Álvaro Recoba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alvaro Recoba)
Ir para: navegação, pesquisa
Álvaro Recoba
Álvaro Recoba
O jogador em treinamento da Seleção Uruguaia em junho de 2007.
Informações pessoais
Nome completo Álvaro Alexander Recoba Rivero
Data de nasc. 17 de março de 1976 (38 anos)
Local de nasc. Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade Uruguai Uruguaio
Altura 1,79 m
Canhoto
Apelido El Chino, El Chinito[1]
Informações profissionais
Clube atual Uruguai Nacional
Número 20
Posição AtacanteMeiaAla
Site oficial Página oficial
Clubes de juventude
Uruguai Danubio
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1993–1995
1996–1997
1997–2008
1999
2007–2008
2008–2009
2010–2011
2011–
Uruguai Danubio
Uruguai Nacional
Itália Internazionale
Itália Venezia (emp.)
Itália Torino (emp.)
Grécia Panionios
Uruguai Danubio
Uruguai Nacional
031 0000(32)[2]
027 0000(30)[2] [2]
258 0000(71)[2]
019 0000(11)[2]
024 00000(3)[2]
021 00000(7)[2]
031 0000(11)[2]
064 0000(15)
Seleção nacional3
1995–2007 Flag of Uruguay.svg Uruguai 069 0000(11)[3]


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 15 de março de 2014.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 11 de abril de 2008.

Álvaro Alexander Recoba Rivero[4] (Montevidéu, 17 de março de 1976[4] ) é um futebolista uruguaio que atua como atacante, meia ou ala.[5] Atualmente, joga pelo Nacional.[6]

O jogador foi revelado no Danubio em 1993, com apenas dezesseis anos de idade,[2] fazendo trinta e dois gols em trinta e uma partidas pelo clube uruguaio.[2] O seu ótimo rendimento o levou ao Nacional, onde fez a marca de trinta gols em vinte e sete partidas,[2] sendo um desses muito semelhante ao de Maradona na Copa do Mundo de 1986, aonde o ídolo argentino driblou parte da Seleção Inglesa.

Chamou a atenção dos europeus e foi contratado pela Internazionale. Logo na sua estreia, fez os dois gols da vitória do clube italiano sobre o Brescia.[7] Depois, Recoba foi para o Venezia, fazendo onze gols em dezenove partidas e livrando o mesmo do rebaixamento.[2] Retornou à Internazionale no mesmo ano em que foi emprestado para o clube de Veneza e permaneceu por mais oito anos. Em 2007 foi emprestado ao Torino, permanecendo neste até 2008. Ainda em 2008, o jogador foi para o Panionios da Grécia, que comprou o passe do jogador.[8]

O atleta disputou a Copa do Mundo de 2002 pela Seleção Uruguaia, sendo o principal destaque da mesma na competição.[9] Também marcou um gol contra Senegal, porém sua seleção foi eliminada na primeira fase da competição.[10] Recoba é um jogador diferenciado e de muita técnica, além de ser um exímio cobrador de faltas; porém, nota-se que é mais um daqueles casos onde um jogador tem muito talento, mas poderia ter ido muito mais longe em matéria de títulos e reconhecimento.

Recoba chegou a ser dado como um novo Maradona,[carece de fontes?] por ser canhoto, ter muita habilidade e jogar na mesma posição do argentino. Entretanto, a capacidade de marcação no futebol melhorou muito e suas constantes lesões muitas vezes o deixaram fora de momentos decisivos, nos quais todos contavam com o jogador.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

Recoba nasceu no humilde bairro de Curva de Maroñas,[11] bairro localizado na periferia de Montevidéu, sendo que desde aquela época notava-se seu talento com a bola.

Pelo bairro de Curva de Maroñas ficar na sede do Danubio, Recoba decidiu fazer um teste no time uruguaio e consequentemente passou no teste, sendo assim introduzido nas categorias de base do clube, e mais tarde, sendo promovido a equipe principal do Danubio, tornando-se então um jogador profissional.

Danubio[editar | editar código-fonte]

Recoba começou jogando como profissional no Danubio,[12] clube este tradicional no Uruguai, porém bem menor que Peñarol e Nacional, os dois grandes clubes do Uruguai.

Recoba já dava sinais de que seria um grande jogador pelo seus dribles, jogadas e por já se mostrar um jogador maduro com apenas dezesseis anos de idade, principalmente por fazer muitos gols (trinta e dois gols em trinta e uma partidas pelo clube uruguaio),[2] média superior a um gol por partida, o que acabou conquistando todo o povo no Uruguai, além de ter se tornado um dos principais jogadores da história do Danubio, dava a certeza a todos de que teria um ótimo futuro pela frente.

