Estela de Tel Dan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Estela de Tel Dan é uma estela negra de basalto descoberta em um sítio arqueológico durante escavações ao norte de Israel em Tel Dan. A Estela de Tel Dan encontra-se atualmente aos poderes do Museu de Israel, em Jerusalém. Foi esculpida a mando de um rei arameu contendo inscrições em aramaico e em alfabeto aramaico, onde se comemorava uma vitória sobre um reino local, com os seguintes escritos: מלך.ישראל ("Rei de Israel") e ביתדוד ("Casa de Davi"). Não consta a autoria da escrita nesta estela, provavelmente foi o rei de Damasco, Hazael ou um de seus próprios filhos.1

A inscrição desta estela gerou múltiplas teorias entre acadêmicos de várias áreas da ciência, porque as letras transliteradas do original aramaico para o hebraico (ביתדוד, BYT DWD, Beth David, "Casa de Davi") podem estar se referindo a linhagem de Davi. Até a data da descoberta era a primeira vez em que o nome de um rei de Israel, Davi, tem sido reconhecido entre os epigrafistas, historiadores e arqueólogos. As opiniões teóricas finais do consenso entre os acadêmicos e arqueólogos epigrafistas é que os três fragmentos é uma referência ao Rei Davi,2 sucessor do Rei Saul e pai do Rei Salomão, reis da primerira monarquia israelita segundo os livros I e II Samuel e I e II Reis, contidos no Tanakh dos judeus ou no Antigo Testamento da Bíblia Cristã.

Esta estela faz parte de estudos de uma nova ciência social,3 a arqueologia bíblica.

Descobrimento[editar | editar código-fonte]

Avraham Biran

O primeiro fragmento "A" foi descoberto no mês de julho de 1993, e o segundo e terceiro fragmentos, o "B1" E "B2", que encaixavam no primeiro fragmento foram encontrados no ano seguinte. Este encaixe é meio incerto e muito discutido, mas se o ajuste estiver correto, então essas peças eram originalmente formadas lado a lado, conforme mostra a figura no final deste artigo.

O autor da descoberta desta estela foi o israelense Avraham Biran, que liderava uma equipe de estudiosos em Tel Dan,1 4 5 6 uma colina artificial na parte setentrional do moderno Israel. As escavações deste maior sítio arqueológico escavado em Israel começou no ano de 1966 e terminou no ano de 1994.7

Possível autoria[editar | editar código-fonte]

Não há assinatura do autor da inscrição em nenhum dos 3 fragmentos da estela. O mais provável, segundo a maioria dos acadêmicos, é que o autor seja Hazael, rei de Damasco, ou um de seus filhos, Bar Hadad II ou Bar Hadad III, que foram reis de Damasco e inimigos do reino de Israel. Esta afirmação é plausíva, devido à linguagem em que a estela foi escrita, pelas circunstâncias, pela data e principalmente pelo local.

Datação segundo pesquisadores[editar | editar código-fonte]

Esta inscrição foi datada, segundo os pesquisadores, nos sérculo IX e VIII antes da era cristã. A limitação do século VIII a.C é determinada pela camada de destruição que é identificada como uma bem documentada conquista assíria ocorrida em 733-732 a.C.. A camanda superior do sítio arqueológico de Tel Dan, que estava sob a camanda em que os fragmentos da estela foram encontrados, deixou evidenciado que nesta camanda inferior fora o lugar onde a estela foi erguida, e em seguida, quebrada em pedaços posteriormente pelos assírios ou pelos próprios hebreus, dando lugar a uma camada superior.

