George Gapon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
George Gapon

George Gapon (em russo: Георгий Аполлонович Гапон, Georgi Apollonievich Gapon) (1870 – 11 de Abril de 1906) foi um padre cristão ortodoxo russo que liderou a manifestação que em 22 de Janeiro de 1905 em São Petersburgo pretendia ser recebida pelo czar Nicolau II da Rússia no Palácio de Inverno e entregar uma petição por melhores condições de vida. A manifestação foi reprimida pelos soldados russos, que dispararam sobre a multidão. Segundo Orlando Figes, o número mais provável de vítimas é de 200 mortos e 800 feridos. Outras fontes falam em mais de 3 mil mortos, entre pisoteados e baleados. Padre George Gapon não ficou ferido, apesar dos mais de 40 mortos caídos ao seu lado. Mais tarde descobriu-se que George Gapon trabalhava para a polícia secreta czarista. Este episódio da história da Rússia ficou conhecido como o Domingo Sangrento.

Procurou abrigo na casa de Gorki. Fugiu depois para a Finlândia, mais tarde retornou à Rússia, onde foi assassinado por integrantes da Organização de Combate do Partido Social-Revolucionário.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.