil Charlie and the Chocolate Factory de Roald Dahl, publicado em 1964, contando a história de como Charlie Bucket encontra um "Bilhete Dourado" e visita a Fábrica de Chocolates Wonka com outras quatro crianças.

As filmagens ocorreram em Munique em 1970[1][2] e o filme foi lançado pela Paramount Pictures em 30 de junho de 1971.[3] Com orçamento de apenas 3 milhões de dólares, a produção recebeu análises positivas,[4] porém não alcançou o sucesso comercial esperado; somando em torno de 4 milhões de dólares até sua saída de exibição.[3]

Décadas após o lançamento original, o filme tornou-se um clássico cult devido principalmente às suas repetidas exibições em redes de televisão. Em 1972, o filme foi indicado ao Óscar de Melhor Trilha Sonora Original e Wilder foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Ator em Comédia ou Musical. Em 2014, o título foi selecionado para preservação no Registro Nacional de Filmes da Biblioteca do Congresso por ser "culturalmente, historicamente e esteticamente significante".[5]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Em uma pequena cidade, em 1970, Charlie Bucket (Peter Ostrum), um menino pobre entregador de jornais, assiste um grupo de crianças visitar uma loja de doces. Caminhando para casa, ele passa em frente a fábrica de chocolate de Willy Wonka. Um funileiro misterioso recita a primeira linha do poema "The Fairies" de William Allingham e diz a Charlie: "Ninguém nunca entra e ninguém nunca sai". Charlie corre para casa para encontrar sua mãe viúva e seus avós acamados. Depois de contar à Grandpa Joe (Jack Albertson), o que o funileiro havia lhe dito, Joe revela que Wonka trancou toda a fábrica porque outros fabricantes de doces, incluindo seu rival Arthur Slugworth, mandavam espiões para roubar as receitas de seus doces. Wonka desapareceu, mas depois de três anos voltou a vender doces. A origem dos trabalhadores que fabricam os doces para Wonka é desconhecida.

No dia seguinte, Wonka anuncia que escondeu cinco "Tickets Dourados" em barras de chocolate Wonka. Aqueles que encontrarem os tickets ganharam um tour pela fábrica e um fornecimento gratuito de chocolate pelo resto de suas vidas. Os primeiros quatro Tickets são encontrados pelo glutão Augustus Gloop (Michael Bollner), a mimada Veruca Salt (Julie Dawn Cole), a mascadora de chicletes Violet Beauregarde (Denise Nickerson) e o fanático por televisão Mike Teevee (Paris Themmen). Charlie, com muito sacrifício, consegue comprar duas barras de chocolate, mas não encontra o Ticket em nenhuma delas. Os jornais anunciam que o quinto Ticket foi encontrado por um bilionário no Paraguai, fazendo com que Charlie se entristeça e perca as esperanças. No dia seguinte, Charlie encontra algum dinheiro em um bueiro e usa para comprar uma barra de Scrumdiddlyumptious. Com o troco, ele compra uma barra de chocolate Wonka para seu avô. Voltando para casa, Charlie escuta as pessoas comentando as notícias dos jornais, que dizem que o Ticket do milionário paraguaio é falso e que um dos Tickets Dourados ainda está em alguma lugar. Ele resolve então abrir a barra de chocolate e encontra o quinto e último Ticket Dourado. Enquanto corre para casa, ele encontra um homem que diz ser o Sr. Slugworth e lhe oferece uma recompensa por uma amostra da última criação de Wonka, o Everlasting Gobstopper.

Já em casa e com o Ticket Dourado, Charlie escolhe Grandpa Joe para ser seu acompanhante até a fábrica. No dia seguinte, Wonka cumprimenta os vencedores e guia-os até dentro da fábrica onde eles são obrigados a assinar um contrato antes de se iniciar o tour. Na fábrica, os visitantes encontram um mundo todo feito de doces e chocolates. Trabalhando na fábrica, estão os Oompa-Loompas, pequenos homenzinhos de uma terra distante. O glutão Augustus cai em um rio de chocolate e é sugado por um cano. Na Sala de Invenções, todos recebem um Everlasting Gobstopper. Depois de, e apesar dos avisos de Wonka, mascar um chiclete experimental contendo uma refeição completa, Violet se transforma em uma amora gigante. O grupo alcança a Sala de Bebidas Efervecentes, onde Charlie e Grandpa Joe ignoram os avisos de Wonka e bebem uma amostra de uma das bebidas. Eles flutuam e tem um encontro quase fatal com um ventilador de exaustão, antes de conseguirem voltar ao chão. Na Sala de Ovos Dourados, Veruca ordena que lhe dêem um ganso dourado antes de cair em uma calha de lixo que leva a um incinerador. O grupo testa a Wonka's Wonkavision usando-a para teleportar barras de chocolate, mas Mike resolve teleportar a si mesmo sendo reduzido a uma pessoa de poucos centímetros de altura.

