Cloral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Cloral
Alerta sobre risco à saúde
Chloral-2D-skeletal.png Chloral-3D-vdW.png
Nome IUPAC Tricloroetanal
Identificadores
Número CAS 75-87-6
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C2HCl3O
Massa molar 147.388 g/mol
Densidade 1,51 g·cm-3 (20 °C)[1]
Ponto de fusão

-57,5 °C[1]

Ponto de ebulição

97,8 °C[1]

Solubilidade em água forma hidrato de cloral na água
Solubilidade em etanol miscível
Solubilidade em éter dietílico miscível
Solubilidade em clorofórmio miscível
Pressão de vapor 52 hPa (20 °C)[1]
Riscos associados
Frases R R23, R36/37/38
Frases S S7/9

, S26, S45

Compostos relacionados
Compostos relacionados Hidrato de cloral (diol geminal)
Tricloroetanol
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Cloral, também conhecido como tricloroacetaldeído ou tricloroetanal é um haleto orgânico descoberto em 1832 por Justus von Liebig. Em sua forma pura, é um líquido oleoso solúvel em álcool e éter. Em água, reage formando hidrato de cloral, um narcótico notório por seu uso como "drágeas de nocáute" como as de Mickey Finn (também chamado de "gotas nocaute").

O nome "cloral" é uma conjunção dos nome "cloro" e "ál' 'terminação para nome dos aldeídos".


Obtenção[editar | editar código-fonte]

O Cloral é produzido através da cloração do etanol:

4 Cl2 + C2H5OH → C2Cl3HO + 5 HCl

Ou através da cloração do etanal [2] :

3 Cl2 + C2H4O → C2Cl3HO + 3 HCl

Derivados[editar | editar código-fonte]

Ao reagir com o Clorobenzeno, o cloral produz o inseticida DDT.O DDT é o mais eficiente inseticida contra mosquitos transmissores da febre amarela, malária e dengue.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d Registo de Chloral na Base de Dados de Substâncias GESTIS do IFA, accessado em 19 de Outubro de 2007
  2. SAFFIOTI, WALDEMAR; Fundamentos de Química; Companhia Editora Nacional; São Paulo, Brasil; 1968
Ícone de esboço Este artigo sobre um composto orgânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.