Football Club Internazionale Milano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Internazionale
Internazionale.svg
Nome F.C. Internazionale Milano
Alcunhas Il Biscione
La Beneamata
Nerazzurri[1]
Torcedor/Adepto Interista
Nerazzurri
Mascote Biscione
Fundação 9 de março de 1908 (106 anos)
Estádio Giuseppe Meazza
Capacidade 80,065[2]
Localização Milão, Itália
Presidente Indonésia Erick Thohir
Treinador Itália Walter Mazzarri
Patrocinador Itália Pirelli
Material esportivo Estados Unidos Nike
Competição Itália Campeonato Italiano
União Europeia Liga Europa da UEFA
Itália Copa da Itália
Website inter.it
Kit left arm inter1415h.png Kit body inter1415home.png Kit right arm inter1415h.png
Kit shorts inter1415h.png
Kit socks.png
Uniforme
titular
Kit left arm inter1415a.png Kit body inter1415away.png Kit right arm inter1415a.png
Kit shorts.png
Kit socks.png
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

F.C. Internazionale Milano, conhecido em português normalmente por Inter de Milão ou simplesmente Inter, é um clube italiano de futebol com sede em Milão, Lombardia, fundado no dia 9 de março de 1908.

A Inter é um dos clubes de futebol mais bem sucedido da Itália, e historicamente, um dos clubes mais bem sucedidos do mundo, com 9 títulos internacionais, é o sétimo time europeu e décimo segundo no mundo com o maior número de conquistas internacionais reconhecidas pela UEFA e FIFA.

A Inter é o único clube no futebol italiano a ter passado toda a sua história na Serie A, sem nunca ter sido rebaixado a divisões inferiores. Jogando de camisas listradas em azul e preto, com calções pretos, a Inter tem 18 títulos da Série A do Campeonato Italiano de Futebol, 7 Copas da Itália e 5 Supercopas da Itália, com um total de 30 troféus conquistados somente no seu país.

Fora da Itália, o clube também teve sucesso em torneios europeus e mundiais, tendo ganho três vezes a Liga dos Campeões em 1963-64, 1964-65 e 2009-10. A Inter também venceu a Liga Europa três vezes em 1990-91, 1993-94 e 1997-98, sendo vice em 1996-97 depois de ser derrotado na final pelo Schalke 04 nos penâltis, venceu a extinta Copa Intercontinental por duas vezes em 1964 e em 1965, além da Copa do Mundo de Clubes da FIFA em 2010, tornando-o o terceiro clube italiano com maior número de títulos oficiais (39) - depois da Juventus (54) e Milan (49). A Inter é considerada pela IFFHS como o 3º melhor clube italiano do século XX e 6º no mundo entre 1901 e 2000.[3]

A Inter manda seus jogos no estádio Giuseppe Meazza, que no passado tinha o nome de estádio San Siro, como ainda preferem chamá-lo atualmente os torcedores Milanistas. É geralmente o palco do clássico de Milão, o Derby della Madonnina.

Na temporada 2009-2010, a Inter se tornou o primeiro clube italiano e sexto na Europa a ganhar a tríplice coroa, ao conquistar o Campeonato Italiano, Copa da Itália e a Liga dos Campeões. [4]

Com base nos resultados de uma pesquisa conduzida pela empresa Demos & Pi em setembro de 2011, a Inter é o segundo a ter mais torcedores na Itália, tendo ganho a preferência de 18,6% da amostra. [5] No nível continental, a Inter é a oitava entre as equipes com mais torcedores na Europa, com cerca de 17,5 milhões, conforme demonstrado em estudo publicado pela empresa alemã Sport+Markt, em setembro de 2010. [6]

A Inter foi uma das fundadoras do extinto G-14, um grupo que representa os dezoito principais clubes da Europa. A Equipe foi eleita pela FIFA o 12° maior clube de futebol do século XX e o terceiro entre todos os clubes italianos.

Com base nos resultados de uma pesquisa da empresa Brand Finance em fevereiro de 2012, a Internazionale é o oitavo clube mais rico do mundo, com um valor estimado de 190 milhões. [7]

História[editar | editar código-fonte]

Primeira Inter a conquistar um scudetto em 1909-10.

