Lamiaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaLamiaceae
Ajuga reptans

Ajuga reptans
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Subfamílias (APG)
Ajugoideae Kostel.

Caryopteridoideae

Chloanthoideae

Lamioideae Harley

Nepetoideae (Dumortier) Luersson

Prostantheroideae Luersson

Scutellarioideae (Dumortier) Caruel

Symphorematoideae Briquet

Viticoideae Briquet

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Lamiaceae

A família botânica das Lamiaceae (antiga Labiatae, Adanson - ou Labiadas) compreende, atualmente conforme a APG, de 236 a 258 gêneros e de 6970 a 7193 espécies, subdividida em 7 subfamílias (ver texto). Há cerca de 23 gêneros e 232 espécies nativas do Brasil.

São cosmopolitas, porém têm como centros de origem as regiões mediterrânicas, o Oriente Médio e as montanhas subtropicais.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Labiadas"/"Labiatae" vem de lábios, devido à conformação e o formato gerais das pétalas; "Lamiaceae" vem de Lamium, o género holotípico.

Mudanças na Classificação[editar | editar código-fonte]

Alguns gêneros que eram, tradicionalmente, de outras famílias, pela nova classificação filogenética passam a integrar as lamiáceas, como por exemplo, Tectona (ex-Verbenaceae) e Clerodendrum (ex-Acanthaceae).

Famílias tornam-se subfamílias como, por ex. Viticoideae (ex-Viticaceae), contudo, antes foi subfamília de Verbenaceae.

Há também mudanças dentro da própria família, como o tradicional gênero Coleus, agora incorporado no gên. Plectranthus.

Sinonímia (YYPG): Aegiphilaceae, Chloanthaceae, Dicrastylidiaceae, Glechomaceae, Labiatae, Melittidaceae, Menthaceae, Nepetaceae, Salazariaceae, Salviaceae, Scutellariaceae

Importância Econômica[editar | editar código-fonte]

Muitas espécies são importantes, entre outros usos, para extração de óleos essenciais (Mentha, Lavandula, Marrubium, Nepeta, Ocimum, Origanum, Rosmarinus, Salvia, Satureja, Thymus etc.), tanto para uso cosmético, como condimentar, aromático e/ou medicinal. Tais processos em escala industrial ou artesanalmente.

Os tubérculos de algumas espécies de Stachys são comestíveis.

A Teca (Tectona grandis), originária da Ásia, é uma das mais importantes árvores madeireiras, sendo a mais valiosa na atualidade.

Há também o uso caseiro de várias espécies, tanto para chás, condimentos e/ou como algum outro uso tradicional, não podendo faltar nas hortas caseiras.

Muitas espécies possuem potencial paisagístico e são usadas com sucesso, como a brasileira Salvia splendens Sellow.

Há algumas espécies que são invasoras de outras culturas agrícolas (ex. gên. Leonotis, Leonurus), apesar de serem imputadas como medicinais.

Informações Botânicas[editar | editar código-fonte]

São ervas, arbustos ou árvores, de distribuição cosmopolita. Os ramos jovens, geralmente, são tetrangulares.

Folhas[editar | editar código-fonte]

Simples, opostas ou verticiladas, com limbo inteiro, denteado, lobado ou partido, revestidas de pêlos glandulares que, normalmente, secretam essências aromáticas. Às vezes, podem ser compostas penadas ou palmadas.

Flores[editar | editar código-fonte]

Pequenas ou grandes, geralmente vistosas, reunidas em inflorescência derivada de uma série de ramos cimosos, freqüentemente axilares. São hermafroditas, diclamídeas, pentâmeras, bilabiadas e com marcante zigomorfia (que em alguns casos é pouco pronunciada, ex. Lavandula e Mentha).

O cálice é tubuloso, campanulado ou infundibuliforme, com o bordo bilabiado, ou 5-10 denteado ou lobado, sendo útil para identificação dos gêneros.

A corola também é tubulosa, campanulada ou infundibuliforme, apresentando o limbo, geralmente, diferenciado em lábio superior (lábrum) e inferior (labíolo). Apenas em Teucrium é unilabiada.

O androceu é formado por 2 a 4 estames epipétalos, inseridos no tubo ou na fauce da corola. Os filetes são livres entre si, retos ou curvos, com ou sem apêndice, ou concrescidos em bainha aberta, através da qual passa o estilete, como em Plectranthus. Há estaminódios nas flores com 2 estames. Nos integrantes da subfamília Ocimoideae, os estames são inclinados sobre o lábio inferior da corola e envolvidos por ele.

O estilete é ginobásico ou não (Teucrium), sendo resultado da fusão de dois.

O ovário é súpero, bicarpelar, bilocular, com 2 óvulos em cada lóculo, mas há uma constrição em cada carpelo, por um falso septo, dando impressão de tetralocular quando adulto. O ovário está assentado em um disco glandular, expandido em um lado e saliente.

Fórmula Floral[editar | editar código-fonte]

(5S); (5P); (4E); (2C_)

Onde, S representa as sépalas, P representa as Pétalas, E os estamos e C o carpelo, e _ ovário súpero. A designação entre parenteses indica a fusão das peças florais.

