Dermatobia hominis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaDermatobia hominis
mosca-berneira, mosca-varejeira
Dermatobia hominis

Dermatobia hominis
Estado de conservação
Status iucn2.3 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Diptera
Família: Oestridae
Subfamília: Cuterebrinae
Género: Dermatobia
Espécie: D. hominis
Nome binomial
Dermatobia hominis
Linnaeus Jr. in Pallas, 1781
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição
Mapa de distribuição
Larva de H. hominis.

Dermatobia hominis é uma mosca da família Oestridae[1] popularmente conhecida no Brasil como mosca-berneira ou mosca-varajeira, possui forma robusta, com cerca de 12 mm de comprimento, aparelho bucal atrofiado e não funcional, cabeça com a parte superior e olhos marrons, parte ventral castanha, tórax cinza-amarronzado, com manchas longitudinais de cor escura, abdome azul-metálico, asas grandes e castanhas.[2]

Ciclo biológico[editar | editar código-fonte]

As moscas adultas não se alimentam, portanto são de vida livre.[2] somente as larvas tem importância médico-veterinária por necessitarem de hospedeiro para completar o seu desenvolvimento.[3] Assim que emergem da pupa os adultos realizam a cópula.[2] Posteriormente as fêmeas da Dermatobia hominis capturam insetos (inseto forético) em pleno voo e realizam a postura de seus ovos sobre eles.[1] preferencialmente na região abdominal.[4] Colocam de 15 a 20 ovos em cada inseto. e cerca de 400 a 800 em toda sua vida adulta que dura cerca de 7 dias.[2]

Após 6 dias, as larvas de primeiro estágio (L1) já estão formadas.[2] Quando o inseto forético se aproxima de um mamifero para se alimentar ou descansar, as larvas são estimuladas pelo calor do hospedeiro, gás carbônico e odores da pele. Elas saem dos ovos e penetram ativamente na pele do hospedeiro.[2] O berne fica com a parte respiratória (espiraculo) voltada para a parte exterior da pele e com a parte anterior imersa na derme .[2] O tempo de permanecia varia de hospedeiro para hospedeiro. Em humanos o período de parasitismo é de aproximadamente 30 dias, enquanto em bovinos pode chegar a 120 dias. A larva de terceiro estágio abandonam o hopedeiro, caem no chão , onde infiltra-se transformando-se em pupa.[2] Em estágio pupar ficam em média por 42 dias.[5]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.59 no.4 Belo Horizonte Aug. 2007. Geoprocessamento aplicado à observação da sazonalidade das larvas da mosca Dermatobia hominis no município de Seropédica - RJ. Página visitada em 25/10/2009.
  2. a b c d e f g h NEVES. David Pereira. Parasitologia Humana. 10.ed. São Paulo:Atheneu, 2000.
  3. Intervet. Berne - Introdução. Página visitada em 26/10/2009.
  4. CDC. Myiasis (em Inglês). Página visitada em 26/10/2009.
  5. Intervet. Berne - Ciclo evolutivo. Página visitada em 26/10/2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]