Giulio Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giulio Lopes
Nome completo Julio Cesar da Silva Lopes
Nascimento 24 de julho de 1959 (55 anos)
Poá, SP
Ocupação Ator Diretor Coach
Página oficial
IMDb: (inglês)


Giulio Lopes (Poá, 24 de julho de [[1959]) é um ator, diretor e cenógrafo brasileiro de teatro, televisão e cinema.

Julio Cesar da Silva Lopes, que adotou o nome artístico de Giulio Lopes, nasceu em Poá, São Paulo, em 24 de julho de 1959. Em 1982, estreia no teatro atuando no espetáculo "O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru", de Aldomar Conrado, no grupo de teatro amador Caentrenós, dirigido por Silnei Siqueira. A partir daí, seu interesse pelo teatro o levou a receber uma das cinco bolsas de estudos, oferecidas anualmente pelo Instituto de Arte e Ciência (Indac), através de um concurso que selecionava os cinco melhores candidatos ao curso de interpretação. No ano seguinte é aprovado no exame de seleção da Escola de Arte Dramática (EAD/ECA/USP).

Entre 1992 e 1997, dedicou boa parte de seu tempo à Capital Cenográfica, empresa de desenvolvimento de projetos de cenografia, dando vazão a outra faceta profissional, ainda no campo das artes. Nesse período, contudo, seu envolvimento com a empresa, acabou afastando-o dos palcos, o que o fez tomar a decisão de encerrar o negócio e investir com força total na carreira de ator.

Após a retomada, continuou com suas participações em comerciais e na televisão. Seu retorno aos palcos se deu com o espetáculo "Laços Eternos", de Zibia Gasparetto, onde atuou por um ano. Interpretou o "Berrão", personagem do texto de Plínio Marcos em "Homens de Papel", como ator convidado, numa elogiada montagem de Iacov Hillel com alunos da EAD. Logo depois, integrou o elenco de "O Enigma Blavatsky" de José Rubens Siqueira, uma grande produção sobre a vida de Helena Petrovna Blavatsky, fundadora da Sociedade Teosófica, também dirigida por Iacov Hillel.

Foi durante as apresentações de "Homens de Papel", porém, que o ator recebeu o convite para participar dos testes para escolha de elenco do longa-metragem "Contra Todos" (roteiro e direção de Roberto Moreira). Foi selecionado para interpretar "Teodoro" personagem central da trama. Foi sua estreia no cinema. Sua atuação no filme lhe rendeu dois prêmios de melhor ator: no 8º Cine PE e no XIV FestNatal. "Contra Todos" estreou em novembro de 2004.

Nos últimos anos tem integrado o elenco de grandes produções do cinema, como: “Meu Nome Não é Johnny”, de Mauro Lima; “Salve Geral”, de Sergio Rezende; e “Verônica”, de Maurício Farias.

Atuou também em produções Colombianas, como, "Garcia" no cinema , e "Tiempo Final", na TV.

Na TV brasileira marca presença com várias participações em novelas como, "Malhação", "Insensato Coração" e "Passione" entre outras. Ultimamente tem sido escalado para séries de sucesso como, "Mulher de Fases", "O Negócio" e "Sessão de Terapia". No Teatro, onde iniciou sua carreira, integrou o elenco de "O Enigma Blavatsky", "O Inimigo do Povo" e "Homens de Papel", entre outras.

Trabalhos na TV[editar | editar código-fonte]

No Cinema[editar | editar código-fonte]

No Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1982 - O Apocalipse ou o Capeta de Caruaru
  • 2001 - Laços Eternos
  • 2002 - Homens de Papel
  • 2003 - O Enigma Blavatsky
  • 2007 - O Inimigo do Povo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.