Anel Rodoviário (Belo Horizonte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
BR-040 MG.svg BR-262 MG.svg BR-381 MG.svg
BR-040, BR-262 e BR-381
Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo
(nome oficial)
"Anel Rodoviário"
Trecho da BR-040 MG.svg BR-040, BR-262 MG.svg BR-262 e BR-381 MG.svg BR-381
Extensão 27 km
Concessão DNIT
< BR-040 MG.svg
BR-040
>
< BR-262 MG.svg
BR-262
>
< BR-381 MG.svg
BR-381
>

Anel Rodoviário é uma via expressa da grande Belo Horizonte[1] , construída nos anos 50 para desafogar o crescente tráfego de carga que passava pelo Centro de Belo Horizonte. Atualmente recebe fluxo diário de 120 mil veículos[2] , concentrando 45,5% dos acidentes registrados pela Polícia Militar Rodoviária (PMRv) na região metropolitana em 2012.[3]

Vista do Anel através de viaduto da avenida Carlos Luz.

Tem aproximadamente 27km de extensão, e se inicia na união das rodovias BR-262 e BR-381, na altura dos bairros Goiânia e Nazaré, na porção oriental de Belo Horizonte. A BR-040 adentra a região metropolitana oriunda de Brasília via bairro Califórnia, a noroeste do centro de Belo Horizonte. O trecho que corresponde a justaposição da BR-262 e da BR-381 segue até a confluência com a BR-040 e com a Avenida Verador Cicero Idelfonso, próximo ao Alto dos Pinheiros. A partir dali a rodovia, correspondendo agora à confluência das 3 BRs, segue até o cruzemento com a Avenida Amazonas, ponto a partir do qual a BR-040 segue sozinha até o fim do Anel, que termina no encontro da BR-040 com a BR-356, no bairro Olhos d'Água. Muitas pessoas chamam o anel somente de BR-262, sendo a referência visível até mesmo em endereços de fabricas próximo ao Olhos d'Água, mesmo em trecho já desvinculado da BR-381 e da BR-262 propriamente dita, que segue justaposta à BR-381 em direção ao bairro Cidade Industrial em Contagem, vindo essas a se desvencilharem somente em viaduto bem avante, já no limite ocidental da cidade de Betim.

O anel cruza algumas das principais vias da cidade, pela ordem: Linha Verde / Cristiano Machado, Antônio Carlos, Catalão, Pedro II, Via Expressa e Avenida Amazonas. Hoje tem o nome formal de "Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo", conforme legislação do Congresso Brasileiro[4] .

E conhecido pelos seus recorrentes acidentes trágicos, frequentes principalmente no trecho de 5 Km entre os bairros Olhos d'Água e Betânia. Com uma média que chega a quase quatro acidentes por dia, foi em tom crítico renomeado pelo apresentador do programa televisivo Mauro Tramonte, em seu programa jornalístico Balanço Geral MG, para "anel terrorviário". Obras de reforma e ampliação do anel estão há muito planejadas, mas encontram-se essas frequentemente suspensas e/ou adiadas em virtude de denúncias de irregularidades no edital e de desvio de verbas junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), órgão federal prioritariamente responsável pela via.

O objetivo principal dessa via é permitir que veículos atravessem a capital sem passarem pelo Centro, da mesma forma que também permite que um habitante do sul chegue mais facilmente do oeste ao norte da cidade, e vice-versa.

Anel Rodoviário de Belo Horizonte e vias afluentes retratados em mapa exibido via navegador de internet Google Chrome versão 12.0.742.112 rodando sobre sistema operacional SuSe Linux 11.1. O Anel rodoviário corresponde ao anel semicircular laranja escuro concêntrico à região central de Belo Horizonte, à direita do mapa. À esquerda no mapa, em laranja também escuro e praticamente na horizontal, a BR-381 e a BR-262, que fluem justapostas até Betim após separação do anel e da BR-040, na altura da interseção com a Avenida Amazonas (o ponto " \lambda " ao centro do mapa acima, ou junto ao marcador vermelho no mapa abaixo, onde as vias aparecem em azul, não em laranja). Embora ainda designada por muitos como "BR-262" até a interseção com a BR-356, doravante é a BR-040 que continua, solitária, a contornar a região central de Belo Horizonte a sudoeste dessa, no trecho entre a interseção com a Avenida Amazonas e a interseção com a BR-356, na altura do bairro Olhos D'água - bairro este conectado ao bairro Belvedere por essa última (pela perna direita do "Y" laranja escuro inferior no mapa). Do Olhos D'água em diante as BRs 040 e 356 se justapõem, abandonando a metrópole em sentido sul, rumo a Congonhas e Ouro Preto. A BR-040, oriunda de Brasília, intercala-se ao anel através da via lateral esquerda (é confluente à BR-135) no "Y" laranja escuro logo acima do " \lambda " no mapa, aquele a esse conectado via "pernas verticais". O anel inicia-se na confluência das BRs 381 e 262 [vias em rosa escuro (mapa acima), ou verde claro (mapa abaixo)], bem à direita nos mapas, na altura do bairro Nazaré (BH), a nordeste da capital. Mapas obtidos via páginas eletrônicas geradas pela OpenStreetMap, sob licença livre.
Anel Rodoviário de Belo Horizonte. Mapa político.

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma rodovia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.