Nacional[editar | editar código-fonte]

Recoba teve uma passagem memorável no Nacional. Apesar da expectativa da torcida, havia uma certa desconfiança por parte da imprensa, pois, com apenas dezessete anos, não se sabia se Recoba iria ter o mesmo rendimento que teve no Danubio.

Recoba não se deixou abater e além de ter um rendimento melhor do que teve no Danubio, ainda carregava o peso de ser o destaque do Nacional com apenas dezessete anos e, de quebra, conseguiu ser convocado à tão sonhada Seleção Uruguaia, no ano de 1995.[3]

No Nacional, Recoba fez trinta gols em vinte e sete partidas,[2] média superior a um gol por partida, sendo que, todos estes gols e dribles, conquistaram o coração da torcida do Nacional, tendo um conquistado em definitivo - este, um gol histórico em um jogo importante entre Nacional e Wanderers, em que as duas equipes brigavam pelo título do Campeonato Uruguaio. Nesta partida Recoba fez um gol muito semelhante ao de Maradona na Copa do Mundo de 1986 contra a Inglaterra, no qual o argentino dominou a bola no meio de campo e driblou parte da Seleção Inglesa até fazer o gol. Depois de fazer tudo isso com menos de vinte anos de idade, Recoba foi então um dos principais jogadores da história do Nacional.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Recoba chegou na Internazionale com uma grande expectativa, e ao lado de Ronaldo fenômeno, estreava no dia 31 de agosto de 1997, jogando com a camisa da Internazionale no estádio Giuseppe Meazza.[7] Neste jogo, Ronaldo Fenômeno começou ocupando uma vaga de titular e sendo o principal jogador a ser observado naquela partida, enquanto que Recoba teve que se contentar em começar o jogo no banco de reservas, ficando como um mero coadjuvante, pelo menos no começo do jogo.

Faltando quinze minutos para terminar o jogo, a Internazionale perdia para o Brescia por um a zero, até Recoba entrar e dar seu primeiro chute a gol - um chute da intermediária, muito forte de perna esquerda, fazendo a bola entrar no ângulo esquerdo do goleiro, que nada pode fazer. O jogo estava empatado. Em seu segundo chute, novamente da intermediária, Recoba com outro chute muito forte de perna esquerda pôs a bola novamente ângulo do goleiro, porém agora no ângulo direito, então virando o jogo para dois a um[7] e deixando todos que estavam no estádio Giuseppe Meazza impressionados com seu talento e principalmente, o fácil dom de bater na bola.

Em janeiro de 1999, o jogador saiu da Internazionale para acertar empréstimo com o Venezia, que observando que o jogador não estava sendo muito aproveitado na Internazionale, pois com jogadores como Zamorano, Ronaldo fenômeno, Roberto Baggio e além do próprio Recoba, para o treinador escolher uma dupla de ataque era bastante difícil. Até então, Recoba era quem estava ficando no banco de reservas e Baggio estava jogando no meio de campo por opção do treinador.

Venezia[editar | editar código-fonte]

O time italiano abriu os cofres e decidiu pedir Recoba emprestado até o fim da temporada.[carece de fontes?] O atleta teve uma passagem curta, porém muito notória pelo Venezia, se tornando um dos principais jogadores do clube. Contratado para ser o destaque do time, que estava muito mal no Campeonato Italiano e corria sérios riscos de ser rebaixado, Recoba, rapidamente, tornou-se um símbolo do orgulho de sua torcida.

Recoba então chegava no Venezia com a difícil missão de livrar o time italiano do rebaixamento, mas com atuações de gala e cobranças de faltas magníficas, conseguiu fazer onze gols em dezenove partidas,[2] inclusive anotando um gol de falta contra a equipe que era dona de seu passe na época, a Internazionale, e, três gols em uma mesma partida, contra a Fiorentina, sendo desses, dois de falta, ajudando a livrar o time italiano do rebaixamento,[9] expandindo assim mais ainda sua fama.

Retorno à Internazionale[editar | editar código-fonte]

Camisa de Recoba na Internazionale.

Após ajudar a livrar o Venezia do rebaixamento, Recoba retornou à Internazionale, no intuito de ser titular absoluto. Coincidentemente, o treinador decidiu que Recoba deveria ser titular do clube italiano, e ao invés de colocar Recoba no lugar de um atacante, ou jogar com um trio ofensivo, o treinador decidiu colocá-lo para jogar na posição de meia-atacante,[9] pois, segundo ele, Recoba tinha todas as qualidades que um ótimo meia-atacante precisa ter como jogador: exemplos destas são sua ótima visão de jogo, boas assistências, velocidade e principalmente a capacidade de bater muito bem na bola.

