Jordão da Saxônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jordão da Saxônia
Afresco de Jordão no Convento em Worms
Mestre Geral da Ordem dos Pregadores
Nascimento ca. 1190 em Dassel, Sacro Império Romano
Morte 13 de fevereiro de 1237 em Costa da Síria
Veneração por 13 de fevereiro
Beatificação 10 de maio de 1826, Roma por Leão XII
Canonização , Roma
Principal templo Igreja de Tolemaida (Palestina)
Festa litúrgica 8 de Agosto
Gloriole.svg Portal dos Santos

Beato Jordão da Saxônia ou Jordano (castelo de Burgberg, Dassel, ca. 1190, Costa da Síria. 13 de fevereiro de 1237). Teólogo Dominicano alemão, foi sucessor de São Domingos de Gusmão como Mestre Geral da Ordem de Pregadores.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jordão era filho dos condes do Ebersteins ou Oberstein, no Ducado da Saxónia. Nasceu por volta do ano 1176 no castelo do Borgberge, perto do Dassel, na região alemã de Westfalia. Em 1210 é enviado à Universidade de Paris onde estuda matemática, literatura, filosofia, direito canônico, sagrada escritura e teologia.

Em 1219 conhece em Paris São Domingos de Gusmão, cujas pregações passa a frequentar e com o qual se entrevistou em duas oportunidades. A pregação de Reginaldo de Orleans deu-lhe o último impulso para ingressar na Ordem dos Pregadores. Reginaldo, quando à frente da Universidade de Bolonha, impressionava a muitos estudantes e professores por sua oratória, entre os quais se contam Mestre Moneta e Rolando de Cremona. Em uma quarta-feira de cinzas ele, Reginaldo, dirigiu uma pregação por insistência de monges que queriam adentrar à Ordem de São Domingos. Era esta a influência que teve Jordão desde sua conversão.

Em 1220, Jordão participa do primeiro capítulo geral da Ordem, celebrado em Bolonha onde passará a frequentar os estudos da Bíblia ministrada pelos frades de Paris.

Posteriormente passa a governar a província dominicana da Lombardia e, tendo morrido São Domingos de Gusmão, o fundador dessa ordem dos dominicanos. É eleito Superior da Ordem no ano Pentecostal de 1222, quando só contava com 32 anos de idade. Como o seu antecessor, ele era famoso como sendo um disciplinador severo cujo entusiasmo para com a regra era temperado com bondade. Como superior ele participou do capítulo geral de 1226, e em não poucas ocasiões serve de conselheiro ao papa Gregorio IX.

Seu pregação sobre Jesus Cristo atraiu à Ordem um grande número de doutores, professores, diversos eruditos e conotados estudantes, especialmente nas cidades universitárias de Paris, Bolonha e Vercelli. As lendas medievais dizem que Jordão teria criado as bases de 240 comunidades de frades e recebido na ordem a uns mil noviços, entre os quais se conta a Alberto Magno, Humberto de Romans e Hugo de Saint-Cher.

Finalmente embora extenuado por sua pregação itinerante, visitou várias províncias dominicanas, entre elas as da Terra Santa. Visitou vários outros lugares e por fim, embarcou na Síria rumo a Nápoles, mas perto já da costa da Palestina, a embarcação foi acometida por uma furiosa tempestade, que a fez naufragar e, neste naufrágio, Jordão, com outros dominicanos, morre afogado em 1237.

Jordão foi venerado como santo sem ser canonizado e o papa Leão XII confirmou seu culto o 10 de maio de 1826.

Mecenato[editar | editar código-fonte]

Ele é tido como o patrono da vocação Dominicana.

Jordão é considerado o santo padroeiro da Faculdade de Engenharia da Igreja Católica das Filipinas Universidade de Santo Tomas, que está sob a ordem Dominicana.

Em sua honra, lhe dá o nome ao seminário dominicano "Seminário Apostólico Dominicano Jordão da Saxônia", situado ao lado do Convento de São Domingos Bogotá, Colômbia por Frei Adalberto Ariza O. P.

Obra[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Edições das Obras
  • Berthold Althaner, Die Briefe Jordans von Sachsen, des zweiten Dominikanergenerals (1222-1237). Texte und Untersuchungen, zugleich ein Beitrag zur Geschichte der Frommigkeit im 13. Jahrhundert. Lipsiae, 1925
  • J. J. Berthier, ed., Beati Jordani de Saxonia Opera. Friburgi, 1891
  • Paul-Bernard Hodel, ed., Beati Jordani de Saxonia sermones. Romae, 2005
  • Wolfram Hoyer, interpr., Jordan von Sachsen: Ordensmeister, Geschichtsschreiber, Beter; eine Textsammlung. Lipsiae, 2002
  • Elio Montanari, ed., Oratio ad beatum Dominicum b. Iordanis de Saxonia O. P.. Florentiae, 1991
  • Franco Morenzoni, ed., "Les sermons de Jourdain de Saxe, successeur de Saint Dominique" in Archivum Fratrum Praedicatorum vol. 66 (1996) pp. 201–244
  • Angelus Walz, ed., Beati Iordani de Saxonia Epistulae. Romae: Institutum Historicum Fratrum Praedicatorum, 1951
Livros recentes
  • Marguerite Aron, Un animateur de la jeunesse au XIIIe siècle: vie, voyages du Bx Jourdain de Saxe, maître-ès-arts à Paris et général des frères prêcheurs de 1222 à 1237. Lutetiae, 1930
  • Bernard Hodel, Edifier par la parole. La prédication de Jourdain de Saxe, maître de l’ordre des prêcheurs (1222-1237). Lutetiae, 2002
  • Heribert-Christian Scheeben, Beiträge zur Geschichte Jordans von Sachsen. Vechta, 1938
Enciclopédias

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Domingos de Gusmão
Cr.domenicana.JPG
Mestre Geral da Ordem dos Pregadores
1222 - 1237
Sucedido por
Raimundo de Penaforte
Ícone de esboço Este artigo sobre Cristianismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jordão da Saxônia