Aslam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aslam
Aslam
Aslam é o único ser presente em todos os livros da série, e é também o criador de Nárnia.
Nome Aslam
Títulos O Grande Leão, O Senhor dos Bosques, Filho do Imperador de Além Mar
Raça Leão
Família Imperador de Além Mar (pai)
Habilidades Sabedoria, Inteligência e Poderes Sobrenaturais
Principais feitos Criou e destruiu Nárnia
Criador C.S.Lewis
Aparições em Livros
O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950)
Príncipe Caspian (1951)
A Viagem do Peregrino da Alvorada (1952)
A Cadeira de Prata (1953)
O Cavalo e seu Menino (1954)
O Sobrinho do Mago (1955)
A Última Batalha (1956)
Aparições na Mídia
1988-1990 BBC: Ronald Pickup (voz)
2005-2008 Disney: Liam Neeson (voz)

Aslam (do original em inglês: Aslan), é um personagem fictício criado pelo autor irlandês C.S.Lewis para a série de livros As Crônicas de Nárnia. Aslam é o único personagem que aparece em todos os livros da série, em alguns livros como personagem central, e em outros como personagem secundário.

Personagem[editar | editar código-fonte]

É um leão-falante, filho do Imperador de Além Mar, que geralmente vive nos bosques de Nárnia (país onde acontecem as aventuras narradas nos livros) e sempre ajuda os narnianos quando estão ameaçados ou com grandes problemas. Apresenta ser um leão muito amoroso, fazendo com que as crianças aproximem-se dele sem medo algum, mas é também muito rígido quando é preciso.

Em cinco livros da série, Aslam aparecia para livrar Nárnia de ameaças e perseguições de tiranos que geralmente usurpavam o trono e castigavam o país; mas para isso usava sua sabedoria, autoridade, e seus magníficos poderes-sobrenaturais. É também relatado que Aslam participava de todas as guerras que ocorriam em Nárnia.

No livro de 1955, O Sobrinho do Mago, é relatado que Aslam foi o criador de Nárnia e responsável pela criação das criaturas fantásticas que habitam em Nárnia, tais como centauros, faunos, gigantes, sereias, dríades, cavalos-alados, grifos, e animais-falantes como texugos, castores, ornitorrincos, leopardos, ratos, ursos, macacos, cachorros, cavalos, entre outros. Do mesmo modo que criou, Aslam foi o responsável pela destruição de Nárnia, onde todas as criaturas boas e fiéis a ele iriam para o paraíso, chamado de País de Aslam.

"Aslam" é uma palavra que provém do turco e quer dizer leão, o animal que Aslam representa. C.S.Lewis buscou inspiração para este nome durante uma visita ao Império Otomano, atual Turquia, quando observou a guarda do sultão que tinha este mesmo nome.

Influência nos livros[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa[editar | editar código-fonte]

Em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (The Lion, the Witch and the Wardrobe), Aslam aparece pela primeira vez aos leitores vindo salvar Nárnia do reinado de cem anos da Feiticeira Branca, que decretou um inverno que congelou todo o país. Aslam ajuda a libertar Edmundo da Feiticeira, e se oferece para morrer em seu lugar para acalmar a Magia Profunda de Nárnia, mesmo sendo humilhado por sua inimiga. A Feiticeira Branca pensou que com isso teria se livrado de Aslam; porém, ela desconhecia uma outra magia mais forte, que dizia que quando um inocente de traição se oferecia no lugar do traidor, a mesa estalaria e a própria morte andaria para trás devolvendo o inocente à vida. Assim, esta é conhecida como "Magia ainda mais profunda de antes da aurora do tempo".

Príncipe Caspian[editar | editar código-fonte]

Em Príncipe Caspian (Prince Caspian), Aslam se revela inicialmente apenas para Lúcia durante a volta dos irmãos Pevensie até Nárnia. Aos demais ele estava invisível e Lúcia precisava convencer a todos de que Aslam estava no meio deles. Por final, ajuda o príncipe Caspian e os irmãos Pevensie a derrotar os telmarinos que conquistaram o país de Nárnia, e abre uma porta no ar para que estes retornem ao lugar de onde vieram.

A Viagem do Peregrino da Alvorada[editar | editar código-fonte]

Em A Viagem do Peregrino da Alvorada (The Voyage of the Dawn Treader), Aslam aparece várias vezes em várias ilhas por onde o navio leva Caspian X na sua busca pelos sete fidalgos. Na ilha em que Eustáquio acaba sendo transformado em um dragão, ele o ajuda a se libertar desta magia arrancando as escamas e dando-lhe um banho. Aslam também aparece inicialmente como um cordeiro no fim do mundo de Nárnia, e leva as crianças de volta ao nosso mundo.

A Cadeira de Prata[editar | editar código-fonte]

Em A Cadeira de Prata (The Silver Chair), Aslam aparece apenas duas vezes logo no início da história, salvando Eustáquio de cair num precipício. Depois de chamar a atenção de Jill Pole, revela para ela o que precisa fazer para que possa ajudar a encontrar o príncipe Rilian que está perdido, pedindo para que ela repita estes sinais várias vezes para que se lembre bem deles. Então sopra Jill para Nárnia, assim como fez com Eustáquio. Porém, Jill acaba quase esquecendo os sinais e perde o momento para vários deles.

Sua segunda aparição acontece depois do retorno de Caspian, o navegador de Nárnia. O rei morre nos braços do filho, o príncipe Rilian. Aslam ressuscita Caspian, levando-o para seu pais. Entretanto Caspian pede para acompanhar Jill e Estáquio para o nosso mundo, e Aslam diz que sim. Apenas por cinco minutos os quatro vão, ficam o tempo pré-destinado, e Aslam e Caspian voltam.

