Congado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Congado em litografia de Rugendas

O congado é uma manifestação cultural e religiosa de influência africana bem antigo celebrada em algumas regiões do Brasil.

Trata basicamente de três temas em seu enredo: a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário submergida nas águas, e a representação da luta de Carlos Magno contra as invasões mouras.A congada é muito famosa em Brás Pires mg,onde os congos se encontrão na igreja do rosário.

Origem do congado[editar | editar código-fonte]

A lenda de Chico Rei revela que a origem das festas do Congado está ligada à igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Segundo a lenda, Francisco, escravo batizado com o nome de Chico-Rei, era imperador do Congo e veio para Minas Gerais com mais de 400 negros escravos.

Na sofrida viagem, Francisco perdera a mulher e os seus filhos,sobrevivendo apenas um. Chico Rei instalou-se em Vila-Rica, trabalhou nas minas e somando o trabalho de domingos e dias santos, conseguiu realizar a economia necessária para comprar a sua libertação e a do filho,escondendo pó de ouro nos cabelos. Chico Rei dançou na igreja para comemorar a libertação

Posteriormente, obteve a libertação de seus súditos de nação e adquiriram a mina da Encardideira. Casou-se com uma nova rainha e o prestígio do “rei preto” foi crescendo.

Organizaram a irmandade do Rosário e Santa Efigênia e construíram a igreja do alto da santa cruz. Por ocasião da festa dos Reis Magos,em janeiro,e na de Nossa Senhora do Rosário,em outubro, havia grandes solenidades generalizadas com o nome de “Reisados”.

Nestas solenidades, Chico Rei coroado, antes da missa cantada,aparece com a rainha e a corte, vestido de ricos trajes; e seguidos por dançarinos e músicos.

Os batedores, na festa, seguem com Caxambu, pandeiro marimbas, canzás em intensas ladainhas.

O congado também é conhecido como “congada” ou “congo”, um festejo popular religioso afro-brasileiro mesclado com elementos religiosos católicos,com um tipo de dança dramática na coroação do rei do Congo,em cortejo com passos e cantos, onde a música é o “fundo musical” da celebração

É um movimento cultural sincrético,um ritual que envolve danças, cantos, levantamentos de mastros, coroações e cavalgadas, expressos na festa do Rosário plenamente no mês de outubro. São utilizados instrumentos musicais como cuíca, caixa, pandeiro e reco-reco, os congadeiros vão atrás da cavalgada que segue com uma bandeira de Nossa Senhora do Rosário.

Na antiga capela de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos,inaugurada no início do século 17, até ser completada em 1750, foi criada a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, como já citado,para zelar e cuidar das tradições da santa padroeira dos escravos.No fim do festejo coroa-se o rei e a memória de uma cultura afro-brasileira.

O culto[editar | editar código-fonte]

Nossa Senhora do Rosário - Matriz de Pirenópolis

O congado, também chamado de congo ou congada mescla cultos católicos com africanos num movimento sincrético. É uma dança que representa a coroação do rei do Congo, acompanhado de um cortejo compassado, cavalgadas, levantamento de mastros e música. Os instrumentos musicais utilizados são a cuíca, a caixa, o pandeiro, o reco-reco,o cavaquinho,o tarol,o tamboril,a sanfona ou acordeon. Ocorre em várias festividades ao longo do ano, mas especialmente no mês de outubro, na festa de Nossa Senhora do Rosário. O ponto alto da festa é a coroação do rei do Congo.

Na celebração de festas aos santos, onde a aclamação é animada através de danças, com muito batuque de zabumba, há uma hierarquia, onde se destaca o rei, a rainha, os generais, capitães, etc. São divididos em turmas de números variáveis, chamados ternos ou guardas . Os tipos de ternos variam de acordo com sua função ritual na festa e no cortejo: Moçambiques, Catupés, Marujos, Congos, Vilões,contra-danças,ternos femininos e outros.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]