Início[editar | editar código-fonte]

O clube foi fundado em 9 de março de 1908 como Football Club Internazionale, na sequência de uma "cisma" com o Milan Cricket and Football Club (44 membros). Um grupo de italianos e suíços (Giorgio Muggiani, um pintor que também desenhou o logotipo do clube, Bossard, Lana, Bertoloni, De Olma, Enrico Hintermann, Arturo Hintermann, Carlo Hintermann, Pietro Dell'Oro, Hugo e Hans Rietmann, Voelkel, Maner , Wipf, e Carlo Ardussi) estavam descontentes com o domínio dos italianos na equipe do Milan, e rompeu com eles, levando à criação da Internazionale. Desde o início, o clube foi aberto para os jogadores estrangeiros, fazendo portanto jus ao seu nome de fundação.

O clube ganhou seu primeiro campeonato Scudetto na temporada 1909-10 e o segundo em 1919-20. O capitão e treinador do primeiro Scudetto foi Virgilio Fossati, que foi morto na Primeira Guerra Mundial. Em 1922, a Inter ficou no Grupo B da Serie A e chegou em último lugar depois de ganhar apenas 11 pontos na temporada. A equipe do último lugar de cada grupo era para ser rebaixado. A segunda equipe em último lugar foram colocadas em um mata-mata para tentarem se salvar. A Inter e o editor do jornal La Gazzetta dello Sport solicitou a FIGC, para permitir a participação da Inter na Serie A pois um ano na Serie B teria sido prejudicial financeiramente.

A FIGC salva a Inter algumas semanas antes do inicio da temporada, permitindo-lhes permanecer na Serie A em 1923. O Venezia, que tinha terminado em 3 lugar no grupo B à frente do Inter, foi rebaixado no lugar do Inter. Em 1928, durante a era fascista, o clube foi obrigado a se fundir com a Unione Sportiva Milanese e foi renomeado como Ambrosiana SS Milano.[8] Eles vestiam camisas brancas em torno desta vez com uma cruz vermelha estampada nele.

Este projeto camisa foi inspirada na bandeira e brasão de armas da cidade de Milão, que por sua vez é derivada da bandeira do santo padroeiro de Milão, Santo Ambrósio e remonta ao século IV. O novo presidente programados Oreste Simonotti decidiu mudar o nome do clube para AS Ambrosiana em 1929. Contudo, os torcedores continuou a chamar a equipe "Inter", e em 1931 o novo presidente Pozzani cedeu à pressão dos acionistas e mudou o nome para AS Ambrosiania-Inter.

Sua primeira Copa da Itália foi conquistado na temporada 1938-39, liderada pela grande lenda Giuseppe Meazza, o qual o é nome oficial do estádio San Siro. Em 1939-40 foi conquistado o quinto scudetto italiano, sendo até então bicampeão seguido da Serie A, em 1937-38 e 1939-40, apesar de uma lesão de Giuseppe Meazza. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, o clube ressurgiu com a volta do nome original, Football Club Internazionale.

1950–1990: Grande Inter[editar | editar código-fonte]

Internazionale venceu a Copa Intercontinental e a Liga dos Campeões em 1964-65.

Após a guerra, a Internazionale venceu o seu sexto scudetto na temporada 1952-53 e o sétimo em 1953-54. Na sequência destes títulos, a Inter estava em seus melhores anos de sua história, carinhosamente conhecido como a era da Grande Inter (Grande Inter). Durante este período, com Helenio Herrera como treinador, o clube ganhou 3 scudettos nas temporadas 1962-63, 1964-65 e 1965-66.

Um dos momentos que ficou conhecida durante esta década também incluem a conquista da Inter na Copa dos Campeões de 1963-64, vencendo o Real Madrid no estádio Praterstadion em Viena. Na temporada seguinte, jogando em seu estádio, o Giuseppe Meazza, eles derrotaram duas vezes o Benfica, se sagrando então campeões da Copa dos Campeões de 1964-65.

Em 1967 o clube oficializou definitivamente seu nome como Football Club Internazionale Milano, que tem mantido desde então. Após a era de ouro da década de 1960, a Inter conseguiu vencer o seu décimo primeiro scudetto em 1970-71 e sua décima segunda em 1979-80. A Inter foi derrotado pela segunda vez em cinco anos, na final da Copa dos Campeões de 1971-72, perdendo por 2-0 para o Ajax do lendário Johan Cruijff. Durante os anos de 1970 e 1980, a Inter também ganhou dois títulos da Copa da Itália em 1977-78 e 1981-82.