Recoba então começou a jogar na posição de meia-atacante, sendo que em algumas oportunidades atuou até como ala, dando-se muito bem, jogando até hoje na posição de meia-atacante.[13] Recoba jogou muitas competições pela Internazionale, como por exemplo o Campeonato Italiano, a Copa da Itália, a Liga dos Campeões da Europa e a Copa da UEFA.

Em 2004, com a chegada do treinador Roberto Mancini, Recoba começou a perder espaço no time titular da Internazionale.[14] Para piorar, em meados do mesmo ano, Recoba teve uma grave lesão no tornozelo, que teve que ser operado, obrigando-o a ficar seis meses sem poder jogar futebol.

No começo de 2006, Recoba começava a se estranhar com Roberto Mancini, que sempre teve o costume de fazer uma espécie de rodízio no time da Internazionale, trocando regularmente o time titular, irritando Recoba, que havia voltado de lesão e precisava pegar ritmo de jogo. Mesmo assim, Roberto Mancini continuou trocando regularmente o time titular.

Na metade de 2007, Recoba decidiu sair da Internazionale, pois estava sendo pouco utilizado pelo treinador, e então após dez anos na Internazionale, Recoba decide mudar de clube e passa a jogar no Torino, deixando uma bonita história na Internazionale, com dez anos de belas jogadas, dribles, faltas magníficas e belos gols. No total foram setenta e um gols em duzentos e cinquenta e oito partidas,[2] além de vários títulos conquistados pela Internazionale,[11] tendo assim se tornado em um dos notórios jogadores a passar pelo clube italiano.

Torino[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos clubes anteriores, no Torino, Recoba não teve uma boa passagem, foram ao todo vinte e quatro partidas e apenas três gols marcados.[2] Fez sua estreia contra a Reggina - este jogo terminou empatado por dois a dois, sem nenhum gol de Recoba. Seu primeiro gol pelo Torino foi marcado contra o Palermo, em uma linda troca de passes entre Rosina e o próprio Recoba, que recebeu na entrada da grande área e bateu no canto do gol, deslocando o goleiro do time adversário. Novamente o jogo terminou empatado, agora em um a um.[15]

Seu melhor jogo pelo Torino foi contra a Roma pela Copa da Itália, onde o jogador teve uma ótima atuação marcando dois gols, fazendo jogadas de classe e assim ajudando sua equipe a sair com a vitória de três a um.[16] Mas no jogo de volta da Copa da Itália a Roma venceu o Torino por quatro a zero, avançando para a próxima fase e eliminando a equipe de Turim.[17]

Panionios[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo clube grego em agosto de 2008 e recebido com grande festa em Atenas. É o principal jogador da equipe grega, que deposita muitas esperanças no potencial do futebolista. Em sua primeira partida pelo clube, Recoba fez as assistências para os gols de sua equipe que venceu o Aris Salônica por dois a um. No seu segundo jogo com a camisa do Panionios, Recoba também teve grande atuação, fez 2 gols e ajudou seu time a vencer o Ergotelis por cinco a dois.

Retorno ao Uruguai[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado em 24 de dezembro de 2009 seu retorno ao Danubio, clube que defendeu entre 1993-1995. Recoba estava jogando pelo Panionios, da Grécia, No qual teve uma brilhante atuacão, demostrando que ainda tem muito gás.

Em 6 de julho de 2011, Recoba rescinde seu contrato com o Danubio. No mesmo ano acerta sua volta ao Nacional. No Nacional, teve um bom desempenho em 2011, onde marcou 5 gols, um desses no clássico contra o Peñarol, marcando o segundo gol de pênalti na vitória por 2 a 1, e outro contra o Liverpool na última rodada do Torneio Apertura, dando o título ao Nacional.

Recoba em partida do Nacional em 2012.

Seleção Uruguaia[editar | editar código-fonte]

Primeira convocação[editar | editar código-fonte]

A primeira convocação de Recoba para a Seleção Uruguaia foi no dia 18 de janeiro de 1995, para uma partida contra a Espanha válida apenas como amistoso; partida essa que acabou dois a dois.[3] No mesmo ano, Recoba não foi convocado para jogar a Copa América de 1995,[18] que foi realizada no Uruguai. A competição teve uma emocionante final entre Uruguai e Brasil, vencida pelos uruguaios na disputa de pênaltis.[18]

Eliminatórias e Copa do Mundo de 2002[editar | editar código-fonte]

Recoba disputou pelo Uruguai as eliminatórias da Copa do mundo de 2002, sendo destaque em várias partidas, mas especialmente em uma contra o Brasil, jogando no Estádio Centenário em Montevidéu. Esta partida a estreia de Felipão no comando da Seleção Brasileira, terminando numa vitória de um a zero para o Uruguai, sob o comando de Recoba, que deu dribles incríveis, como no lance do único gol da partida (do qual dominou a bola no meio de campo e passou por todos os adversários, até ser derrubado por Cafu dentro da grande área, sofrendo pênalti, que foi convertido com sucesso por Magallanes.[19]