Texto da estela transliterado do aramaico para o alfabeto hebraico[editar | editar código-fonte]

1.[ ]א]מר.ע[ ]וגזר ]

2.[ ]אבי.יסק[.עלוה.בה]תלחמה.בא--- ]

3.וישכב.אבי.יהך.אל[.אבהו]ה.ויעל.מלכי[ יש]

4.ראל.קדם.בארק.אבי[.ו]יהלך.הדד[.]א[יתי]

5.אנה.ויהך.הדד.קדמי[.ו]אפק.מן.שבע[ת---]

6.י.מלכי.ואקתל.מל[כן.שב]ען.אסרי.א[לפי.ר]

7.כב.ואלפי.פרש.[קתלת.אית.יהו]רם.בר[אחאב.]

8.מלך.ישראל.וקתל[ת.אית.אחז]יהו.בר[יהורם.מל]

9.ך.ביתדוד.ואשם.[אית.קרית.הם.חרבת.ואהפך.א]

10.ית.ארק.הם.ל[ישמן ]

11.אחרן.ולה[… ויהוא.מ]

12.לך.על.יש[ראל… ואשם.]

13.מצר.ע[ל. ] 1 8

Tradução do texto acima para o português[editar | editar código-fonte]

1. [.....................].......

[...................................] e cortou

[.........................]

2. [.........] meu pai foi [contra ele quando] ele

lutou em[....]

3. E meu pai deitou-se(morreu), e foi para seus [pais]. E

O rei de I[s-]

4. rael entrou previamente na terra de meu pai. [E]

Hadad me constituiu rei

5. E Hadad foi à minha frente [e] eu parti de

[os] sete[.....]

6. do meu reino, e eu matei [sete]nta rei[s], que

usavam milha[res de car]

7. ros e milhares de cavaleiros (ou cavalos). [Eu matei Jeo]rão filho de [Acabe]

8. Rei de Israel, e eu matei [Acaz]ías, filhos de

[Jeorão re]i

9. Da Casa de Davi. E eu tornei [suas vilas em

ruínas e tornei]

10. sua terra em [desolação........................]

11. outro ...

[........................................................

.................e Jeú gover]

12. nou sobre

Is[rael..................................................

....................e eu pus cerco]

13. sobre

[........................................................

....]1

Observação: A tradução do texto acima é de difícil compreensão para uma pessoa leiga, pois foram perdidas muitas palavras após a destruição da Estela e só foram encontrados 3 fragmentos, dificultando a compreensão. Mas é um texto muito interessante para os historiadores, epigrafistas, arqueólogos e teólogos que conhecem a história oriental.

Possíveis paralelos com o Tanakh ou Velho Testamento Cristão[editar | editar código-fonte]

As inscrições na Estela de Tel Dan podem ser comparadas com alguns acontecimentos registrado no Tanakh dos Judeus ou no Velho Testamento da Bíblia. No Livro II Reis(8:7-15) narra um fato acontecido antes do Rei Hazael de Aram, seu antecessor, em que estava muito doente e logo morre em sua cama.

Também no Livro II Reis(8:28) e II Reis(9:15-16) registra que Jorão de Israel foi estabelecido acima em Jizreel logo após ser ferido em combate em Ramote-Gileade.

Teorias positivistas e negativistas sobre "Casa de Davi"[editar | editar código-fonte]