Liderado pela dupla alemã Andreas Brehme e Lothar Matthäus, e pelo argentino Ramón Díaz, a Inter conquistou a Serie A na temporada 1988-89 sob o comando de Giovanni Trapattoni.

Década de 1990: Tempos difíceis[editar | editar código-fonte]

Os anos 1990 foram um período de desilusão para o clube. Embora seus grandes rivais Milan e Juventus conseguirem alcançar o sucesso, tanto na Itália como na europa, a Inter ficou para trás, com algumas posições medíocres na classificação, o pior acaba por ser em 1993-94, quando eles terminaram com apenas 1 ponto do rebaixamento. No entanto, eles conseguiram algum sucesso europeu naquela década, conquistando três títulos da Copa da UEFA em 1990-91, 1993-94 e 1997-98.

Com a chegada de Massimo Moratti e de Ernesto Pellegrini em 1995, foi prometido a Inter, contratações de alto nível, como Ronaldo, Christian Vieri e Hernán Crespo. Moratti até provou ter feito contratações de alto nivel pagando 19,5 milhões por Ronaldo do Barcelona 1997 e 31 milhões por Christian Vieri da Lazio, em 1999.

No entanto, a década de 1990 manteve-se uma década da decepção, a última década e é única na história da Inter em que não conseguiu vencer a Serie A. Para os torcedores da Inter, era difícil identificar quem, em particular poderia ser a culpa por estes tempos conturbados e isso levou a algumas relações complicadas entre o presidente, dirigentes e até mesmo alguns jogadores individualmente.

O presidente da Inter, Massimo Moratti, mais tarde se tornou um alvo para os torcedores, especialmente quando ele demitiu muito amado treinador Luigi Simoni depois de apenas alguns jogos na temporada 1998-99, depois de ter acabado de receber a concessão de treinador, Massimo Moratti decidiu encerrar seu contrato. Na temporada 1998-99 a Inter não conseguiu a qualificação para qualquer competição europeia pela primeira vez em quase 10 anos, terminando apenas em um oitavo lugar.

Mesmo prejudicado por lesões, Ronaldo foi um dos maiores ídolos e ícones da Inter no final do século XX. Porém, acabou brigado com a torcida nerazzurra.

Na temporada 1999-00, Massimo Moratti fez algumas mudanças importantes, mais uma vez com algumas contratações de alto nivel. Uma grande cartada para a Inter foi a nomeação do ex-treinador da Juventus, Marcello Lippi. A Inter acertou as contratações de lendas, o italiano Angelo Peruzzi e o francês Laurent Blanc, juntamente com outros ex-jogadores da Juventus como Christian Vieri e Vladimir Jugović. A Inter também levou uma vantagem nesta temporada, eles não tinham nenhum outro campeonato além da Serie A. Mais uma vez eles não conseguiram ganhar o Scudetto. No entanto, eles conseguiram chegar perto de seu primeiro sucesso nacional desde 1989, quando chegaram a final da Copa da Itália apenas para ser derrotado pela Lazio permitindo-lhes ganhar a Copa da Itália eo Scudetto.

2000–2005: Domínio do rival[editar | editar código-fonte]

Na temporada seguinte, mais desastre. A Inter impressionou na partida partida da Supercopa da Itália contra a Lazio e abriram o placar com o recém-contratado Robbie Keane - no entanto, perderam 4-3. Porém, eles estavam procurando boas atuações para a temporada que estava prestes a começar, mas o que se conseguiu foi outro constrangimento, eles foram eliminados na fase preliminar da Liga dos Campeões pelo clube sueco Helsingborgs. Foi dada a oportunidade a Álvaro Recoba bater um pênalti no último minuto, mas o goleiro defendeu a cobrança. Marcello Lippi, o treinador na época, foi demitido depois de apenas um único jogo da nova temporada na derrota para a Reggina.

Durante esse período, a Inter sofreu com seu vizinho de Milão, o Milan que estava tendo um período de sucesso, tanto na Itália como na Europa. Eles também pareciam estar sofrendo de uma série de derrotas que não terminava nas mãos de seus rivais de cidade, incluindo uma derrota de 0-6 na temporada 2000-01 - "pior" resultado da história jogando em casa. Marco Tardelli, escolhido para substituir Lippi, não conseguiu melhorar os resultados, e é lembrado pelos torcedores da Inter como o treinador que perdeu esta partida. Outros membros da equipe Inter durante este período que sofreu foram os gostos de Christian Vieri e Fabio Cannavaro, ambos os quais tiveram seus restaurantes em Milão vandalizados após a derrota para o Milan.

