Cavaleiros Kadosh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parte de uma série de artigos sobre
Maçonaria
Maçom
Artigos principais

Maçonaria · Grande Loja · Loja Maçônica · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Lojas Simbólicas · Loja de Perfeição

História

História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·CLIPSAS · SIMPA · União Maçónica Internacional CATENA · C.I.MA.S.

O Cavaleiro Kadosh é um Grau Maçônico ou cerimónia de iniciação realizado por certos ramos do Antigo e Aceito Rito Escocês da Maçonaria. É o Trigésimo grau da Jurisdição Sul do Rito Escocês para os Estados Unidos da América[1] , para o Antigo e Aceito Rito Escocês da Maçonaria do Canadá[2] . A Jurisdição Norte Maçônica do Rito Escocês, no momento, não conferem um grau intitulado "Cavaleiro Kadosh". Em vez disso, o seu Trigésimo Grau, é intitulado como "Grande Inspetor"[3] .

O termo "Kadosh", é derivado da palavra em hebraico "קדוש", que significa sagrado ou consagrado[4] . "Kadosh" e "Cavaleiro Kadosh" é frequentemente, abreviado em documentos ou siglas maçônicas, como "K--H.'.[5] e "K.'.K.'.D.'.H".[6]

História[editar | editar código-fonte]

O retrato mais antigo gravado de um "Cavaleiro Kadosh",no seu Grau, pode ser vinculado no Conselho de Imperadores do Oriente e do Ocidente em 1758. Este conselho, unido em vários graus maçônicos, foi levado a cabo em Paris, no século XVIII, em França.[7] [8] . O "Cavaleiro Kadosh", ou originalmente, "Ilustre e Grande Comendador da Águia Branca e Negra, Grande Eleito Kadosh", fazia parte de um conjunto completo de vinte e cinco graus ou graus regidos por este Conselho. O "Cavaleiro Kadosh" foi o Vigésimo quarto Grau do complemento.[8] [9] .

Em 1801, o primeiro e mais antigo Supremo Conselho do Rito Escocês foi fundado em Charleston, Carolina do Sul. Este órgão aprovou muitos dos graus do Conselho de Imperadores do Oriente e do Ocidente, incluindo o de "Cavaleiro Kadosh". O Grau "Cavaleiro Kadosh", foi adotado como o Grau Trigésimo e foi intitulado simplesmente como "Cavaleiro Kadosh"[8] [10] . O grau recebeu um substancial re-escrita na década de 1850, quando Albert Pike, foi o Grande Comandante da Jurisdição Sul dos Estados Unidos. Além disso, foi revisto em 2000.[11]

Uma forma diferente do grau de Cavaleiro Kadosh, através de um ritual, não de autoria de Pike, foi durante muitos anos realizado em Jurisdição maçônica do norte dos Estados Unidos, com sede em Lexington, Massachusetts. No entanto, nos últimos anos, o Grau de Cavaleiro Kadosh foi descartado por esse órgão totalmente.

Lição do Grau[editar | editar código-fonte]

Como todos os Graus Maçônicos, o Grau de Cavaleiro Kadosh, tenta ensinar ao inicio de uma série de lições de moral pelo uso de alegorias e simbolismo. A descrição oficial da lição retratado no sul da Competência do Rito Escocês para os Estados Unidos da versão americana do Grau de Cavaleiro Kadosh é o seguinte:

"A lição deste Grau é de ser fiéis a nós mesmos, para defender o que é certo e justo em nossas vidas hoje. Crer em Deus, pátria e em nós mesmos."[12]

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

O Grau de Cavaleiro Kadosh é por vezes acusado de ser anticatólica. Na edição de 1918 da Enciclopédia Católica, afirma que, na cerimônia em uso na Jurisdição Sul do Escocês Antigo e Aceito Rito nos Estados Unidos, pretendida ter sido escrita por Albert Pike, a Tiara Papal é pisoteado durante a iniciação.[13] Esta afirmação não aparece em nenhum edições subseqüentes da Enciclopédia Católica, apesar de ter sido repetido pelo Padre William Saunders no Arlington Catholic Herald, em 1996.[14] [15]