Com apenas Charlie e Grandpa Joe sobrando, eles assumem que ganharam o suprimento eterno de chocolate. No entanto, Wonka revela que eles não ganharam nada porque violaram o contrato quando roubaram uma bebiba na Sala de Bebidas Efervecentes. Enfurecido, Grandpa Joe sugere que, como forma de vingança, Charlie deveria dar a amostra do Gobstopper para o Sr. Slugworth. Contudo, Charlie decide não fazê-lo e devolve o Gobstopper para Wonka. Com o ato de desprendimento, Wonka declara que Charlie é o vencedor. Ele revela também que "Slugworth" é, na verdade, um empregado do próprio Wonka, contratado para testar a moralidade dos candidatos e ao devolver a amostra de Gobstopper, Charlie se tornou a única criança a passar no teste. Os três entram no "Wonkavator", um elevador de vidro multi-direcional que voa para fora da fábrica. Enquando voam sobre a cidade, Wonka revela que o prêmio real é a fábrica inteira. Wonka criou a competição para encontrar algum "herdeiro" que merecesse continuar seu legado. Wonka revela ainda que Charlie e sua família podem se mudar imediatamente para a fábrica. Wonka, então, pede a Charlie que não se esqueça do homem que de repente ganhou tudo que sempre quis. Charlie pergunta, "E o que aconteceu?" e Wonka responde, "Ele viveu feliz para sempre".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Gene Wilder Willy Wonka
Jack Albertson Vovô Joe
Peter Ostrum Charlie Bucket
Roy Kinnear Sr. Salt
Julie Dawn Cole Veruca Salt
Leonard Stone Sr. Beauregarde
Denise Nickerson Violet Beauregarde
Dodo Denney Sr. Teevee
Paris Themmen Mike Teavee
Ursula Reit Sr. Gloop
Michael Bollner Augustus Gloop
Diana Sowle Sr. Bucket
Aubrey Woods Bill
David Battley Sr. Turkentine
Gunter Meisner Sr. Slugworth
Peter Cappell Tinker
Werner Heyking Sr. Jopeck
Peter Stuart Winkelmann

Produção[editar | editar código-fonte]

A ideia de adaptar o livro ao filme surgiu quando a filha do diretor Mel Stuart leu o livro e pediu a seu pai que realizasse um filme, com a produção de "Tio Dave" (o produtor David L. Wolper). Stuart mostrou o livro a Wolper, que entrou em negociações com a Oats Company a respeito de uma forma de introduzir sua nova barra de chocolate da fábrica em Chicago (renomeada para Willy Wonka Candy Company e vendida para a Nestlé). Wolper convenceu a empresa, que não tinha experiência anterior na indústria cinematográfica, a comprar os direitos do livro e patrocinar sua nova barra de chocolate sob o nome "Oats Wonka Bar".[6] Foi acordado que o filme seria um musical infantil e que o próprio Dahl escreveria o roteiro. Contudo, o título foi modificado para Willy Wonka and the Chocolate Factory para promover a empresa patrocinadora. O roteirista David Seltzer concebeu jargões exclusivos para a produção que teve Willy Wonka citando comicamente várias fontes literárias, como The Importance of Being Earnest (de Oscar Wilde), The Rime of the Ancient Mariner (de Samuel Taylor Coleridge) e The Merchant of Venice (de William Shakespeare).

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Todos os membros do Monty Python: Graham Chapman, John Cleese, Eric Idle, Terry Gilliam, Terry Jones e Michael Palin expressaram desejo de interpretar o personagem principal, Willy Wonka. Porém, não foram considerados nomes suficientemente populares para o público internacional à época.[2] Anos depois, três dos membros do grupo (Cleese, Idle e Palin) foram considerados para o papel pelo diretor Tim Burton em seu remake de 2006.[7]

Antes da confirmação de Wilder para o papel principal, Fred Astaire, Joel Grey, Ron Moody e Jon Pertwee também foram considerados. A escolha de Roald Dahl, o autor do livro, para o papel era Spike Milligan.[8] Peter Sellers também pediu o papel a Dahl.[9]

Ao ser convocado para o papel, Wilder aceitou-o com uma condição:

O cantor Sammy Davis, Jr. quis interpretar Bill, o vendedor de doces, mas Stuart não aceitou a ideia por achar que a presença de uma estrela nas cenas iniciais quebraria o senso de realidade da obra.[11] Anthony Newley também quis o papel de Bill, mas Stuart também rejeitou a ideia.[12]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

Nördlingen, o local das cenas finais do filme.