O Cavalo e seu Menino[editar | editar código-fonte]

Em O Cavalo e seu Menino (The Horse and his Boy), Aslam aparece em segundo plano, mas sempre em prol dos personagens Shasta e Aravis durante a jornada deles fugindo da Calormânia. Aslam revela que estava ao lado de Shasta quando ele foi abandonado ainda bebê, quando estava passando ao lado de um abismo e tantas outras situações de perigo que enfrentou.

No fim do livro reaparece no conselho que decidiria o futuro do príncipe calormano. Também transforma Rabadash em um burro, mas não para sempre, senão apenas para a próxima festa da Calormânia. Disse-lhe que ele não deveria se afastar da Calormânia jamais, porque senão voltaria a ser um burro.

O Sobrinho do Mago[editar | editar código-fonte]

Em O Sobrinho do Mago (The Magician's Nephew), Aslam mostra que é bastante poderoso, sendo ele o criador do mundo de Nárnia e de tantos outros. Digory Kirke, Polly Plummer, Tio André, a Feiticeira Branca, o cavalo e o cocheiro, o encontram bem no momento em que passeava por Nárnia criando todas as coisas desse mundo através de sua canção. A Feiticeira Branca conhece seu opositor, que iria combater anos mais tarde. Aslam então manda Digory e Polly para buscar uma fruta, e dá asas ao cavalo, e o nomeia de Pluma. Após trazerem a maçã, Aslam explica coisas importantes para eles. Depois dá a maçã aos meninos, e os manda para casa, falando que não devem voltar para Nárnia.

A Última Batalha[editar | editar código-fonte]

Em A Última Batalha (The Last Battle), Aslam decreta o fim de Nárnia e mostra seu poder para também destruir e julgar os mundos que cria. O burro Confuso se passa por Aslam vestindo uma pele de leão encontrada pelo seu colega que o usa para enganar todo o país. O verdadeiro Aslam aparece apenas para decretar o fim e para julgar quais criaturas levaria para a Verdadeira Nárnia. As criaturas escolhidas, que incluem o calormano Emeth, são guiadas para um lugar muito alto indicado por Aslam, onde podem encontrar pessoas e criaturas de todas as épocas citadas ao longo de todos os livros.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Poderes e Habilidades[editar | editar código-fonte]

Aslam, interpretado como uma forma narniana de Jesus, é o ser sobrenatural mais poderoso de todo universo das Crônicas de Nárnia. Ele é um ser imortal com uma vasta gama de sabedoria e de conhecimento sobre o universo e seres vivos em volta dele, tornando-o onisciente.

Além de sua alta inteligência, Aslam é o criador do mundo de Nárnia, e também mostrou ao longo dos livros vários outros poderes místicos, como:

  • Controle dos elementos clássicos;
  • Capacidade de dar vida/movimentos a seres inanimados;
  • Dom de dispersar magia e ilusões;
  • Transmutação da matéria;
  • Viagem interdimensional (sendo que, neste caso, Aslam afirma que ele existe no mundo humano, mas com forma e nome diferentes).

Interpretações Cristãs e alusões a Jesus Cristo[editar | editar código-fonte]

C.S. Lewis afirmou ser uma coincidência admirável que Jesus seja recorrentemente chamado na Bíblia de "O leão de Judá".

Segundo muitos leitores e cristãos, Aslam é uma alegoria para Jesus, pois os valores e atos praticados por Aslam são semelhantes ao de Cristo.

Refere-se a Aslam também como filho do Imperador de Além Mar, este que faria o papel de Deus, reforçando o papel de Aslam como Cristo. O autor diz que Aslam é uma visão alternativa de Cristo, e mostra que esta seria supostamente uma forma que Jesus assumiria se fosse até um país fantástico como Nárnia. Por isso quase sempre o que Aslam faz ou diz ao longo das histórias, possui paralelos cristãos.

Em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, Aslam sacrifica-se no lugar de Edmundo Pevensie para livrá-lo da morte, o que assemelha-se com o sacrifício de Jesus no Calvário para nos libertar da morte (o Inferno).

Aslam também é criador de Nárnia como é narrado em O Sobrinho do Mago, criando toda a terra através de seu canto. De certa forma esta posição de criador para Aslam não é conflitante com a visão de criação do Gênesis, pois pela visão do Novo Testamento, Jesus também tomou parte na criação.

Outra possível referência cristã é a sua transfiguração em cordeiro no livro A viagem do Peregrino da Alvorada,[1] também uma referência a Jesus Cristo, como descrito em Apocalipse 7:10: "Salvação ao nosso Deus, que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro". Curiosamente essa forma se mostra no País de Aslam, com o qual podemos estabelecer um paralelo com o Paraíso, onde Jesus é constantemente declarado como "o Cordeiro", conforme é descrito no Apocalipse.

Já em A Última Batalha, as semelhanças bíblicas são ainda maiores. Já no início do livro, vemos o que seria o Anti-Cristo, representado pelo jumento Confuso, influenciado pelo macaco Manhoso. Depois da destruição de Nárnia, Aslam cria a Verdadeira Nárnia e leva as criaturas boas para lá, o que nos lembra do Apocalipse em que Jesus virá e levará os justos para o céu (a Nova Jerusalém), o paraíso.

Retratos na Mídia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. LEWIS, C.S. As Crônicas de Nárnia: volume único.2 ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.p. 513-514.
Ícone de esboço Este artigo sobre As Crônicas de Nárnia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.