Javier Zanetti é o jogador que mais defendeu a camisa dos Nerazzurri.

Protestos de torcedores da Inter durante todo este período variou de vandalismo, a bandeiras no estádio criticando alguns jogadores. Em alguns casos, os torcedores deixaram a Curva Nord, uma seção do estádio que estava vazia durante partidas inteiras. Na Copa UEFA de 2001-02, a Inter conseguiu chegar nas semifinais, junto com o rival de cidade Milan mas ambos perderam suas partidas, que na final terminaria com vitória do Feyenoord sobre o Borussia Dortmund.

Em 2002-03 a Inter conseguiu um segundo lugar respeitável atrás apenas da Juventus e também conseguiu chegar as semifinais Liga dos Campeões de 2002-03, contra o Milan. Embora eles terminaram o jogo empatado no total de 1-1 com o Milan, mas a Inter perdeu na regra de gols fora de casa, apesar de que os dois jogos foram disputados no mesmo estádio. Foi outra decepção, mas finalmente a equipe estava no caminho certo.

No entanto, mais uma vez impaciência de Massimo Moratti, fez com que Hernán Crespo foi vendido depois de apenas uma temporada e Héctor Cúper foi despedido apenas alguns jogos depois. Alberto Zaccheroni foi contratado, torcedor da Inter ao longo da vida, mas também o homem que tinha sido encarregado da vitória de 4-2 da Lazio ao em 2002. Zaccheroni trouxe nada de novo para a Inter, além de duas vitórias fantásticas sobre a Juventus de 3-1 no estádio Olímpico de Turim e 3-2 no Giuseppe Meazza e a temporada foi, novamente, nada de especial. Eles foram eliminados da Liga dos Campeões na primeira fase, depois de terminar em 3 lugar na fase de grupos. A Inter se reforçou na temporada 2003-04 foi a chegada de Adriano e Dejan Stanković em janeiro de 2004, ambos jogadores supriram as saídas de Hernán Crespo e Clarence Seedorf.

2005–2009: Ressurgimento e o domínio[editar | editar código-fonte]

Em 15 de junho de 2005, a Internazionale venceu a Copa da Itália, derrotando a Roma na final de ida e volta por 3-0 no resultado agregado, vitória por 1-0 em Milão e 2-0 em Roma e seguiu-se a 20 de agosto de 2005, vencendo a Supercopa da Itália por 1-0 na prorrogação contra a campeão da Serie A 2004-05, a Juventus. A Supercopa da Itália foi a segunda da Inter que não conquistava a competição desde 1989, coincidentemente no mesmo ano desde a última Inter venceu o "scudetto" antes de 2006. Em 11 de maio de 2006, a Inter conseguiu novamente o troféu Copa da Itália por mais uma vez, ao derrotar a Roma com uma vitória de 4-1 no resultado agregado, em Roma 1-1, e uma vitória por 3-1 no Giuseppe Meazza.

O sueco Zlatan Ibrahimović veio da rival Juventus, brilhou nos três anos em que ficou, ganhando nos três o que Ronaldo e Vieri não conseguiram: o scudetto.

A Inter ganhou a Serie A 2005-06, a equipe terminou em 3 lugar, mas com pontos foram retiradas de Juventus e Milan - ambos os lados estarem envolvidos no escândalo de manipulação de resultados esse ano. Em 14 de julho de 2006, o Recurso Comissão Federal determinou que Juventus, Lazio, Fiorentina, Reggina e Milan culpado de manipulação de resultados e punidos os cinco clubes envolvidos. Como resultado, com o rebaixamento da Juventus à Serie B e da redução de 8 pontos para os rivais da cidade de Milão, a Inter tornou-se favorita para manter o título da Serie A, da temporada Serie A 2006-07.

