Clivagem (mineralogia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Clivagem em mineralogia é a forma como muitos minerais se quebram seguindo planos relacionados com a estrutura [atômica] interna, paralelos às possíveis faces do cristal que formariam. A clivagem é descrita em cinco modalidades: desde pobre, como na bornite; moderada; boa; perfeita; e proeminente, como nas micas. Os tipos de clivagem são descritos pelo número e direcção dos planos de clivagem.

É uma propriedade física que certos corpos minerais possuem de se quebrarem/dividirem com maior facilidade seguindo planos os quais estão relacionados com suas estruturas atômicas (internas), produzindo superfícies planas reticulares definidas (planos de clivagem/ superfícies de clivagem) e paralelas entre si. A partir desse processo, é possível identificar-se minerais que não estão morfologicamente desenvolvidos. Essa ruptura ocorre na região de maior fraqueza da estrutura cristalina, ou seja, na área em que se encontram átomos com o menor número de ligações. O processo de clivagem, o qual é constante para cada mineral, pode se dar de maneira natural ou por intervenção humana (como no caso da lapidação de gemas).

Tipos de clivagem[editar | editar código-fonte]

1 - Clivagem cúbica ou romboédrica parte em cubos.

Exemplo:Galena


2 - Clivagem laminar, parte em lâminas.

Exemplo:Moscovite

Classificação[editar | editar código-fonte]

A clivagem pode ser classificada quanto:

  • À facilidade com que se produz (sendo fácil ou difícil);
  • À sua qualidade:
  • 1.Clivagem proeminente (excelente)- quando o mineral cliva em um único sentindo segundo superfícies lisas, brilhantes e completamente planas as quais se separam com leves pressões (exs.: micas, calcitas, grafite, etc.);
  • 2.Clivagem muito boa (perfeita)- quando a ruptura ocorre em formas regulares delimitadas por planos de clivagem (exs.: formas cúbicas, como a galite e a haite, formas romboédricas, como a calcite, etc.);
  • 3.Clivagem boa - quando há maior dificuldade para o mineral clivar e formam-se planos de clivagem não tão visíveis e não tão perfeitamente definidos (exs.: feldspato, anfíbolas e piroxenas);
  • 4.Clivagem imperfeita - quando não há uma manifestação nítida da clivagem, apresentando planos de separação, em geral, com uma superfície desigual (exs.: enxofre, cassiterite, apatite, etc.);
  • 5.Clivagem muito imperfeita (inexistente)- quando o mineral não cliva, observando-se, nesses minerais, a fratura (ex.: quartzo).
  • Ao número de direções: clivagem cúbica (ex.: Galena), clivagem octaédrica (ex.: Fluorita), clivagem dodecaédrica (ex.: Esfalerita), clivagem romboédrica (ex.: Clacita), clivagem prismática (ex.: Aragonita) e clivagem pinacóidal ou basal (ex.: Topázio);

Os minerais, em sua maioria, não possuem clivagem. Esta, por sua vez, diferencia-se da fratura a qual ocorre quando o mineral, ao sofrer o impacto, parte-se irregularmente, deixando, dessa maneira, marcas irregulares. Tratando-se da clivagem, essa ocorre de maneira orientada, originando formas tão perfeitas que, em muitos casos, há a impressão de que foram polidas.

Ícone de esboço Este artigo sobre um mineral ou mineraloide é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.