Depois de passar pela Austrália na repescagem,[20] a Seleção Uruguaia chegava à Copa do Mundo de 2002 com Recoba, sendo ele seu principal destaque,[9] e, logo em sua primeira partida fazendo uma boa exibição contra a Dinamarca, armando as jogadas e fazendo belos dribles. Mas ao contrário de Recoba, a Seleção Uruguaia fez uma partida ruim perdendo por a dois a um para a Dinamarca, porém, nesta partida, o gol que Darío Rodríguez do Uruguai fez neste jogo foi um dos mais bonitos da Copa do Mundo de 2002.[21]

Em sua segunda partida contra a França Recoba teve uma atuação razoável, jogando certo para a equipe, porém sem muita criatividade, porque os volantes franceses anularam Recoba, que era o principal jogador do Uruguai encarregado de armar o jogo naquela partida, pois o Uruguai jogava com três zagueiros e era rara a descida de algum jogador de trás para vir ajudar Recoba a armar o jogo. Esta partida também teve poucas inspirações por parte dos jogadores de Uruguai e França, pois acabou zero a zero e ainda com o craque francês Henry sendo expulso.[22]

Apesar de ter somado apenas um ponto em suas primeiras duas partidas, o Uruguai com uma simples vitória sobre Senegal se classificaria para a segunda fase da Copa do Mundo de 2002, ou seja passaria às oitavas de final da competição. Mas assim como o Uruguai, Recoba fez uma péssima exibição no primeiro tempo e a Seleção Uruguaia encerrava a primeira etapa perdendo por três a zero. Na segunda etapa e a Seleção Uruguaia foi outra, com Recoba comandando as ações ofensivas da mesma, que conseguiu chegar ao empate em três a três, com Recoba marcando o terceiro gol do Uruguai, e seu primeiro gol em uma Copa do Mundo num pênalti sofrido por Richard Morales, mas a Seleção Uruguaia só não conseguiu a virada mais espetacular da Copa do Mundo 2002 porque nos descontos do segundo tempo em uma bola espirrada na pequena área da Seleção Senegalesa o mesmo Richard Morales cebeceou para fora e, o Uruguai que precisava vencer a partida para se classificar, empatou por três a três, se despedindo da Copa do Mundo de 2002.[10] Mas Recoba e seus companheiros mostraram raça e sobretudo muito amor à camisa da Seleção Uruguaia, tanto é que foram recebidos como heróis no retorno ao Uruguai.[23]

Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006[editar | editar código-fonte]

A Seleção Uruguaia deu um verdadeiro vexame ao não ir para a Copa do Mundo de 2006, mas pior que isto foi perder jogando contra Peru e Venezuela duas partidas seguidas no Estádio Centenário em Montevidéu, partidas estas que Recoba não jogou por estar lesionado.

Apesar da Seleção Uruguaia ter dado um vexame nas Eliminatórias da Copa do mundo de 2006 teve ótimas apresentações como por exemplo em sua estreia ao golear a Bolívia por cinco a zero. Já Recoba destacou-se novamente contra o Brasil, em um jogo que a Seleção Uruguaia jogou fora de casa, no estádio do Pinheirão, no Paraná. O Uruguai perdia por dois a zero, até Recoba, que estava com dores no joelho[24] e por isso foi poupado, entrou em campo no intervalo e jogou muito bem, participando das principais jogadas de ataque do Uruguai, além de provocar um gol-contra, cobrando uma falta que desviou em Gilberto Silva, fazendo a bola entrar no ângulo, por isso o gol foi marcado na súmula como gol-contra. O jogo estava na reta final, o Uruguai vencia por três a dois de virada e a torcida brasileira gritava olé a cada passe trocado pela Seleção Uruguaia que envolvia o Brasil em campo, com Recoba sendo o maestro do espetáculo, mas no final da partida, Ronaldo Fenômeno fez seu segundo gol na partida, que era o terceiro gol da Seleção Brasileira na partida, que então empatava o jogo em três a três, resultado este mantido até o fim da partida.[24]