Durante a temporada, a Inter conseguiu um recorde de 17 vitórias consecutivas na Serie A, a partir de 25 de setembro de 2006 com uma vitória de 4-1 sobre o Livorno e terminou em 28 de fevereiro de 2007 após um empate 1-1 em casa com a Udinese. A vitória fora de casa por 5-2 contra o Catania em 25 de fevereiro de 2007 quebrou o recorde original de 15 partidas realizadas sem perder, conseguidas por Bayern Munique e Real Madrid, a partir do "Big 5", os cinco principais campeonatos da europa, o da Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha e França. Durou quase cinco meses e está entre os melhores do campeonato europeu de futebol, apenas o Benfica com 29 vitórias, Celtic com 25 vitórias e o PSV com 22 vitórias, mas todos fora do "Big 5".

Em 22 de abril de 2007, a Inter foi ganhou a coroa de campeão da Serie A 2006-07, pela segunda temporada consecutiva depois de derrotar o Siena por 2-1 no estádio Artemio Franchi. Com dois gols do zagueiro Marco Materazzi nos 18 e 60 minutos de jogo. A Inter começou a temporada 2007-08, com o objetivo de ganhar tanto a Serie A 2007-08 e a Liga dos Campeões de 2007-08. O time começou bem no campeonato, liderando a tabela da primeira rodada de jogos, e também conseguiu se classificar para a fase eliminatória da Liga dos Campeões, no entanto, veio o colapso devido a uma derrota por 2-0 para o Liverpool, em 19 de fevereiro na Liga dos Campeões de 2007-08, colocou em questão o futuro de Roberto Mancini na Inter, e de forma dramática o time não conseguir vencer os próximos três jogos da Serie A, empatando o jogo contra a Sampdoria, e a Roma, antes de perder fora para o Napoli, sua primeira derrota da temporada nacional. Após ser eliminado pelo Liverpool na Liga dos Campeões, o técnico Mancini anunciou sua intenção de deixar o seu emprego, mas mudou de idéia no dia seguinte.

José Mourinho reconduziu a Internazionale ao título da Liga dos Campeões da UEFA, após quase meio século de jejum.

Uma melhoria dos resultados, em seguida, deu a chance da Inter consquistar antecipadamente o Scudetto por duas vezes, mas uma derrota para o rival Milan e um empate em casa contra o Siena deixou a Roma apenas um ponto da Inter na rodada final da Serie A 2007-08. A Inter, em seguida, conseguiu vencer em Parma, graças a dois gols do atacante sueco Zlatan Ibrahimović, que ainda estava se recuperando de uma lesão no joelho e saiu do banco para marcar para a sua equipe.

Após esta vitória, o clube decidiu demitir Mancini em 29 de maio, citando suas declarações após a derrota para o Liverpool como a razão.[9] Em 2 de junho a Inter anunciou em seu site oficial que tinha contratado o treinador do Chelsea, José Mourinho como novo treinador do clube de Milão, e a chegada de Giuseppe Baresi para ser seu assistente. Isso fez Mourinho, o único treinador estrangeiro na Itália na temporada 2008-09.[10] Mourinho fez apenas três contratações durante a janela de transferências do verão de 2008, o brasileiro Mancini,[11] o ganês Sulley Muntari,[12] e o português Ricardo Quaresma.[13]

Na primeira temporada com Mourinho no comando da Inter, os "nerazzurri" venceram a Supercopa da Itália e o quarto título consecutivo da Serie A, sendo, no entanto, também eliminado da Liga dos Campeões nas oitavas-de-finais a terceira consecutiva, perdendo para o até então atual campeão Manchester United. Ao vencer o campeonato pela quarta vez consecutiva, a Internazionale e a Juventus se tornaram os únicos times a conquistar tal feito, sendo a Inter a primeiro a realizar essa façanha em mais de 50 anos.

Temporada 2009-2010: A tríplice coroa[editar | editar código-fonte]

Substituto de Ibrahimović, o argentino Diego Milito tornou-se herói logo na primeira temporada: marcou na partida que decidiu a Serie A, na final da Copa da Itália e os dois do título na Liga dos Campeões da UEFA.

Na janela de transferências da temporada 2009-10, Mourinho decidiu contratar jogadores de alto nivel, chegaram os brasileiros Lúcio,[14] e Thiago Motta, o argentino Diego Milito,[15] a troca de Zlatan Ibrahimović para o Barcelona e do Barcelona para a Inter o camaronês Samuel Eto'o e mais 4,5 milhões, após o meio-campista bielorrusso Alyaksandar Hleb ter desistido ser emprestado por uma temporada para a Inter,[16] [17] [18] e o meio-campista neerlandês Wesley Sneijder.[19] Este último seria o grande protagonista da temporada fantástica que estava se iniciando para os Nerazurri.

