Don't Believe the Truth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Don't Believe the Truth
Álbum de estúdio de Oasis
Lançamento 30 de maio de 2005
Gravação Outubro de 2004 – Fevereiro de 2005:
  • Londres, Inglaterra (Metropolis Studios, Olympic Studios, Strangeways Studios, Wheeler End Studios)
  • Los Angeles, Califórnia (Capitol Studios e The Village)
Gênero(s) Rock alternativo
Duração 42:52
Gravadora(s) Big Brother Recordings
Produção Dave Sardy, Noel Gallagher
Cronologia de Oasis
Último
Último
Heathen Chemistry
(2002)
Dig Out Your Soul
(2008)
Próximo
Próximo
Singles de Don't Believe the Truth
  1. "Lyla"
    Lançamento: 16 de maio de 2005
  2. "The Importance of Being Idle"
    Lançamento: 22 de agosto de 2005
  3. "Let There Be Love"
    Lançamento: 28 de novembro de 2005


Don't Believe the Truth é o sexto álbum de estúdio da banda de rock britânica Oasis, lançado em 30 de maio de 2005. O álbum chegou na posição de número 1 no UK Albums Chart, vendendo na primeira semana cerca de pouco menos de 238 mil cópias, sendo o 32º álbum mais vendido rapidamente no Reino Unido. O álbum entrou nas paradas dos Estados Unidos, na posição de número 12, com 65 mil cópias vendidas na primeira semana, sendo o álbum de Oasis que mais vendeu desde 1997, com Be Here Now, embora a sua permanência tenha sido breve nas paradas. Don't Believe the Truth ganhou tripla platina no Reino Unido na primeira semana de 2006 (mais de 900 mil vendas), e vendendo mais de 200 mil cópias nos Estados Unidos.[1] [2]

Cada membro da banda contribuiu para a escrita das canções do álbum, sendo este álbum o primeiro em que todos os direitos foram divididos entre os membros da banda. Em algumas músicas o baixista Gem Archer tocava guitarra, enquanto que Andy Bell e Noel Gallagher contribuíam no baixo em outras canções. Don't Believe the Truth é também o primeiro álbum a apresentar a bateria de Zak Starkey, que entrou substituíndo o baterista de longa data da banda, Alan White.

Liam Gallagher também teve um impacto maior sobre o álbum por suas composições desenvolvidas. Noel afirmou que o álbum é o seu favorito dos últimos 4 álbuns de estúdio, pelo fato de todos os membros terem contribuído para o progresso de Don't Believe the Truth.

A banda embarcou em uma turnê na Astoria de Londres para a Don't Believe the Truth Tour, visitando 26 países e tocando para um público de 3.2 milhões de pessoas em total de 113 ahows. Isso resultou na criação de Lord Don't Slow Me Down, um filme-documentário, mais tarde lançado em DVD.[3] Até o momento, o álbum já vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo.[4]

Gravação[editar | editar código-fonte]

O processo de gravação de Don't Believe the Truth foi prolongado. O álbum originalmente deveria ter sido lançado no outono/verão de 2004, com um início de 3-4 sessões, produzido pela banda Death in Vegas.[5] A gravação finalmente começou após a saída do baterista Alan White do grupo, em janeiro de 2004, no Sawmills Studios, em Cornwall, embora o grupo não estivesse satisfeito com os resultados, como Noel havia dito: "Infelizmente, após um processo gravação, tínhamos decido que nada do que havíamos tocado/gravado durante essas três semanas ainda estava bom, e por causa do compromisso com o Death in Vegas, Richard Fearless e Tim Holmes não conseguiau mais arrumar tempo para dar projeto".[5]

Noel comentou em diversas ocasiões que não havia nenhum problema com o trabalho realizado pelo Death in Vegas, porém, sentiu que as músicas em que eles estavam trabalhando não eram boas o suficiente para se lançar em um álbum, pressentindo que uma pausa seria necessário, para que um novo material pudesse ser composto. Cerca de 10 faixas foram trabalhadas com Death in Vegas,[5] e que, de acordo com Noel, 6 "não eram suficientemente boas para transformá-las de B-sides". Quatro das faixas que eventualmente apareceram no álbum foram trabalhados com a banda, sendo elas: "Turn Up the Sun", "Mucky Fingers", "A Bell Will Ring" e "The Meaning of Soul", embora eles tivessem feito trabalhado adicional para o Oasis e regravado antes de serem lançados.

Após um breve intervalo em que muitas músicas novas, incluindo "Let There Be Love" e "Lyla", parte de "Part of the Queue" foram escritos, com a banda reunindo-se no Wheeler End Studios, com Noel como produtor. A banda realizou essas sessões com o baterista do The Who, Zak Starkey. Em junho de 2004, o Oasis lançou duas novas canções a partir destas sessões, sendo Liam compondo "The Meaning of Soul" e Gem compondo "A Bell Will Ring", em dois shows ao vivo em Poole e no Festival de Glastonbury.

Depois de ouvir os problemas do empresário da banda, Marcus Russell, o produtor americano Dave Sardy expressou interesse em assumir as funções de produção. Sardy entregou as gravações existentes para mixagem e, depois de seu trabalho, foi elogiado pelo grupo, chegando ao Reino Unido para supervisionar novas sessões de gravação no Olympic Studios, em Londres. Essas sessões não duraram muito tempo, visto que Sardy pediu ao grupo que viajasse para Los Angeles para regravar a maioria do álbum lá, já que se sentia mais confortável em um estúdio perto de sua casa. A banda acabou concordando, as sessões de gravação começaram no Capitol Studios em outubro de 2004, com a banda passando 9 semanas pelo local.

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

# Título Escrito por Duração
1. "Turn Up the Sun"   Andy Bell 3:59
2. "Mucky Fingers"   Noel Gallagher 3:56
3. "Lyla"   Noel Gallagher 5:10
4. "Love Like a Bomb"   Liam Gallagher, Gem Archer 2:53
5. "The Importance of Being Idle"   Noel Gallagher 3:40
6. "The Meaning of Soul"   Liam Gallagher 1:43
7. "Guess God Thinks I'm Abel"   Liam Gallagher 3:25
8. "Part of The Queue"   Noel Gallagher 3:48
9. "Keep the Dream Alive"   Andy Bell 5:46
10. "A Bell Will Ring"   Gem Archer 3:08
11. "Let There Be Love"   Noel Gallagher 5:31

Paradas[editar | editar código-fonte]

País/Parada (2005) Melhor
posição
Alemanha (Media Control Charts) 4[6]
Austrália (ARIA Charts)[7] 5
Áustria (Ö3 Austria Top 40)[8] 6
Bélgica (Ultratop 50 Flanders)[9] 16
Bélgica (Ultratop 40 Valônia)[10] 12
Canadá (Canadian Albums Chart)[11] 3
Dinamarca (Hitlisten)[12] 12
Espanha (PROMUSICAE)[13] 9
Finlândia (Suomen virallinen lista)[14] 9
França (SNEP)[15] 5

Referências