Recoba também se destacou contra a Argentina, mostrando mais uma vez ser um jogador decisivo, pois era uma partida importantíssima, em que o Uruguai jogava contra a Argentina precisando ganhar para disputar a repescagem contra a Austrália, e caso não ganhasse da Argentina, muito provavelmente ou Chile ou Colômbia iriam se classificar. No primeiro tempo, Recoba fez uma boa exibição se apresentando para o jogo, armando as jogadas e batento todas as bolas paradas do Uruguai, sendo que em uma delas de muito longe, Recoba bateu forte por cima da barreira exigindo ótima defesa do goleiro Abbondanzieri e assim o primeiro tempo acabou zero a zero. No segundo tempo, o Uruguai ameaçava constantemente o gol de Abbondanzieri até que em uma bola alçada à área da Argentina, Diego Forlán escorou de cabeça para Recoba que de meio-calcanhar chegou antes do goleiro argentino, fazendo um belo gol e uns dos mais importantes de sua carreira, pois deu à classificação ao Uruguai e também muita alegria a todo o povo uruguaio, pois a Seleção Uruguaia suportou a pressão da Argentina até o final do jogo e saiu classificada para enfrentar novamente a Austrália na repescagem,[25] e mais, a Seleção Uruguaia ficou apenas três pontos atrás de Equador e Paraguai. Se Recoba não estivesse lezionado em 2004, certamente estaria em campo nas duas partidas contra Peru e Venezuela no Estádio Centenário em Montevidéu, partidas essas que o Uruguai perdeu, pois não mostrou muita criatividade. Mas com Recoba em campo, o resultado poderia ser outro e a classificação para a Copa do Mundo de 2006 seria possível sem jogar a repescagem contra a Austrália.

Recoba foi o principal jogador da partida entre Uruguai e Austrália no Estádio Centenário, em Montevidéu, partida esta que acabou um a zero para o Uruguai, com Recoba comandando as ações ofensivas, dando dribles e novamente como fez conta a Argentina, batendo todas as bolas paradas da equipe, sendo que em uma delas saiu a jogada do único gol da partida, em uma falta lateral em que Recoba bateu fechado para a área e Darío Rodríguez cabeceou no canto do goleiro, dando a vantagem para o Uruguai, que depois iria jogar em Sydney, na Austrália.

Jogando em Sydney, Recoba foi anulado de forma desleal em uma disputa pelo alto o em que zagueiro Popović deu uma cotovelada intensional em seu rosto e recebeu apenas o cartão amarelo,[26] e assim como fez na Copa do Mundo de 2006, a Seleção Australiana marcou muito duro e, algumas vezes de forma desleal, mas deste jeito conseguiu ganhar a partida por um a zero, levando-a para a prorrogação, porque o Uruguai também havia vencido por um a zero no em Montevidéu. Na prorrogação destacou-se a jogada que Recoba fez no final do segundo tempo da mesma, conduzindo a bola com velocidade até a linha de fundo e cruzando na cabeça de Richard Morales que cabeceou com muito perigo acima da meta do goleiro Schwarzer, perdendo o gol que daria a classificação do Uruguai para a Copa do Mundo de 2006. Então a vaga para a mesma foi decidida em uma disputa de pênaltis, em que Recoba iria bater o quinto, mas não houve tempo para isso, pois antes de ele bater, o Uruguai já havia sido eliminado por cinco a três na disputa de pênaltis e, mesmo convertendo o seu, não resolveria. Assim, Recoba e seus companheiros, apesar de terem mostrado muita raça e amor à camisa da Seleção Uruguaia, não conseguiram classificar a mesma para a Copa do Mundo de 2006.[26]

Copa América 2007 e despedida[editar | editar código-fonte]

Recoba também disputou pela Seleção Uruguaia a Copa América de 2007, a qual teve sede na Venezuela e o Brasil sagrou-se campeão. Recoba esperava estrear contra o Peru, mas devido a uma pequena lesão, não jogou a partida de estreia em que o Uruguai foi derrotado por três a zero para o Peru.[27] Ele também não jogou contra a Bolívia, partida esta em que o Uruguai ganhou por um a zero.[28] Recoba só fez sua estreia contra a Venezuela, porém entrando na segunda etapa, em jogo pouco movimentado que classificou as duas equipes para as quartas-de-final.[29]

Nas quartas-de-final, novamente contra a Venezuela, Recoba iniciou a partida desde o início, sendo substituído na metade da segunda etapa, por ainda sentir a lesão e também para ser poupado para jogar a semifinal, mas apesar de jogar com uma leve lesão, Recoba fez uma boa atuação e ajudou o Uruguai a ganhar da Venezuela por quatro a um, e então se classificar para a semifinal.[30]

