A Riqueza das Nações

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de A riqueza das nações)
Ir para: navegação, pesquisa
Página inicial do segundo volume da Riqueza das nações (1ª edição).

Uma Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações, mais conhecida simplesmente como A Riqueza das Nações, é a obra mais famosa de Adam Smith. Composta por 5 livros (ou partes), foi publicada pela primeira vez em Londres em março de 1776, pela casa editorial de William Strahan e Thomas Caldell. Uma segunda edição foi lançada em fevereiro de 1778, seguida por mais três edições: em 1784, 1786 e 1789, sendo esta a última edição feita em vida pelo autor.

Além de análises teóricas sobre o funcionamento das chamadas sociedades comerciais e os problemas associados à divisão do trabalho, ao valor, à distribuição da renda e à acumulação de capital, o livro traz considerações históricas e farto material empírico, sendo considerado um momento de inflexão no desenvolvimento da história do pensamento econômico.

Publicada no mesmo ano da Declaração de Independência dos Estados Unidos, a obra foi objeto de um sem número de controvérsias, tendo sido lida como uma defesa irrestrita do individualismo e do liberalismo, visão que teria sido sintetizada na metáfora da mão invisível. Esta leitura é hoje em dia objeto de crítica pelos especialistas no pensamento de Adam Smith.[1] [2] [3] [4]

Os livros[editar | editar código-fonte]

  • O livro I discute os problemas associados à divisão do trabalho e as trocas: o valor e os preços, o dinheiro e os rendimentos.
  • O livro II discute a acumulação de capital.
  • O livro III trata de questões associadas ao desenvolvimento econômico.
  • O livro IV consiste numa espécie de resenha crítica das duas principais escolas de pensamento econômico do século XVIII: o sistema comercial, ou mercantilismo, e o sistema agrícola, a fisiocracia.
  • O livro V contêm proposições sobre a receita pública e as responsabilidades do Estado.

Edições em Língua Portuguesa[editar | editar código-fonte]

  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. Luiz João Baraúna, São Paulo: Abril Cultural, 1a ed., 1983. (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. Alexandre Amaral Rodrigues e Eunice Ostrensky, São Paulo: Martins Fontes, 1a ed., 2003. ISBN 85-336-1788-7 (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Trad. de Luís Cristóvão de Aguiar, Lisboa: Calouste Gulbenkian, 4a ed., 2006. ISBN 972-31-0610-8 (texto integral).
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Hemus, 3a ed. 2008, 440p. ISBN 85-289-0554-3 (edição resumida)
  • SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Juruá, 1a ed. 2006. ISBN 85-362-1409-0

Edições digitais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. de Mattos, Laura. (Jan./Mar. 2007). "As razões do laissez-faire: uma análise do ataque ao mercantilismo e da defesa da liberdade econômica na Riqueza das Nações". Revista de Economia Política vol. 27.
  2. Paul J. Zac; Stephen Knack (7). Trust and Growth (HTML) (em inglês). Universidade de Ohio. Página visitada em 21 de julho de 2014.
  3. Damon Vrabel (7). Sovereign Debt: The Death of Nations vs. the Wealth of Nations (HTML) (em Língua inglesa). Canada Free Press. Canada Free Press. Página visitada em 21 de julho de 2014.
  4. Alan B. Krueger (16). Economic Scene; The many faces of Adam Smith: Rediscovering 'The Wealth of Nations.' (HTML) (em Língua inglesa). The New York Times. The New York Times. Página visitada em 1 de junho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]