Edmundo Pevensie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edmundo Pevensie
Nome Edmundo Pevensie
Títulos Rei Edmundo, o Justo
Raça Humana
Naturalidade Finchley, área metropolitana de Londres, Inglaterra
Família Pedro (irmão), Susana & Lúcia (irmãs), Eustáquio (primo)
Nascimento 1930
Morte 1949
Causa da morte Acidente de trem em Londres
Habilidades Manuseio de espada
Principais feitos Tornou-se rei de Nárnia com seus três irmãos durante a era de ouro
Criador C.S.Lewis
Aparições em Livros
O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950)
Príncipe Caspian (1951)
A Viagem do Peregrino da Alvorada (1952)
O Cavalo e seu Menino (1954)
A Última Batalha (1956)
Aparições na Mídia
1988-1990 BBC: Jonathan R. Scott (jovem) & Charles Ponting (adulto)
2005-2010 Disney / 20th Century Fox: Skandar Keynes (jovem) & Mark Wells (adulto)

Edmund Pevensie (em português traduzido para Edmundo Pevensie), é um personagem criado pelo escritor britânico C.S. Lewis para a série de livros chamada As Crônicas de Nárnia. Ele era descrito como um garoto chato e emburrado, que algumas vezes se mostrava realmente mau.

Em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa, Edmundo é o segundo irmão Pevensie a encontrar Nárnia, ao seguir Lúcia para dentro do guarda-roupa.

Nome[editar | editar código-fonte]

Edmundo (em inglês, Edmund) é um nome derivado do Anglo-Saxão que significa riqueza e protecção.

Pevensey (vocábulo similar a Pevensie), na costa sudeste da Inglaterra, é o lugar de um castelo medieval de figuras importantes na história britânica de diversos pontos. Em Puck of Pook's Hill (1907), de Joseph Rudyard Kipling, um dos personagens refere-se a este lugar como a "Porta da Inglaterra", que é no que literalmente se transforma o guarda-roupa mencionado nos livros de Lewis. O sobrenome "Pevensie" só foi aparecer realmente nas Crônicas na terceira publicação, e no quinto livro da série: A Viagem do Peregrino da Alvorada.

Características[editar | editar código-fonte]

Em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, Edmundo é um garoto emburrado, sempre enfurecido com seu irmão Pedro, que às vezes, ele é até exigente demais com o seu irmão. Edmundo gosta de fazer piadinhas em horas erradas, sempre entristecendo alguém. Há possibilidades de ele ser revoltado assim, por causa da ausência de seu pai, que foi lutar na Segunda Guerra Mundial. Após alguns soldados de Aslam o libertam da Feiticeira Branca, Aslam lhe dá uma lição de moral, e assim, Edmundo muda completamente para melhor, tornando-se mais cooperativo.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Quando Edmundo chega em Nárnia, está com 10-11 anos de idade, o que acontece em O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa. Quando aparece em A Última Batalha, ele já está com 18-19 anos de idade.

O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa[editar | editar código-fonte]

Quando chega em Nárnia, Edmundo encontra a Feiticeira Branca, quem o feitiça com um pouco de manjar turco. Quando os seus outros irmãos entram em Nárnia, ele tenta entregá-los para a Feiticeira esperando ganhar mais manjar turco; mas acaba descobrindo que a feiticeira desejava matar ele e seus irmãos.

Enfeitiçado pelo manjar turco, Edmundo vai inclusivamente para o castelo da Rainha (a Feiticeira Branca) onde é capturado. No final, Edmundo é salvo pelo exército de Aslam que foi libertá-lo antes que fosse morto pela Feiticeira. No final Aslam entrega sua própria vida no lugar de Edmundo para sossegar a Magia Profunda de Nárnia. Porém, Aslam ressucita conforme a Magia Profunda de Antes da Aurora do Tempo, que a Feiticeira não conhecia. Na Batalha de Beruna, Edmundo deu o "troco" na Feiticeira Branca quebrando sua varinha; ele foi ferido, mas curado por Lúcia no final da batalha.

Edmundo foi coroado rei de Nárnia junto com seus outros irmãos recebendo o título de Edmundo, o Justo.

O Cavalo e seu Menino[editar | editar código-fonte]

Edmundo aparece em O Cavalo e seu Menino como um rei adulto que governa Nárnia com suas irmãs Susana e Lúcia na ausência de seu Irmão, o Grande Rei Pedro. Ele aparece na batalha contra os calormanos em Anvar, capital da Arquelândia, comandando o exército narniano ao lado do rei Luna da Arquelândia, Shasta (Cor), Lúcia e o exército arquelandês. Todos eles lutam contra os calormanos comandados por Rabadash. Depois da batalha, os calormanos perdem e se rendem, e saem vitoriosos os narnianos e arquelandeses. Finalmente, Rabadash é convertido em burro por Aslam.

Príncipe Caspian[editar | editar código-fonte]

Edmundo e seus três irmãos voltam a Nárnia para ajudar o príncipe Caspian, que os convocou pela trompa mágica de Susana. Os irmãos Pevensie o ajudam a restituir seu lugar no trono telmarino, ocupado pelo seu tio, o usurpador Miraz. Ao final do livro, Pedro e Susana não voltarão mais à Nárnia, mas Edmundo ainda voltará com Lúcia. Edmundo perde em Nárnia uma lanterna, que era presente de aniversário.

A Viagem do Peregrino da Alvorada[editar | editar código-fonte]

Neste livro, Edmundo volta com Lúcia e seu primo Eustáquio ao navio de Caspian, o Peregrino da Alvorada, com o intuito de resgatar os sete lordes telmarinos que Miraz expulsou em seu reinado. No fim, Aslam revela que Edmundo e Lúcia, já um pouco grandinhos, não voltarão à Nárnia, pois precisavam conhecer o leão em seu próprio mundo.

A Última Batalha[editar | editar código-fonte]

No último livro das Crônicas, após morrer num acidente de trem, Edmundo reaparece na verdadeira Nárnia para entrar no País de Aslam, junto com seus irmãos (exceto Susana) e os outros reis e amigos de Nárnia. E como o escritor diz: "aí começaram as verdadeiras aventuras".

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Interpretações[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]