John Grisham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Grisham

John Ray Grisham Jr. (Jonesboro, Arkansas, 8 de fevereiro de 1955) é um escritor estadunidense. É o sexto escritor mais lido nos Estados Unidos da América, segundo a Publishers Weekly.

É ex-político e advogado aposentado. Incentivado por sua mãe, desenvolveu cedo o hábito da leitura e se tornou um admirador das obras de John Steinbeck, prêmio Nobel de literatura em 1966, e autor do clássico As Vinhas da Ira.

Escolheu o Direito como área de atuação, tornando-se advogado especializado em defesa criminal e processos por danos físicos. Escrevia nas horas em que o seu trabalho lhe permitia, e logo publicou seu primeiro livro, Tempo de Matar, em 1989.

Seus livros giram sempre em torno de questões de advocacia, e geralmente criticam nuances do sistema judiciário americano e das grandes firmas de direito. Desde maio de 1998 a Universidade do Estado do Mississippi possui uma sala de leitura com o seu nome. Em 2006 figurou na Top 100 Celebrites da revista Forbes. Vive com sua esposa, Renée e suas duas crianças Ty e Shea. É o sexto escritor com mais livros vendidos na década de 2000, segundo a Nielsen BookScan.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Evangélico batista tradicional, visitou durante anos o Pantanal, compondo a junta de missionários enviados por sua igreja, nos Estados Unidos. No estado do Mato Grosso do Sul, eles ajudaram as igrejas locais e construíram uma quadra esportiva em Corumbá. Da aproximação com o Brasil nasceu O Testamento, que trata de uma disputa entre herdeiros de um bilionário americano, envolvendo ambientações no pantanal matogrossense e costurada por "drama espiritual" vivido pelo personagem chamado Nate. Grisham também situou boa parte do seu romance "O Sócio" em cidades brasileiras, notadamente Ponta Porã e Rio de Janeiro, citando várias outras e atribuindo na trama, destaque a uma personagem brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ao redor do mundo, o autor já vendeu mais de 250 milhões de exemplares, com títulos traduzidos para mais de 29 línguas, sempre figurando nas listas dos mais vendidos, sendo eleito pela Publishers Weekly como o escritor dos anos 90.

Seu livro, O Dossiê pelicano obteve uma vendagem de 11.232.480 cópias somente nos Estados Unidos.

Após envolver-se durante anos com o gênero ficção, Grisham lançou em 2006 o primeiro livro baseado em fatos reais, The Innocent Man. Segundo o autor, o título traz uma crítica às falhas do sistema e da pena de morte.

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Tempo de matar (A Time to Kill, 1989)
  • A Firma (The Firm, 1991)
  • O Dossiê pelicano (The Pelican Brief, 1992)
  • O Cliente (The Client, 1993)
  • A Camâra de Gás (The Chamber, 1994)
  • O Homem que Fazia Chover (The Rainmaker, 1995)
  • O Júri (The Runaway Jury, 1996)
  • O Sócio (The Partner, 1997)
  • O Advogado (The Street Lawyer, 1998)
  • O Testamento (The Testament, 1999)
  • A Confraria (The Brethren, 2000)
  • A Casa Pintada (A Painted House, 2001)
  • Esquecer o Natal (Skipping Christmas, 2001)
  • A Intimação (The Summons, 2002)
  • O Rei das Fraudes (The King of Torts, 2003)
  • Nas Arquibancadas (The Bleachers, 2003)
  • O Último Jurado (The Last Juror, 2004)
  • O Corretor (The Broker, 2005)
  • Jogando por Pizza (Playing for Pizza, 2007)
  • O Recurso (The Appeal, 2008)
  • O Negociador (The Associate, 2009)
  • Caminhos da Lei (Ford County, 2009)
  • Theodore Boone: Aprendiz de Advogado (Theodore Boone Kid Lawyer, 2010)
  • A Confissão (The Confession, 2010)
  • Theodore Boone: o sequestro (Theodore Boone: The Abduction , 2011)
  • Os Litigantes (The Litigators, 2011)
  • Calico Joe (Calico Joe, 2012)
  • O Manipulador (The Racketeer, 2012)
  • (Theodore Boone 3, 2012)

Não ficção[editar | editar código-fonte]

  • O Inocente (The Innocent Man, 2006)

Filmes baseados em livros de Grisham[editar | editar código-fonte]

Alguns de seus livros foram transformados em grandes produções televisivas e cinematrográficas. Em nenhum dos filmes citados John Grisham foi roteirista.

  • A Firma (1993) - Grisham foi roteirista
  • O Dossiê Pelicano (1993) - Grisham foi roteirista
  • O Cliente (1994) - Grisham foi roteirista
  • Tempo de Matar (1996) - Grisham foi roteirista e produtor
  • O Segredo (1996) - Grisham foi roteirista
  • O Homem que Fazia Chover (1997) - Grisham foi roteirista
  • Até que a morte nos separe (1998) - Grisham foi roteirista
  • O Júri (2003) - Grisham foi roteirista
  • A Casa Pintada (2003) - TV - Grisham foi roteirista e narrador (inédito no Brasil)
  • The Street Lawyer (2003) - TV - Grisham foi produtor executivo (inédito no Brasil)
  • Mickey (2004) - Grisham foi roteirista, produtor e ator (inédito no Brasil)
  • Um Natal Muito, Muito Louco (2004) - Grisham foi roteirista
  • "O Testamento - direitos adquiridos pela 821 Entertainment. Previsão de lançamento em 2012
  • O Inocente - o ator George Clooney adquiriu os direitos do título através de sua produtora Smoke House. Sem previsão de lançamento
  • Jogando por Pizza - direitos adquiridos pela Phoenix Pictures, Adam Shankman foi indicado como diretor. Sem previsão de lançamento
  • O Sócio - direitos adquiridos pela Buttercookie Prods, Ann Peacock está trabalhando no roteiro. Sem previsão de lançamento
  • O Negociador - Ainda inédito, os direitos já foram adquiridos pela Paramount Pictures. Previsão de lançamento em 2012
  • A Firma - TV - Série televisiva exibida na AXN
  • O Último Jurado - Film - Grisham foi roteirista para 2013 David Wain directing

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre John Grisham