Karabakh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região do Karabakh, em antigo mapa russo (ESBE).

Karabakh (também Karabax ou Karabaque ou Carabaque; em azeri: Qarabağ; em armênio: Ղարաբաղ) é uma região histórica e geográfica situada no atual sudoeste do Azerbaijão e leste da Armênia, estendendo-se desde as terras altas do Pequeno Cáucaso até os vales entre os rios Kura e Aras. A área abrange três outras regiões: o chamado Alto Karabakh (Nagorno-Karabakh, a antiga província armênia de Artsach), o Baixo Karabakh (as estepes ao sul do Kura) e parte de Siunique.[1] [2] [3] [4] Geograficamente a região do Karabakh se encontra na parte mais oriental do Planalto Armênio.[5]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Karabakh é tido geralmente como originário do turcomano e do persa, e significa literalmente "jardim negro".[6] Uma teoria alternativa diz que o nome teria uma origem turco-armênia, e significaria "Grande Baghk", uma referência ao reino de Ktish-Baghk, um dos principados de Artsach.[7] .

O local é mencionado pela primeira vez nas Crônicas Georgianas (Kartlis Tskhovreba, "A Vida dos Georgianos"), assim como em fontes persas dos séculos XIII e XIV.[8] O nome se tornou comum depois da década de 1230, quando a região foi conquistada pelos mongóis.[9] .

História[editar | editar código-fonte]

No século XV o viajante alemão Johann Schiltberger percorreu o Baixo Karabakh e o descreveu como uma ampla e bela planície na Armênia. Ele escreveu:

"Os Infiéis possuem todo [o Baixo Karabakh], e no entanto ele se situa na Ermenia (sic). Existem também armênios nas vilas, porém eles têm de pagar tributo aos Infiéis. Sempre vivi com os armênios, porque são muito amistosos com os alemães. (...) Na Armênia existem três reinos; um chama-se Tiffliss, o outro é Syos, e o terceiro Ersingen; os armênios o chamam de Ising-kan, e esta é a Pequena Armênia. Eles também dominaram a Babilônia por muito tempo; porém agora já não mais a possuem."[10] De acordo com os editores do livro, por diversas vezes Schiltberger teria dado muita atenção aos contos e histórias exageradas de seus amigos armênios.[10]

O Alto Karabakh (em russo Nagorno-Karabakh) ou Artsach foi, de 821 até o início do século XIX, governado pela dinastia armênia de Khachen e seus diversos sucessores, os Meliks do Karabakh.[11] . Em 1747 Panah Javanshir, um líder tribal local turcomano, se apoderou da região após a morte de Nadir Shah, e tanto o Baixo quanto o Alto Karabakh passaram a fazer parte do novo Canato do Karabakh.[11] Ainda assim o Alto Karabakh continuou a ser governado por seus próprios príncipes hereditários, conhecidos como meliks, até o território ser anexado pela Rússia, em 1805.[11] .

Sob o domínio russo o Karabakh foi definido como uma região com uma área de 13.600 km², com a cidade de Shusha (ou Shushi) como sua capital.[12] Sua população consistia de armênios e muçulmanos de diferentes etnias, em números praticamente equivalentes: enquanto o Alto Karabakh era povoado quase que completamente por armênios, o Baixo Karabakh era majoritariamente islâmico.[11]

Em 1923 parte do Alto Karabakh foi transformado no Oblast Autônomo de Nagorno-Karabakh, dentro da República Socialista Soviética do Azerbaijão.[5] [11] Em 1991 o governo local de Nagorno-Karabakh e o de Shahumian declarou unilateralmente sua independência da RSS do Azerbaijão, formando a República do Nagorno-Karabakh (República do Alto Karabakh), que permanece até hoje sem reconhecimento internacional. Partes do Baixo Karabakh têm sido controladas pelas forças armênias desde a Guerra do Nagorno-Karabakh, que terminou em 1994.[13] .

Referências

  1. Babakhanian, Collection of Works, volume 3, History of Armena. Book 2. "Hayastan" publishing, Ierevan 1973, p. 9.
  2. Ulubabyan, Bagrat, Survival struggle of Artsakh, Ierevan 1993, p. 3. ISBN 5-8079-0869-4.
  3. Karabagi, Mirza Jamal Javanshir. The History of Karabakh. cap. 2: About the borders, old cities, population aggregates and rivers of the Karabakh region.
  4. Hewsen, Robert H., Russian-Armenian relations, 1700-1828. Society of Armenian Studies, N4, Cambridge, Massachusetts, 1984, p 37.
  5. a b Hewsen, Robert H. "The Meliks of Eastern Armenia: A Preliminary Study". Revue des études Arméniennes. NS: IX, 1972, pp. 289.
  6. Regions and territories: Nagorno-Karabakh - BBC News
  7. Hewsen, Robert H. Armenia: a Historical Atlas. University of Chicago Press, 2001, pp. 119-120.
  8. Enciclopédia Armênia Soviética, "O Oblast Autônomo de Nagorno-Karabakh" (em armênio), Vol. 7, Ierevan 1981. p. 26
  9. Grande Enciclopédia Soviética, "NKAO, Historical Survey", 3ª edição, traduzida para o inglês, New York: Macmillan Inc., 1973
  10. a b Schiltberger. Bondage and Travels of Johann Schiltberger. (tradução para o inglês de J. Buchan Telfer). Ayer Publishing, 1966, p. 86. ISBN 083373489X.
  11. a b c d e Hewsen, Robert H. Armenia: A Historical Atlas. The University of Chicago Press, 2001, pp. 119, 155, 163, 264-265.
  12. Royal Geographical Society (Grã-Bretanha). A Gazetteer of the World. A. Fullarton, 1856, p. 450.
  13. Departamento de Estado dos EUA - Resoluções de 1993 do Conselho de Segurança das Nações Unidas
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.