Na semifinal, o Uruguai enfrentou o Brasil, com os jogadores da Seleção Brasileira mostrando muito respeito ao Uruguai e elogiando muito Recoba, Forlán e Lugano.[31] Recoba, apesar de continuar com a leve lesão, jogou desde o início, e por sinal jogou bem, obrigando o goleiro Doni a fazer ótimas defesas, mas na metade do segundo tempo, quando o Uruguai já perdia por um a zero, Júlio Baptista fez uma falta dura em Recoba, que imediatamente levantou-se e empurrou o brasileiro, pois Júlio Baptista havia acertado o uruguaio justamente onde estava com dor e se encontrava a lesão, mas mesmo assim Recoba continuou no jogo e em um escanteio batido por ele, uma bola cheia de efeito que obrigou Doni a dar um soco na bola para o meio da área; a mesma sobrou para Forlán, que ajeitou no peito e bateu forte no canto de Doni empatando o jogo. Mas ainda no final da primeira etapa, o Brasil voltou a ficar na frente do placar, por dois a um. No segundo tempo, Abreu entrou no lugar de Recoba, que não conseguiu aguentar as dores, muito provavelmente devido a dura entrada recebida por Júlio Baptista. Em uma boa jogada pela esquerda entre Fucile e Cristian Rodríguez, Abreu fez o segundo gol e empatou o jogo em dois a dois, resultado que persistiria até o fim, havendo uma disputa por pênaltis. Nos pênaltis, o Brasil venceu o Uruguai por seis a cinco e então passou à final da competição,[carece de fontes?] onde iria enfrentar a Argentina e se sagrar campeão da mesma pela oitava vez. Já o Uruguai jogou sem Recoba contra o México, pela disputa do terceiro lugar,[32] não resistiu e foi derrotado de virada por três a um, com Lugano sendo expulso ainda na primeira etapa.[carece de fontes?]

Após a disputa da Copa América de 2007, Recoba se aposentou da Seleção Uruguaia depois de doze anos servindo-a,[33] com ao todo, onze gols em sessenta e nove partidas,[3] sendo o último marcado em Sydney, na Austrália, contra a Seleção Australiana em um jogo que acabou dois a um para o Uruguai.[34] Recoba disse a seguinte frase ao se aposentar: <<Tenho 31 anos e já estou há muito tempo na Seleção. Não consegui aquilo que toda a gente queria, que era a qualificação para o Mundial 2006. Agora meu lugar está posto à prova para outro jogador.>>.[33] Mas apesar da despedida, Recoba não descartou a possibilidade de voltar á Seleção Uruguaia e disse: <<Fiquei bastante tempo na Seleção e agora estou dando a opurtanudade a novos jogadores, mas caso não der certo e a Seleção precisar de mim, posso voltar a jogar pela Seleção.>>,[35] Vale lembrar que Zidane também havia se aposentado da seleção, assim como Recoba. Mas a Seleção Francesa precisou dele, então Zidane voltou atrás de sua decisão[36] e jogou a Copa do Mundo de 2006, sendo vice-campeão com a França e ainda foi eleito o melhor jogador da mesma, isso com trinta e quatro anos, mesma idade que Recoba terá na Copa do Mundo de 2010, que será disputada na África do Sul.

Títulos[11] [editar | editar código-fonte]