Tel Dan - Vestígios da Idade do Ferro(Israelita) Portão da Muralha da Cidade

Há duas menção na estela pelo escriba sírio: "Casa de Davi" e "Rei de Israel". Isso é frequentemente citado como prova de apoio para a monarquia Davidica. Porém, os críticos têm opinado e sugerido outras traduções de ביתדוד, geralmente baseando-se no fato de que pode ser pronunciado tanto como Davi e também como Dod("amado" em hebraico) ou formas conexas. A letra Vav(ו) do alfabeto hebraico tem duas funções sonoras: ela pode ser usada para representar a letra "w", um "o" ou "u" breves, ou seja, pode se escrever transliteradamente DWD, DoD ou DuD. Em 1999, Avraham Biran, o israelita que liderou a equipe de escavação da Estela de Tel Dan respondeu aos críticos dizendo: "As consoantes tem suas posições claramente: (beit-yod-tav-dalet-Vav-dalet). Qualquer epigrafista que observar a inscrição, afirmará claramente que é Beth David(Casa de Davi). É mencionado claramente "Rei de Israel", ninguém pode negar isso. Foi escrito por um rei Sírio que diz ter matado um rei de Israel; e afirma ainda que matou um rei da casa de Davi, rei de Judá. Aqueles que negam a evidência "casa de Davi" dizem que a palavra é DOD(que pode ser traduzido para, TIO, AMANTE, OU AMADO; ou mesmo DOAD, que é um grande navio."9 Nas antigas línguas de origem semítica era usado um ponto para dividir palavras compostas, no caso, a expressão "casa de Davi" poderia ter sido escrita como בית • דוד. O sírio responsável pela escrita na Estela de Tel Dan não empregou o divisor para a palavra ביתדוד.

Relato de Anson Rainey[editar | editar código-fonte]

Anson Rainey defendeu a leitura "Casa de Davi", afirmando que: Um divisor de palavras entre dois componentes de uma construção é frequentemente omitido, especialmente se a combinação é de um nome próprio.10

Gary Rendsburg[editar | editar código-fonte]

Rendsburg afirma que a expressão é de origem aramaica; e que os sírios estavam referindo a um estado sírio, dizendo: Pode ser que os sírios estavam designando BYT HUMRI, ou seja, casa de Omri.11

Relato de Philip Davies[editar | editar código-fonte]

"Mas vamos deixar esta ilusão e retornar à crítica das seis letras, BYTDWD, para ver o que realmente pode significar. Evidentemente existem dois elementos verbais aqui, dos quais o primeiro é Beth, casa. Mas a probabilidade é que o segundo elemento termina em um nome de lugar, como Belém (Casa do Pão) tradução correta ou Belém (uma palavra), como é comumente escrito em letras latinas. Também uma minoria significativa considera que a leitura correta e de tradução, Bet Lachmu, (Casa do deus Lachmu), que é um popular (e verificado) deus local. Parece intrinsecamente mais provável que um lugar de nome composto com Beth seria escrito como uma palavra separada, ao invés de uma frase que significa "Casa de Davi", referindo-se a dinastia de Davi. Esse nome pode ser um lugar chamado Beth-DoD (no caso do "w" servindo como vogal rudimentar. Ou mesmo pode ser utilizado para escrever a última sílaba da cidade de Ashdod dos filisteus) ou Bethdaud (apenas com uma pronúncia de uma vogal diferente). Todos esses nomes de lugares são bastante razoáveis sugestões … Existem outras possibilidades … Por exemplo, em uma inscrição contemporânea, a estela Messa ou a pedra moabita, a expressão «R'L DWDH (אראל דודה) aparece . A segunda palavra permanece algo de um enigma. Alguns estudiosos, apesar de uma minoria, traduzem-o como "Davi" e encaram-o como o nome do fundador da dinastia de Judá, heh … Mas no final este sentido é improvável. O dawidum substantivo também é encontrada em um texto cuneiforme de Mari (século 18 a.C.), oferecendo uma outra possível pista, embora o significado deste termo permanece incerto. Na Bíblia, DWD pode significar "amado" ou "tio", e em uma outra tadução (1 Samuel 2:14), significaria "chaleira". Então, uma série de maneiras de compreender DWD se apresentam, a maioria delas muito mais plausível do que se traduzir para "Davi"."12

Resposta de Anson Rainey para Philip Davies[editar | editar código-fonte]

