Pirelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pirelli
Pirelli & C. SpA
Fundação 1872
Fundador(es) Giovanni Battista Pirelli
Sede Milão, Itália
Empregados 29.570 (2009)[1]
Página oficial www.pirelli.com

A Pirelli Spa é uma empresa italiana fundada em Milão em 1872 pelo engenheiro Giovanni Battista Pirelli. O seu atual presidente é o empresário Marco Tronchetti Provera, genro do neto do fundador, Leopoldo Pirelli. É um dos principais grupos econômicos italianos, ativo nos setores de beneficiamento da borracha (pneumáticos, roupas) e imobiliário (com a Pirelli Real Estate).

Histórico[editar | editar código-fonte]

Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

Fundado em Milão, na Itália, em 1872, pelo engenheiro Giovanni Battista Pirelli, o Grupo Pirelli possui uma longa tradição industrial e está hierarquicamente colocado entre os líderes mundiais nos setores em que participa. Com mais de um século de atuação, a Pirelli se tornou uma verdadeira multinacional, firmemente arraigada em diversos mercados do mundo.

A força competitiva do Grupo Pirelli está fundamentada nos alicerces da capacidade tecnológica e de pesquisas, além da qualidade e know-how profissional de seus recursos humanos. A contínua atenção dada a seus clientes levou a Pirelli a consagrar-se pela produção de bens de alta tecnologia e vanguarda, valores identificados com sucesso em todas as bases internacionais da empresa de origem italiana. Inovação e pesquisa são as premissas da marca Pirelli.

Sempre inovando, a Pirelli possui sistema de gerenciamento online integrado, que envolve diversos níveis do negócio, entre eles suprimentos, produção, distribuição e até mesmo vendas. Esta visão panorâmica do negócio permite a criação eficaz de valores. A ênfase na inovação permitiu também o desenvolvimento de novos empreendimentos na área imobiliária, na qual a Pirelli capitaneou grandes iniciativas de desenvolvimento, e no gerenciamento e incremento de valor das propriedades.

Toda esta inovação, novos empreendimentos, novos produtos e gerenciamentos são sempre realizados tendo como preocupação a qualidade de vida, o meio ambiente e o impacto social das ações. A renomada excelência internacional do Grupo representa um compromisso prioritário e sistemático da direção da Empresa. O estilo gerencial do Grupo Pirelli reflete o equilíbrio entre o ser humano e a equipe, a responsabilidade e trabalho pessoal com uma estratégia única firmada por todos. Desde 1964, a empresa é responsável pela produção do tradicional Calendário Pirelli, as mais belas mulheres ilustram o famoso calendário nos pontos mais deslumbrantes do mundo.

A Pirelli no Brasil[editar | editar código-fonte]

Filial da Pirelli no bairro Laranjeiras, no Rio de Janeiro.

Em 1929, a Pirelli começou a escrever sua história no Brasil com a aquisição da Conac, uma pequena fábrica de condutores elétricos instalada na cidade de Santo André, em São Paulo. Ao longo destes 80 anos de história, a Empresa tornou-se sinônimo de pioneirismo, inovação, pesquisa e novas tecnologias.

Em 2005, com a venda da Pirelli Energia Cabos e Sistemas e da Pirelli Telecomunicações Cabos e Sistemas, a Pirelli brasileira direcionou o seu foco para o setor de pneus, por meio da Pirelli Pneus S.A.. Uma das mais importantes Unidades de Negócios do Grupo Pirelli em todo o mundo, a subsidiária brasileira, com seis mil funcionários, registrou faturamento de cerca de R$ 3 bilhões em 2005. O Brasil representa cerca de 20% das vendas globais da Empresa. No mundo, a Pirelli Pneus atua com 24 unidades industriais em 12 países, 3 Centros de Pesquisa e Desenvolvimento, atividades comerciais em mais de 120 países nos 5 continentes e cerca de 24 mil funcionários.

A estrutura da Pirelli brasileira é composta por escritórios comerciais localizados nas principais capitais, a mais ampla rede autorizada de revenda e serviços e cinco fábricas espalhadas pelo país (Gravataí-RS, Campinas-SP, Santo André-SP, Sumaré-SP e Feira de Santana-BA), que produzem pneus para automóveis, camionetas, motos, scooters, bicicletas, caminhões, ônibus, tratores, máquinas agrícolas e veículos pesados voltados para a construção civil e uso industrial.

Fábricas e escritórios[editar | editar código-fonte]

Trata-se da principal indústria de pneus radiais para automóveis e derivados do Grupo na América Latina. Inaugurada em 1953, possui aproximadamente 1.800 funcionários.

Inaugurada em 1940, é a sede da maior fábrica de pneus radiais para caminhões e ônibus do Grupo Pirelli em todo o mundo. A fábrica também possui uma linha de produção de pneus para agricultura, terraplanagem, câmaras e protetores. Emprega cerca de 1800 funcionários.

Na Fábrica baiana são produzidos pneus convencionais para, ônibus, caminhões leves e pesados, além de radiais para automóveis e utilitários esportivos. Anteriormente denominada Cia Pneus Tropical, foi adquirida pela Pirelli em 1986 e possui atualmente 1500 funcionários .

Com 1.800 funcionários, a Unidade tornou-se a maior fábrica de pneus de moto de todo o Grupo em todo o mundo. Sua produção teve início em 1976 e está voltada, principalmente, para a fabricação de pneus para motocicletas, ciclomotores e scooters, além de pneus convencionais para automóveis, camionetas, ônibus, caminhões, veículos industriais e dianteiros para tratores. Em março de 2006, a Pirelli Pneus inaugurou em seu complexo industrial de Gravataí uma nova unidade destinada à produção de pneus Gigante Radial para caminhões e ônibus, ação que gerou 500 novos empregos diretos e indiretos.

Em funcionamento desde 1984, seu foco está voltado para a produção de cordas metálicas utilizadas na produção de pneus radiais (para reforço de carcaças de pneus). Emprega cerca de 200 pessoas.

Staff[editar | editar código-fonte]

O staff da Pirelli Brasil é formado por cerca de 800 funcionários, que atuam na planta de Santo André, nos centros de Montagem (Camaçari, Ibirité e São José dos Pinhais), no armazém (Barueri) e nas regionais de vendas (nove no total: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza, Salvador, Belém, Porto Alegre e Curitiba).

Competições esportivas[editar | editar código-fonte]

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Nick Heidfeld pilotando o TF109 durante testes.

No dia 23 de junho de 2010 a empresa anunciou o fornecimento de pneus para a Fórmula 1 a partir da temporada 2011.[2] Em agosto, o alemão Nick Heidfeld, até então piloto de testes da Mercedes, assinou contrato para testar pela Pirelli durante o desenvolvimento dos pneus.[3] Os primeiros testes foram feitos em Mugello com o modelo TF109 da extinta equipe Toyota.[4]

Em 2011 o piloto brasileiro Lucas di Grassi foi anunciado como piloto de testes.[5]

Em 2012 a empresa anunciou que usaria o Renault R30 para a realização de testes dos compostos dos pneus a serem lançados na temporada de 2013.[6] Para isso, o modelo deve ser adaptado ao regulamento aerodinâmico e técnico da temporada 2012.

Stock Car Brasil[editar | editar código-fonte]

A empresa forneceu pneus para a Stock Car Brasil entre 1979 e 2007, retornando à categoria em 2013, com pneus produzidos na fábrica da Turquia.[7]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pirelli
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.