Nem a Enciclopédia Católica, nem como conta o Padre Saunders, concorda com o ritual de Pike, que inclui de nenhum maneira, pisar ou golpear um crânio e nenhuma menção de Tiaras Papais.[16]

No livro de Pike, intitulado Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry (Moral e Dogmas do Rito Escocês Antigo e Aceito Rito da Maçonaria), faz menção a hostilidade à Tiara Papal pelos históricos Cavaleiros Templários, quando se discutia o Grau Kadosh;[17] No entanto, este é o comentário de Pike no Grau e não faz parte do Grau em si.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Square compasses.svg

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Freemasons for Dummies, Christopher Hodapp, ISBN 0-7645-9796-5, Hungry Minds Inc, U.S., 2005. pág. 225
  2. [1], accessed Aug 3, 2006
  3. Freemasons for Dummies, Christopher Hodapp, ISBN 0-7645-9796-5, Hungry Minds Inc, U.S., 2005. pág. 227
  4. An Encyclopedia of Freemasonry, Albert G. Mackey, The Masonic History Company, New York, 1917. Vol. 1, p. 378
  5. [2], accessed Aug 3, 2006
  6. A New Encyclopedia of Freemasonry, A.E. Waite, ISBN 0-517-19148-2, University Books, New York, 1970. Vol. 1, p. xx
  7. A New Encyclopedia of Freemasonry, A.E. Waite, ISBN 0-517-19148-2, University Books, New York, 1970. Vol. 1, p. 254
  8. a b c An Encyclopedia of Freemasonry, Albert G. Mackey, The Masonic History Company, New York, 1917. Vol. 1, p. 379
  9. A New Encyclopedia of Freemasonry, A.E. Waite, ISBN 0-517-19148-2, University Books, New York, 1970. Vol. 1, p. 432
  10. A New Encyclopedia of Freemasonry, A.E. Waite, ISBN 0-517-19148-2, University Books, New York, 1970. Vol. 2, p. 412
  11. The Scottish Rite Ritual Monitor and Guide, Arturo de Hoyos, ISBN 0-9708749-2-8, The Supreme Council, 33°, Southern Jurisdiction, First Edition 2007, pág.79-86.
  12. "30º Grau - Cavaleiro Kadosh ou Cavaleiro da Águia Branca e Preto: A lição deste grau, é de ser fiéis a nós mesmos, para defender o que é certo e justo em nossas vidas de hoje. Crer em Deus, pátria e nós mesmos. Não existe um avental, mas a jóia, é uma cruz teutônica de ouro, esmaltada em vermelho, com as letras J '. B.'. M. '. no reverso, e um crânio transluzente por um punhal normalmente com uma lâmina fina quadrada ou triangular no verso." Ancient and Accepted Scottish Rite, Southern Jurisdiction from freemasoninformation.com
  13. "O Kadosh (Trigésimo Grau), pisando a Tiara Papal e da Coroa Real, é destinada para causar uma vingança apenas sobre estes criminosos "elevados" ao assassinato de Molay [128] e "como o apóstolo da verdade e os direitos do Homem "[129], para distribuir a humanidade" da escravidão do despotismo e da escravidão de tirania espiritual "." do artigo Masonry (Freemasonry) em a Enciclopédia Católica.
  14. New Catholic Encyclopedia, 1967 ed, Volume 6, pp 132–139, McGraw-Hill, New York. The most recent edition (2002) não contém qualquer artigo sobre a Maçonaria.
  15. "Quando se atinge o grau 30 da hierarquia Maçônica, chamada de Kadosh, a pessoa que esmaga com seu pé a Tiara Papal e da Coroa Real, e jura para a humanidade livre "da escravidão do despotismo e da escravidão espiritual tirana.' "Catholics and the Freemason 'Religion'" by Father William Saunders, The Arlington Catholic Herald, 9 de Maio, 1996, organizada pela Eternal Word Television Network.
  16. Pike, Albert; The Magnum Opus or Great Work; Kessinger Publishing Co.; ISBN 1-56459-245-6
  17. "Assim, a Ordem dos Cavaleiros do Templo foi na sua origem muito dedicado à causa da oposição à Tiara de Roma"; Albert Pike, Morals and Dogma, 1871, XXX KNIGHT KADOSH