" Em resposta à Davies faço um breve artigo com algumas observações. Davies representa o que ele e um círculo de colegas em afirmar de "descontrucionista", as abordagem das tradições bíblicas. O presente caso serve como exemplo útil do porque Davies e seus amigos "desconstrucionistas" serem ignorados pelos estudiosos da Bíblia e por historiadores de artigos orientais. Davies fez um trocadilho sobre a ausência do divisor entre os componentes BYT(casa) e DWD(Davi). Naveh e Birana13 não explicaram os detalhes da inscrição, talvez porque tinham como certo que os leitores soubessem que um divisor de palavras entre dois componentes de uma tal construção é frequentemente omitido, especialmente se a combinação é bem estabelecida como um nome próprio. Um exemplo bem conhecido de um nome composto de dois componentes é BL'M.BRB'B (Balaão, filho de Beor) na linha 4 da COMBINAÇÃO I da inscrição do Deir'Alla. Há um divisor de palavras entre esses dois componetes: BL'M (Balaâo) . BRB'B (filho de Beor); mas, no entanto, não se encontra um divisor entre BR (filho de) e B,R(Beor). O Patronímico do profeta Balaâo é composto de dois vocábulos. Este vocábulos são semitas na relação sintática conhecida como "construir". O Primeiro está intimamente ligado ao segundo, e assim então levaria o acento em na expressão filho de Beor, no qual não se encontra com o divisor. "A casa de Davi" era certamente um nome político e geográfico; e o primeiro componente BYT (casa), uma construção em forma significativa de (casa de) + o segundo componente DWD(Davi) foi redigida pelo escriba sírio como um nome importante. Não há nenhuma razão para duvidar da exatidão da Leitura (Casa de Davi) "14 15

Argumento de Thomas L. Thompson[editar | editar código-fonte]

Thomas L. Thompson argumentou que, mesmo se pudesse ser comprovados que os termos "Casa de Davi" ou "Casa de Omri" foram usados para descrever os reis de Judá e de Israel naquele tempo, não deveria-se concluir que viu-se a Davi e Omri como antepassados recentes e que tinha fundado dinastias no sentido moderno, outras interpretações da casa como "termo", neste contexo, são possíveis.16

George Athas[editar | editar código-fonte]

George Athas propõe que os três fragmentos foram colocados numa posição errada. Ele argumenta que o fragmento A (maior) deve ser colocado bem acima dos fragmentos B1 e B2 (que se encaixam). Ele também sugere que ביתדוד é realmente uma referência à "casa de Davi", argumentando que é o equivalente em aramaico de "Cidade de Davi". Athas também fornece evidências para a autenticidade dos fragmentos, mas propõe a autoria à Bar Hadad e não ao seu pai, Hazael.17

John T. Willis[editar | editar código-fonte]

"A parte preservanda da inscrição descoberta em Tel Dan é clara e, na sua maior parte, fácil de traduzir. Seu autor é um rei arameu, que está evidentemente comemorando sua vitória sobre o rei de Israel e seu exército. A inscrição(bytdwd⇒ casa de Davi) é porvavelmente uma referência a dinastia de Judá. Até agora, as sugestões é muito menos convincente em que (bytdwd) na linha 9 não signifique (Casa de Davi). Assim sendo, esta descoberta em Tel Dan contém a única referência da Monarquia Davidica fora do Antigo Testamento. Apesar que Puech e Lemaire, também dizer ter encontrado uma escrição (Casa de Davi) na Incrição Mesha (linha 32 lê-se "bt[d]wd"), que data de alguns anos após da Estela de Tel Dan.18

Opiniões minoritárias[editar | editar código-fonte]

A opinião minoritária sobre a inscrição DWD (Davi) é que na verdade é uma referência a Thoth(pronunciada, de acordo comos gregos antigos, como Tut - como em Tutmés), portanto, segundo eles pode se referir a um templo de Thoth. Mas o egiptólogo Kenneth Kitchen assinala que não há nenhum templo de Thoth conhecido na área. Outros acreditam que ביתדוד se refere a uma localização geográfica desconhecida.19

Opiniões de arqueólogos, egiptólogos e epígrafos[editar | editar código-fonte]

Opinião do arqueólogo bíblico e egiptólogo Kenneth Kitchen[editar | editar código-fonte]

