Bakongos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa étnico de Angola em 1970 (Área dos Bakongo marcada a branco)

Os Bakongos[1] ou bacongos[2] são um grupo étnico banto que vive numa larga faixa ao longo da costa atlântica de África, desde o Sul do Gabão até às províncias angolanas do Zaire e do Uíge, passando pela República do Congo, pelo exclave de Cabinda e pela República Democrática do Congo. Em Angola são o terceiro maior grupo étnico.

História[editar | editar código-fonte]

Os Bakongos, cuja língua é o kikongo, ocupavam o vale do rio Congo em meados do século XIII, e formaram o reino do Kongo que até à chegada dos portugueses, no fim do século XV, era um reino forte e unificado, cuja capital M´banza Kongo, ficava na actual província angolana do Zaire.

Durante a guerra colonial, muitos Bakongo fugiram para o então Zaire, levando a que esta etnia diminuiu consideravelmente em solo angolano. No entanto após a independência de Angola, muitos refugiados (ou seus filhos e netos) retornaram ao solo angolano. Mesmo assim, não se chegou mais a atingir os valores demográficos de 1960, quando os Bakongo representavam 13,5% da população angolana, contra os actuais 8,5% (estimativa). Importa salientar que os regressados do Zaire (hoje República Democrática do Congo muitas vezes não voltaram a fixar-se no seu habitat original, mas foram viver nas grandes cidades - sobre tudo em Luanda, mas também mais a Sul, inclusive no Lubango [1] .

A nível político, a FNLA podia ser considerada como representando de certo modo os Bakongo angolanos, durante a luta pela independência e a primeira parte da guerra civil em Angola. Depois das eleições parlamentares de 1992, de 2008 e de 2012, a FNLA desempenha este papel de maneira apenas residual. Ao mesmo tempo, houve a fundação, por iniciativa de grupos bakongo, de um leque considerável de partidos políticos sem expressão numérica significativa.

Referências

  1. a b Elikia M'Bokolo. África Negra: História e civilizações. Lisboa: Vulgata, 2003. vol. I, Até ao século XVIII.. Lisboa: Colibri, 2007. vol. II, Do século XIX aos nossos dias.
  2. Dicionário Houaiss, verbete "Bacongo".

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Karl Laman, The Kongo Uppsala: Alqvist & Wilsells, 1953–1968
Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.