Internazionale
Nacional

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Devido ao seu ótimo futebol apresentado, nos anos de 2001 e 2002 Recoba era o jogador mais bem pago do mundo na época, ganhando pouco mais de U$ 7.500.000 por temporada.[11]
  • Além de ser apontado por muitos como um novo Maradona,[39] Recoba também é apontado como o sucessor de Francescoli[9] e Ruben Sosa,[carece de fontes?] dois dos melhores jogadores uruguaios de todos os tempos, e atualmente, Cristian Rodríguez, jogador do Futebol Clube do Porto de Portugal, é apontado como seu sucessor por ter o mesmo estilo de jogo e por também ser canhoto.
  • Em duas oportunidades, Recoba já ficou semi-nu diante do público. A primeira, foi após um jogo contra o Brasil, no ano de 2001, válido pelas Eliminatórias do Mundial do ano seguinte, onde Recoba ficou semi-nu (somente de cueca) diante do público em Montevidéu e a segunda foi contra a Argentina, onde ele ficou semi-nu para arrumar seu uniforme antes do início do segundo tempo.[40]
  • Além de fazer um gol muito semelhante ao de Maradona na Copa do Mundo de 1986, onde o uruguaio, assim como o argentino, partiu com a bola dominada atrás do meio de campo, Recoba também já fez um gol de trás do meio de campo e um gol olímpico, ambos muito bonitos e raros no futebol.
  • No jogo entre Brasil e Uruguai no ano de 2001, válido pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, que era a estreia de Felipão no comando técnico da Seleção Brasileira, Felipão fez uma marcação especial em Recoba, mas nada adiantou pois o Uruguai ganhou por dois a zero aquela partida, e Felipão em entrevista disse que Recoba foi o melhor jogador em campo naquela partida, confirmando isso com a seguinte frase: <<Recoba é um ótimo jogador, fez uma bela jogada individual e também bate na bola como ninguém>>, referindo-se à Recoba após a derrota para a Seleção Uruguaia.[19]
  • Já foi pego duas vezes usando passaporte italiano falso.[41]
  • Em partida válida pelo Campeonato Italiano no dia 9 de janeiro de 2005, em que Recoba entrou na mesma faltando aproximadamente dez minutos para acabar, e a Internazionale virou a partida com três gols nos últimos seis minutos de jogo, com Recoba participando dos dois primeiros gols e fazendo o terceiro gol em um dos últimos lances da partida, Walter Novellino, que treinou Recoba no Torino era o técnico da Sampdoria naquela partida, partida aquela que deixou todos que estavam no estádio Giuseppe Meazza impressionados, pois a Internazionale conseguiu vencer uma partida que já era dada praticamente como perdida.[42]
  • Tem o apelido de El Chino, devido aos seus olhos puxados.[1]
  • A média de seus gols caiu bastante atuando na Europa, pois nas últimas temporadas da Internazionale, ele ficou bastante no banco de reservas, pois geralmente não estava "100%" bem para as partidas, então mesmo que jogasse poucos minutos em uma partida, as estatísticas mesmo assim marcavam uma partida para o jogador, no caso Recoba.[2]
  • Em seus quatro anos que atuou no Uruguai, ente 1993 e 1997, Recoba sempre teve média superior a um gol por partida.[2]
  • Quando jogava no Danúbio e chamou a atenção de Peñarol e Nacional, era para ele ir jogar no Peñarol, pois já estava quase tudo acertado, mas seu empresário Paco Casal decidiu pouco antes de fechar negócio com o Peñarol que Recoba iria jogar no Nacional.
  • Dentre as coisas que mais gosta de fazer destaca-se a pesca.[43]
  • Após a vitória sobre a Seleção Brasileira no ano de 2001, válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, Recoba raspou o cabelo nos vestiários do estádio Centenário, em Montevidéu; para comemorar sua ótima atuação naquela partida, mas sobretudo a vitória da Seleção Uruguaia.[44]
  • Na Copa América de 2007 Recoba fez duas promessas: a primeira foi com seus companheiros de seleção. Recoba comentou em entrevista: <<Foi uma aposta que fiz com o grupo. Um dos rapazes disse que faríamos quatro gols na Venezuela e eu respondi "se isso acontecer, me pinto como vocês". Teria sido melhor se tivéssemos ganho de 3 a 0 ou 3 a 1, pois não teria que pintar – explicou o jogador de cabelos amarelados>>, sendo assim, Recoba teve de pintar os cabelos de loiro. Na segunda promessa Recoba afirmou que se o Uruguai passasse para a final da Copa América derrotando o Brasil, iria pintar os cabelos de azul para jogar a mesma,[45] mas o Uruguai foi eliminado pelo Brasil e Recoba não pôde pagar sua promessa.
  • Poucos dias antes de Recoba fazer seu primeiro jogo contra a Internazionale (clube que defendeu por dez temporadas), atuando pelo Torino, Recoba atacou seu ex-treinador da Internazionale, Roberto Mancini; falando as seguintes frases: <<Ele nunca olhou em meus olhos>>, <<Com ele, nunca houve clima>>, <<Nunca estivemos de acordo.>>[46]
  • Jogou durante muito tempo com uma camisa de número 20, incluindo dez anos na Internazionale e mais alguns na Seleção Uruguaia.
  • Foi criado uma espécie de flog no Uruguai, para os torcedores do Nacional pedirem a volta de Recoba no ano de 2007, quando ele estava de saída da Internazionale, mas nada adiantou, pois na oportunidade Recoba se transferiu para o Torino.
  • Quando jogava no Uruguai, entre os anos de 1993 e 1997, não conquistou nenhum título com seus clubes, pois neste período o Peñarol ganhou os cinco campeonatos nacionais disputados e o clube conquistou seu segundo qüinqüênio.
  • Massimo Moratti, presidente da Internazionale, é declarado de Recoba e ficou muito triste quando Recoba, depois de dez anos no clube, trocou a Internazionale pelo Torino.[carece de fontes?]
  • Jogou de 1997 à 2007 na Internazionale, saindo um ano antes do centenário do clube italiano.
  • Para a comemoração do centenário da Internazionale, foi gravada uma pequena entrevista com Recoba comentando sobre seus dez anos no clube italiano. Essa entrevista foi introduzida no telão do estádio Giuseppe Meazza, que estava completamente lotado, pois era o aniversário de cem anos da Internazionale.
  • Dias antes da primeira partida válida pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América de 2008, Adriano falou que iria pedir conselhos para Recoba sobre o time do Nacional de Montevidéu..[47]
  • Tem dois filhos, ambos com Lorena, mulher com quem é casado.[48]