"A acusação de falsificação é uma calúnia infundada contra a expedição em Tel Dan, sem uma partícula de fundamento e sem fatos"19

Opinião do arqueólogo William G. Dever[editar | editar código-fonte]

Dever opina: "No lado positivista da controvérsia, a respeito da autenticidade da inscrição, temos agora publicado os pareceres, por maioria dos Líderes epigrafistas em geral (todos eles são trabalhadores do campo, com muita experiência em arquelogia bíblica e nenhum dos quais é de Academia Biblista) sustentam que a inscrição dos meios é exatamente o que se diz: Casa de Davi. No lado negativista, temos a opinião de Thompson,16 Lemche e Cryer da Escola de Copenhagen. Cabe aos leitores escolher."20

Possível combinação dos três fragmentos[editar | editar código-fonte]

Os três fragmentos da Estela de Tel Dan.

A combinação dos 3 fragmentos]]De acordo com a maioria dos acadêmicos, o fragmentos A é colocado à direita, o fragmento B1 fica à esquerda do fragmento A e o fragmento B2 localiza-se logo abaixo do fragmento B1.

Referências

  1. a b c d Estela de Tel Dan: Kchanson(www.kchanson.com/ANCDOCS/westsem/teldan.html) em inglês
  2. No lado positivista da controvérsia, a respeito da autenticideade da inscrição, agora temos publicado pareceres pela maioria dos líderes epigrafistas do mundo(nenhum dos quais é um biblista segundo Thompson): a inscrição significa exatamente o que ela diz segundo diz William Denver, 2004. Páginas 128-129
  3. Biblioteca Virtual da Ciência Social
  4. Biran, Avraham. "Dan bíblica". Jerusalém, Israel Exploration Society, 1994
  5. Biran, Avraham e Naveh, J. "Um fraguemnto aramaico da Estela de Tel Dan". Israel Exploration Journal 43(1993).
  6. Biran, Avraham e Naveh, J. "Novos fragmentos." Israel Exploration Journal 45(1995).
  7. Arqueologia Bíblica 20:04 Edição Julho e Agosto 1994.
  8. Ver tabela do alfabeto aramaico
  9. Biran, Avraham "no Noventa" 25:03 Biblical Archaeology Review setembro / 1999 de outubro
  10. Rainey, Anson F., "The 'House of David' and the House of the Deconstructionists," Biblical Archaeology Review, 20/6 (1994): 47.
  11. Rendsburg, Gary A., "On the Writing ביתדוד in the Aramaic Inscription from Tel Dan," Israel Exploration Journal 45 (1995): 22-25.
  12. Davies, PR 1994. "'House of David' Built on Sand: The Sins of the Biblical Maximizers." Biblical Archaeology Review 20/4. "House" de David " Maximizers bíblica." Biblical Archaeology Review 20 / 4.
  13. Avraham Biran, Arqueólogo respónsável pelo sítio de Tel Dan.
  14. Casa de Davi construída sobre a areia, 20:04 BAR
  15. A casa de Davi e da Câmara dos reconstrucionistas. Biblical Review archalogical, Nov 20:06 - 1994
  16. a b http://journalofbiblicalstudies.org/vitae/thomas_l_thompson.htm
  17. Athas, George, The Tel Dan Inscription: A Reappaisal and a New Interpretation, Journal for the Study of the Old Testament Supp 360; CIS 12 (Sheffield, England: Sheffield Academic Press, 2003). ISBN 0-567-04043-7.
  18. John T. Willis, "A recém-descoberta dos fragmentos da incrição aramaica de Tel Dan" Volume 37 No.4 (1995). Consultar site na bibliografia deste Artigo
  19. a b Kenneth Kitchen, 2003, "A confiabilidade do Antigo Testamento", páginas 452-453
  20. William Dever, 2004, "O que os autores bíblicos sabem, e quando eles sabem disso?", páginas 128-129

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]