Em 5 de maio de 2010 a Inter conquista seu sexto título da Copa da Itália, vencendo a Roma por 1 a 0 com gol de Diego Milito. Em 16 de maio de 2010 a Inter bate o Siena por 1 a 0 (gol de Milito) fora de casa pelo Campeonato Italiano e garante seu 18º e 5º Scudetto consecutivo. Em 22 de maio de 2010, após 45 anos, a Inter conquista sua terceira Champions League, com dois gols de Milito na grande final, contra o Bayern Munique. Assim, a Inter conquistou a Tríplice Coroa da temporada, um feito inédito no futebol italiano.

Em 18 de dezembro de 2010, a Inter conquistou a Copa do Mundo de Clubes da FIFA ao vencer o Mazembe, da República Democrática do Congo, por 3 a 0. Os gols foram marcados por Pandev, Eto'o e Biabiany. Essa conquista coroou com chave de ouro o brilhante ano da Internazionale.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Torcedores da Inter comemoram o 17° scudetto do time no estádio Giuseppe Meazza.

O estádio da Internazionale é o Giuseppe Meazza também conhecido como San Siro, já que o estádio fica no bairro de San Siro em Milão. A dimensão do campo é de 105 x 68, e sua capacidade atual é para 80,065 espectadores.[2] A construção do estádio começou em 1925, em Milão no bairro chamado San Siro.

Originalmente chamado de "Stadio Comunale", ele acabou sendo renomeado como "Stadio Giuseppe Meazza", em 1979, em honra a Giuseppe Meazza. A idéia de construir um estádio no mesmo distrito como o hipódromo, pertence ao homem que era então o presidente do Milan, Piero Pirelli. Os arquitetos projetaram um estádio apenas para o futebol. A inauguração foi em 19 de setembro de 1926, quando 35,000 espectadores viram a Inter massacrar o Milan por 6-3.

Originalmente, o estádio era de propriedade do Milan. Em 1947 a Internazionale e o Milan tornaram-se inquilinos da Prefeitura de Milão e os dois dividiram o estádio desde então. Embora Giuseppe Meazza ter jogado pela Inter e pelo Milan, ele obteve mais sucesso na Inter e mais reconhecido pelos torcedores da Inter, por isso os torcedores da Inter chamam o estádio de Giuseppe Meazza e os torcedores do Milan de San Siro.

Além de serem utilizados por Inter e Milan, o San Siro foi utilizado na final da Copa dos Campeões de 1964-65 e 1969-70. Já como estádio Giuseppe Meazza recebeu as finais da Copa UEFA de 1990-91, 1993-94, 1994-95 e 1996-97 e da Liga dos Campeões de 2000-01.

O estádio sofreu reformas adicionais para a Copa do Mundo de 1990, o valor da teria sido de $60 milhões, fazendo o estádio receber o título de estádio 5 estrelas segundo a UEFA. Como parte das reformas, uma camada extra está sendo adicionado aos 3 lados do estádio. Isso implicou a construção de 11 torres de concreto do lado de fora do estádio. Quatro dessas torres de concreto localizada na esquina para apoiar um novo telhado que tem vigas em vermelho.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 29 de agosto de 2014. [20]


Legenda:

  • Capitão: Capitão
  • Jogador Lesionado: Jogador lesionado


Goleiros
Jogador
1 Eslovénia Samir Handanovič
30 Argentina Juan Pablo Carrizo
46 Itália Tommaso Berni
' Eslovénia Vid Belec
Defensores
Jogador Pos.
5 Brasil Juan Jesus Z
6 Itália Marco Andreolli Z
14 Argentina Hugo Campagnaro Z
15 Sérvia Nemanja Vidić Z
23 Itália Andrea Ranocchia Capitão Z
54 Gana Isaac Donkor Z
' Gana Ibrahima Mbaye Z
2 Brasil Jonathan LD
33 Itália Danilo D'Ambrosio LD
22 Brasil Dodô LE
55 Japão Yuto Nagatomo LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
13 Colômbia Fredy Guarín V
17 Sérvia Zdravko Kuzmanović V
18 Chile Gary Medel V
20 Nigéria Joel Obi V
44 Sérvia Rene Krhin V
90 França Yann M'Vila V
10 Croácia Mateo Kovačić M
11 Argentina Ricky Álvarez M
88 Brasil Hernanes M
Atacantes
Jogador
7 Argentina Itália Pablo Osvaldo
8 Argentina Rodrigo Palacio
9 Argentina Mauro Icardi
Comissão técnica
Nome Pos.
Itália Walter Mazzarri T