Referências

  1. a b terra.com.br: Recoba tem o apelido de El Chino devido aos seus olhos puxados.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s elchino.main.jp: Estatísticas de Recoba nos clubes.
  3. a b c d elchino.main.jp: Estatísticas de Recoba na Seleção.
  4. a b zerozero.pt: Álvaro Recoba - dados pessoais.
  5. futebol.pt: Álvaro Recoba - conhecido e mencionado mais como Recoba.
  6. futebol.pt: - Recoba próximo de acertar retorno ao Nacional
  7. a b c globoesporte.com: Em sua estreia na Internazionale, Recoba marcou os dois gols da vitória sobre o Brescia.
  8. infordesporto.sapo.pt: Recoba assina pelo Panionios
  9. a b c d e gazetaesportiva.net: Recoba é o destaque da Celeste com pouco brilho.
  10. a b folha.uol.com.br: Recoba marca, mas Uruguai está eliminado.
  11. a b c d mushofutbol.com: Álvaro Recoba - Biografia, estatísticas, títulos e curiosidades. (em espanhol)
  12. recobamania.com: Biografia e estatísticas de Álvaro Recoba (em italiano)
  13. folha.uol.com.br: Recoba também passou a jogar de meia-atacante.
  14. msn.lancenet.com.br: Recoba passou a ser pouco utilizado com a chegada de Roberto Mancini na Internazionale.
  15. repubblica.it: Recoba marca seu primeiro gol pelo Torino em empate contra o Palermo. (em italiano)
  16. esporte.uol.com.br: Recoba marca duas vezes em vitória do Torino na Copa da Itália
  17. futebolinterior.com.br: Roma elimina Torino da Copa Itália.
  18. a b rsssf.com: Todos os detalhes da Copa América de 1995. (em inglês)
  19. a b terra.com.br: Uruguai derrota Brasil com grande atuação de Recoba.
  20. folha.uol.com.br: Uruguai bate Austrália e garante a última vaga ao Mundial de 2002.
  21. bbc.co.uk: Recoba joga bem e Darío Rodríguez faz belo gol, mas Uruguai perde para Dinamarca.
  22. bbc.co.uk: França e Uruguai fazem o primeiro 0 a 0 da Copa
  23. esporte.uol.com.br: Apesar da decepção, jogadores uruguaios são recebidos como heróis em Montevidéu
  24. a b esporte.uol.com.br: Seleção sofre virada, mas empata com o Uruguai por 3 x 3.
  25. esporte.uol.com.br: Uruguai bate Argentina e repete duelo contra Austrália na repescagem.
  26. a b bolsatotal.com: Austrália joga sujo e tira o Uruguai do Mundial 2006.
  27. clicrbs.com.br: Recoba desfalca Uruguai no jogo contra o Peru.
  28. zerozero.pt: Copa América 2007 - Bolivia 0-1 Uruguai.
  29. futebolinterior.com.br: Venezuela 0 x 0 Uruguai - Jogo de compadres classifica ambos.
  30. gramadosite.com.br: Uruguai enfrenta Brasil pelas semifinais da Copa América.
  31. globoesporte.globo.com: Alex exalta Recoba, Forlán e Lugano.
  32. clicabrasilia.com.br: Uruguai x México disputam terceiro lugar em partida apagada.
  33. a b folha.uol.com.br: Álvaro Recoba anuncia despedida da seleção uruguaia.
  34. esporte.uol.com.br: Uruguai vence Austrália com gol de Recoba no fim da partida.
  35. esporte.uol.com.br: Recoba anuncia que pode voltar à seleção Uruguaia.
  36. esportes.terra.com.br: Zidane anuncia retorno à seleção da França.
  37. Site oficial do Nacional: Nacional y Recoba los mejores de la temporada
  38. Site oficial do Nacional: Nacional y Recoba los mejores de la temporada
  39. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas novo_maradona
  40. esporte.uol.com.br: Recoba fica semi-nu para arrumar seu uniforme antes do início do segundo tempo.
  41. esportes.terra.com.br: Recoba é condenado a seis meses por passaporte falso.
  42. inter.it: Vitória espetacular da Inter com grande atuação de Recoba. (em inglês)
  43. elpais.com: Recoba gosta muito de pescar. (em espanhol)
  44. folha.uol.com.br: Recoba raspa cabelo para festejar vitória sobre o Brasil.
  45. globoesporte.com: Recoba faz promessa pra vencer o Brasil.
  46. quattrotratti.com: Recoba ataca o treinador Roberto Mancini.
  47. saopaulofc.com.br: Adriano afirmou que ia pedir conselhos ao uruguaio Recoba sobre o Nacional
  48. recobamania.com: Recoba, sua esposa e seus dois filhos. (em espanhol)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Álvaro Recoba
Bandeira de UruguaiSoccer icon Este artigo sobre futebolistas uruguaios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.