Educação na África do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Educação na África do Sul
UCT Upper Campus landscape view.jpg
Responsável

Recursos nacionais para educação ()
Alfabetização ()  %
PISA 
Leitura
Matemática
Ciência



Diplomas
 • Educação secundária
 • Educação superior


Proporção Aluno x Professor ()
 • Educação primária
 • Educação secundária


A educação na África do Sul é a segunda melhor do continente africano, perdendo apenas para a Líbia. O ensino é obrigatório para os brancos, mestiços e asiáticos dos sete aos 16 anos e para os negros de sete a 11 anos. Há 12 escolas vocacionais e 23 universidades. Em 1991, com o processo de eliminação do apartheid, as escolas foram autorizadas a receber alunos de todas as raças.[1]

As principais universidades da África do Sul são: a Universidade do Cabo Ocidental (Cidade do Cabo), a Universidade da Cidade do Cabo (Cidade do Cabo), a Universidade do Estado Livre (Bloemfontein), a Universidade de Fort Hare (Alice), a Universidade do KwaZulu-Natal (Durban, Pietermaritzburg, Pinetown, Westville), a Universidade do Limpopo (Polokwane, Ga-Rankuwa), a Universidade do Noroeste (Mafikeng, Mankwe, Potchefstroom, Vanderbijlpark), a Universidade de Pretória (Pretória), a Universidade Rhodes (Grahamstown), a Universidade de Stellenbosch (Stellenbosch) e a Universidade do Witwatersrand (Joanesburgo).

Referências

  1. PINTO, Maria Novais; GUIMARÃES, Alberto Passos. Enciclopédia Mirador Internacional: África do Sul'. São Paulo: Encyclopædia Britannica do Brasil Publicações Ltda., 1993. 192 pp. vol. 2. ISBN 85-7026-313-9.

Ver também[editar | editar código-fonte]