Números aposentados[editar | editar código-fonte]

O clube aposentou os uniformes de número 3 - que pertenceu a Giacinto Facchetti[21] e o 4 - utilizado por Javier Zanetti.[21]

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Capitães[editar | editar código-fonte]

Abaixo está a lista de capitães do Inter desde 1909.

Estatísticas e recordes[editar | editar código-fonte]

Últimas dez temporadas[editar | editar código-fonte]

  • Para visualizar todas as temporadas, clique em anexo.
Football Club Internazionale Milano
Ano Campeonato Italiano Copa da Itália Liga dos Campeões da UEFA Liga Europa da UEFA Supercopa da Itália Outras Competições
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima Fase Máxima
2003-04 A 34 17 8 9 59 37 Semi-final Fase-de-grupos Quartas-de-final
2004-05 A 38 18 18 2 65 37 Campeão Quartas-de-final
2005-06 A 38 23 7 8 68 30 Campeão Quartas-de-final Campeão
2006-07 A 38 30 7 1 80 34 Final Oitavas-de-final Campeão
2007-08 A 38 25 10 3 69 26 Final Oitavas-de-final Final
2008-09 A 38 25 9 4 70 32 Semi-final Oitavas-de-final Campeão
2009-10 A 38 24 10 4 75 34 Campeão Campeão Final
2010-11 A 38 23 7 8 69 42 Campeão Quartas-de-final Campeão Mundial de Clubes: Campeão
Sup. Europeia:
Final
2011-12 A 38 17 7 14 58 55 Quartas-de-final Oitavas-de-final Final
2012-13 A 38 16 6 16 55 57 Semi-final Oitavas-de-final
2013-14 A 38 15 15 8 62 39 Oitavas-de-final



Legenda:
     Campeão.
     Vice-campeão.
     Classificado à Liga dos Campeões da UEFA.
     Classificado à Liga Europa da UEFA.

Recordes[editar | editar código-fonte]

Estatísticas atualizadas em 20 de Maio de 2013. [22]

Títulos [23] [editar | editar código-fonte]

Mundiais
Competição Títulos Temporadas
FIFA Club World Cup.svg Copa do Mundo de Clubes da FIFA 1 2010Cscr-featured.png
Intercontinentais
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental.svg Copa Intercontinental 2 1964 e 1965Cscr-featured.png
Continentais
Competição Títulos Temporadas
Coppacampionivecchia.png Coppacampioni.png Liga dos Campeões da UEFA 3 1963-64Cscr-featured.png, 1964-65 e 2009-10
UEFA Cup (adjusted).png Liga Europa da UEFA 3 1990-91, 1993-94 e 1997-98
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Scudetto.svg Campeonato Italiano 18 1909-10, 1919-20, 1929-30, 1937-38, 1939-40, 1952-53, 1953-54, 1962-63, 1964-65, 1965-66Cscr-featured.png, 1970-71, 1979-80, 1988-89, 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2008-09 e 2009-10
Coccarda Coppa Italia.svg Copa da Itália 7 1938-39Cscr-featured.png, 1977-78Cscr-featured.png, 1981-82, 2004-05Cscr-featured.png, 2005-06Cscr-featured.png, 2009-10Cscr-featured.png e 2010-11Cscr-featured.png
Supercoppaitaliana.png Supercopa da Itália 5 1989Cscr-featured.png, 2005Cscr-featured.png, 2006Cscr-featured.png, 2008Cscr-featured.png e 2010Cscr-featured.png

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Diretoria do clube[editar | editar código-fonte]

Dirigência
Proprietário:
Diretores
  • De acordo com o site oficial. [24]
Presidente: Erick Thohir
Vice Presidente: Javier Zanetti
Presidente Honorário: Massimo Moratti
Diretor: Milly Moratti
Diretor esportivo: Piero Ausilio

Presidentes[editar | editar código-fonte]

A Inter teve vários presidentes ao longo de sua história, alguns dos quais foram os proprietários do clube, outros foram presidentes honorários. Aqui está uma lista completa dos mesmos. [25]