As filmagens tiveram início em 30 de abril e foram finalizadas em 19 de novembro de 1970. A primeira locação foi em Munique, Baviera, então Alemanha Ocidental, porque era mais barato do que filmar nos Estados Unidos e o cenário parecia conducente à Fábrica Wonka; Stuart também gostou da ambiguidade e infamiliaridade do local. As imagens externas da fábrica foram feitas na fábrica de gás Stadtwerke München, de Munique. A casa de Charlie Bucket foi o único set construído para o filme. A cena de encerramento, que mostra a visão a partir do "Wonkavador" é da cidade de Nördlingen, também na Baviera.[1][2][13]

O designer Harper Goff colocou o centro da fábrica como a grandiosa "Sala do Chocolate". De acordo com Paris Themmen, que interpretou Mike Teevee, o rio de chocolate "era feito de água" colorida artificialmente.[14] Ao ser entrevistado para a edição especial do 30º Aniversário, Gene Wilder afirmou que gostou de trabalhar com a maioria dos atores mirins, mas admitiu que o elenco teve alguns problemas com Paris Themmen, alegando que ele era um "mão cheia".[15]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Quando lançado nos cinemas, a responsabilidade de distribuir o filme foi originalmente da Paramount Pictures, porém como a Paramount Pictures decidiu não renovar os direitos de distribuição, os direitos foram transferidos para a Warner Bros. Pictures em 1977, quando a Wolper Pictures, Ltd. foi comprada pela empresa e a Quaker Oats vendeu sua participação no filme.[16]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora foi composta por Leslie Bricusse e Anthony Newley e a direção musical ficou a cargo de Walter Scharf. A trilha foi lançada originalmente pela Paramount Records em 1971. Em 8 de outubro de 1996, a Hip-O Records (em conjunto com a MCA Records, que era a então detentora do catálogo da Paramount), lançou as músicas como um CD intitulado "25th Anniversary Edition".

  1. "Main Title ("Golden Ticket/Pure Imagination")
  2. "The Candy Man Can" – Aubrey Woods
  3. "Cheer Up, Charlie" – Diana Lee
  4. "(I've Got A) Golden Ticket" – Jack Albertson e Peter Ostrum
  5. "Pure Imagination" – Gene Wilder
  6. "Oompa Loompa (Augustus)" – Oompa Loompas
  7. "The Wondrous Boat Ride/The Rowing Song" – Gene Wilder
  8. "Oompa Loompa (Violet)" – Oompa Loompas
  9. "I Want It Now!" – Julie Dawn Cole
  10. "Oompa Loompa (Veruca)" – Oompa Loompas
  11. "Ach, so fromm" ("M'appari") – Gene Wilder
  12. "Oompa Loompa (Mike)" – Oompa Loompas
  13. "Pure Imagination" (Créditos finais)

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmios da Academia
Golden Globe icon (gold).svg Globo de Ouro

Referências

  1. a b «11 facts about Willy Wonka that will make you love the film even more». The Breeze (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  2. a b c Stuart, Mel (2005). Pure Imagination: The Making of Willy Wonka and the Chocolate Factory (em inglês). [S.l.]: St. Martin's Press. ISBN 978-0-312-35240-0. Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  3. a b «Willy Wonka & the Chocolate Factory (1971)». The Numbers (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  4. «Willy Wonka and the Chocolate Factory». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  5. «Big Lebowski, Ferris Bueller and Willy Wonka added to US film registry». BBC News. 17 de dezembro de 2014 
  6. Bishop, Tom. «Willy Wonka's everlasting film plot». BBC News (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  7. Paur, Joey. «25 Fun Facts About WILLY WONKA AND THE CHOCOLATE FACTORY». Greek Tyrant (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  8. McCann, Erin. «Strange Stories From Behind The Scenes Of Willy Wonka And The Chocolate Factory». Ranker (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  9. Evans, Bradford. «The Lost Roles of Peter Sellers». Splitsider (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019. Cópia arquivada em 14 de Julho de 2015 
  10. Perkins, Will (13 de junho de 2012). «Gene Wilder's Willy Wonka demands revealed». Yahoo! 
  11. Paur, Joey. «25 Fun facts about Willy Wonka and the Chocolate Factory». Geek Tyrant 
  12. «Willy Wonka and the Chocolate Factory (1971): Notes». Tcm.com 
  13. Golder, Andy. «19 Facts You Probably Didn't Know About "Willy Wonka And The Chocolate Factory"». BuzzFeed (em inglês). Consultado em 11 de Agosto de 2019 
  14. «I am Paris Themmen, I played Mike Teevee». Reddit. 02 de setembro de 2012  Verifique data em: |data= (ajuda)
  15. Ah San, Heather (22 de setembro de 2012). «Willy Wonka actors recall film as 'a world of wonders'». Daily Republic 
  16. Infanto tv/A Fantástica Fábrica de Chocolate.com.br

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.