Edviges da Polónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Santa Edviges da Polônia
Santa Edviges.
1768-1771. Por Marcello Bacciarelli, atualmente no Castelo Real de Varsóvia
Rainha da Polônia
Nascimento Entre 3 de Outubro de 1373 e 18 de Fevereiro de 1374 em Buda, Reino da Hungria
Morte 17 de julho de 1399 (25 anos) em Cracóvia, Reino da Polônia
Veneração por Igreja Católica
Beatificação 8 de agosto de 1986, Cracóvia, Polônia por Papa João Paulo II
Canonização 8 de junho de 1997, Cracóvia, Polônia por Papa João Paulo II
Principal templo Catedral de Wavel, em Cracóvia, na Polônia
Festa litúrgica 17 de julho
Atribuições Roupas e sapatos reais; avental de rosas
Padroeiro Polônia; rainhas; União Europeia
Gloriole.svg Portal dos Santos

Edviges d'Anjou foi rainha da Polônia a partir de 1384 e grã-duquesa da Lituânia a partir de 1386. Filha de Luís I, rei da Hungria e da Polônia e de Isabel Kotromanic da Bósnia, sucedeu seu pai em 1382 na Polônia, enquanto sua irmã Maria herdou o trono da Hungria[1] . O nome "Edviges" tem várias versões, como Jadvyga em lituano, Jadwiga em polaco, Hedvig em húngaro, Hedwig em alemão ou Hedvigis em latim.

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Embora hoje seja dita "rainha", Edviges foi de fato coroada como "Rei da Polônia" (Hedvigis Rex Poloniæ e não Hedvigis Regina Poloniæ). O gênero masculino do seu título significava que ela era monarca de pleno direito, enquanto que o título de rainha era atribuído às esposas dos reis. Edviges pertencia, portanto, à Casa Real dos Piast, antiga dinastia nativa da Polônia, sendo bisneta de Ladislau I, que reunificou o reino polonês, em 1320[2] .

Como rainha, Edviges teve efetivamente poderes limitados, mas foi muito ativa na gestão política do reino e na vida diplomática e cultural de seu país. Estimulou a tradução para o polonês de muitos textos latinos, aumentando sua difusão entre seus súditos. Pródiga em doações para a construção de hospitais, doou as próprias jóias para financiar a recuperação da Academia de Cracóvia que, no século XIX, passou a se chamar Universidade Jaguelônica, em homenagem à Dinastia Jaguelônica, sucessora dos Piast. Em 1397 Edviges fundou em Cracóvia a primeira Faculdade de Teologia da Polônia.

Casou-se em 18 de fevereiro de 1386 em Cracóvia, com Jogaila, grão-duque da Lituânia que, depois de convertido ao catolicismo, foi batizado como Ladislau II.

Sarcófago de Edviges d'Anjou, rainha da Polônia, na Catedral de Wawel, Cracóvia

Edviges morreu em decorrência de complicações do parto de sua primeira filha, Isabel Bonifácia. A filha também não sobreviveu e a Dieta da Polônia elegeu Jogaila para sucedê-la. Este teve como sucessores os filhos havidos com sua última mulher, Sofia de Halshany, que não tinha ligações com a dinastia Piast, iniciando-se assim a Dinastia Jaguelônica.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Norman Davies (2005). Jadwiga (chapter Jogalia) (em inglês) God's Playground: A History of Poland in Two Volumes, Volume 1 94-96 pp. Oxford University Press. Visitado em April 10, 2012.
  2. Hedvigis Rex Polonie: M. Barański, S. Ciara, M. Kunicki-Goldfinger, Poczet królów i książąt polskich, Warszawa 1997, also Teresa Dunin-Wąsowicz, Dwie Jadwigi (The Two Hedwigs) (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Edviges da Polónia
Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um santo, um beato ou um religioso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]