Material esportivo e patrocinadores[editar | editar código-fonte]

Período Material esportivo Período Patrocinador na camisa
1979–1982 Puma 1981–1982 Inno-Hit
1982–1986 Mec Sport 1982–1991 Misura
1986–1988 Le Coq Sportif 1991–1992 FitGar
1988–1991 Uhlsport 1992–1995 Fiorucci
1991–1998 Umbro 1995– Pirelli
1998– Nike

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • Uniforme principal : Camisa com listras verticais em preto e azul, calção e meias pretas;
  • Uniforme alternativo : Camisa branca, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa verde com detalhes verdes;
  • Camisa cinza com detalhes pretos.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes de treino[editar | editar código-fonte]

  • Camisa azul, calção e meias azuis;
  • Camisa preta, calção e meias pretas;
  • Camisa branca, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
3

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2012 - 2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2011 - 2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2010 - 2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2009 - 2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2008 - 2009
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2007 - 2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2006 - 2007
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2005 - 2006
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Na história da Internazionale, 61 treinadores já comandaram a equipe. O primeiro treinador foi Virgilio Fossati e o atual treinador é Andrea Stramaccioni. Helenio Herrera foi o treinador que mais tempo treinou a Internazionale, diriguiu a equipe durante nove anos, sendo oito consecutivos, ele é o treinador mais bem sucedido na história da Inter com três scudettos, duas Copa dos Campeões e dois troféus da Copa Intercontinental.

Referências

Referências

  1. I tifosi Nerazzurri della curva nor - Inter. Página visitada em 7 de novembro de 2009.
  2. a b The stadium - Inter.it. Página visitada em 30 de agosto de 2009.
  3. http://www.iffhs.de/?3d4d443d0b803e8b40384c00205fdcdc3bfcdc0aec70aeedbe1a
  4. http://it.uefa.com/uefachampionsleague/news/newsid=1491258.html
  5. http://www.demos.it/2011/pdf/1942rapporto_demoscoop31_8.09.11.pdf
  6. http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/2010/09/barcelona-possui-maior-torcida-da-europa-real-aparece-em-2-lugar.html
  7. http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-ingles/noticia/2012/02/united-ultrapassa-real-e-vira-clube-com-marca-mais-valiosa-do-mundo.html
  8. Storia - Inter.it. Página visitada em 4 de setembro de 2009.
  9. F.C. Internazionale statement - Inter.it. Página visitada em 29 de maio de 2008.
  10. Nuovo allenatore: Josè Mourinho all'Inter - Inter.it. Página visitada em 2 de junho de 2008.
  11. Official: Inter Sign Mancini - Goal.com. Página visitada em 15 de julho de 2008.
  12. Official: Inter Sign Muntari - Goal.com. Página visitada em 28 de julho de 2008.
  13. Official: Quaresma Joins Inter - Goal.com. Página visitada em 1 de setembro de 2008.
  14. Inter de Milão oficializa contratação de Lúcio - iG Esporte. Página visitada em 20 de julho de 2009.
  15. Thiago Motta é confirmado como novo reforço do Inter de Milão - GloboEsporte. Página visitada em 1 de julho de 2009.
  16. Maior contratação da história do Barça, Ibra leva 50 mil pessoas ao Camp Nou - GloboEsporte. Página visitada em 27 de julho de 2009.
  17. Eto’o assina até 2014 com o Inter - GloboEsporte. Página visitada em 27 de julho de 2009.
  18. Hleb desiste do Internazionale de Milão e pode parar no Stuttgart - GloboEsporte. Página visitada em 29 de julho de 2009.
  19. Real oficializa venda de Sneijder para o Inter. Holandês recebe a camisa 10 - GloboEsporte. Página visitada em 28 de agosto de 2009.
  20. Site oficial. Prima Squadra.
  21. a b Inter aposenta camisa 3 em homenagem a Giacinto Facchetti - UOL Esporte. Página visitada em 8 de setembro de 2006.
  22. Site oficial. Primatisti. Página visitada em 18 de março de 2012.
  23. Site oficial. Palmares. Página visitada em 06 de março de 2012.
  24. http://www.inter.it/it/organigramma
  25. Site oficial. Presidenti. Página visitada em 18 de março de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Barcelona
Copa do Mundo de Clubes
2010
Sucedido por
Barcelona