Fruto[editar | editar código-fonte]

Seco, esquizocarpo ou drupa, que se separa em 4 frutículos parciais (núculas), onde cada núcula é uma pequena noz, oval, quase globosa, oblonga, trigonal ou tetraédrica.

As sementes têm pouquíssimo ou nenhum endosperma. O embrião é reto.

Ecologia[editar | editar código-fonte]

As flores são polinizadas por abelhas, vespas, borboletas, traças, moscas, besouros e pássaros. Espécies com drupa são, normalmente, dispersas por aves ou mamíferos; as nozinhas são predadas por aves ou dispersas pela água.

A abrotona é uma espécie desta família endémica da ilha da Madeira.

Gêneros[editar | editar código-fonte]

O gênero com o maior número de espécies é o Salvia, com 1800 espécies.

Acanthomintha; Achyrospermum; Acinos; Acrocephalus; Acrotome; Acrymia; Adelosa; Aegiphila ; Aeollanthus ; Agastache; Ajuga ; Ajugoides; Alajja; Alvesia; Amasonia; Amethystea; Anisochilus; Anisomeles; Antonina ; Aphanochilus; Archboldia; Ascocarydion; Asterohyptis; Atelandra; Audibertia; Ballota; Basilicum; Becium; Benguellia; Betonica; Blephilia; Bostrychanthera; Bovonia; Brachystemum; Brazoria; Brittonastrum Bystropogon; Calamintha; Calapodium; Callicarpa ; Capitanopsis; Capitanya; Caryopteris; Catoferia; Cedronella; Ceratanthus; Ceratominthe; Chaiturus; Chamaesphacos; Chaunostoma; Chelonopsis; Chloanthes; Cleonia; Clerodendranthus; Clerodendrum; Clinopodium; Colebrookea; Collinsonia; Colobandra; Colquhounia; Comanthosphace; Congea; Conradina; Coridothymus; Cornutia; Craniotome; Cruzia; Cuminia; Cunila; Cyanostegia; Cyclonema; Cyclotrichium; Cymaria; Dauphinea; Dentidia; Dicerandra; Dicrastylis; Dorystaechas; Dracocephalum; Drepanocaryum; Dysophylla; Eichlerago; Elsholtzia; Endostemon; Englerastrum; Epimeredi; Eremostachys; Eriope; Eriophyton; Eriopidion; Eriothymus; Erythrochlamys; Euhesperida; Eurysolen; Eusteralis; Faradaya; Fuerstia; Galeobdolon; Galeopsis; Gardoquia; Garrettia; Geniosporum; Germanea; Geunsia; Glecoma; Glechon; Glossocarya; Gmelina; Gomphostemma; Gontscharovia; Hanceola; Haplostachys; Harlanlewisia: Haumaniastrum; Hedeoma ; Hemiandra; Hemigenia; Hemiphora; Hemizygia; Hesperozygis; Heterolamium; Hoehnea; Holmskioldia; Holocheila; Holostylon; Horminum; Hosea; Hoslundia; Hosta (botânica); Huxleya; Hymenocrater; Hymenopyramis; Hypenia; Hypogomphia; Hyptidendron; Hyptis ; Hyssopus; Iboza; Isanthus; Isodictyophorus; Isodon ; Isoleucas; Karomia; Keiskea; Kinostemon; Koellia; Kudrjaschevia; Kurzamra; Lachnostachys; Lagochilus; Lagopsis; Lallemantia; Lamiastrum; Lamiophlomis; Lamium; Lavandula; Leocus; Leonotis; Leonurus; Lepechinia; Leucas; Leucosceptrum; Leucophae; Limniboza; Lophanthus; Loxocalyx; Lycopus; Macbridea; Majorana; Mahya; Mallophora; Marmoritis; Marrubium; Marsypianthes; Meehania; Melissa; Melittis; Mentha; Meriandra; Mesona; Metastachydium; Microcorys; Micromeria; Microtoena; Minthostachys; Moldavica; Moluccella; Monarda; Monardella; Monochilus; Moschosma; Mosla; Neoeplingia; Neohyptis; Neomuellera; Neorapinia; Nepeta ; Newcastelia; Nosema; Notochaete; Ocimum ; Octomeron; Ombrocharis; Oncinocalyx; Oreosphacus; Origanum ; Orthodon; Orthosiphon; Otostegia; Oxera; Panzerina; Paraeremostachys; Paralamium; Paraphlomis; Paravitex; Peltodon; Pentapleura; Perilla; Perillula; Perilomia; Peronema; Perovskia; Perrierastrum; Petitia; Petraeovitex; Phlomidoschema; Phlomis ; Phlomoides ; Phyllostegia; Physoleucas ; Physopsis; Physostegia; Piloblephis; Pitardia; Pityrodia ; Platostoma ; Plectranthastrum ; Plectranthus; Pogogyne; Pogostemon ; Poliomintha; Porphyra; Prasium; Premna ; Prostanthera; Prunella; Pseuderemostachys; Pseudocarpidium; Pseudochamaesphacos; Pseudomarrubium; Pulegium, Puntia; Pycnanthemum; Pycnostachys ; Rabdosiella; Renschia; Rhabdocaulon; Rabdosia; Rhaphiodon; Rhododon; Rosmarinus; Rostrinucula; Rotheca ; Roylea; Rubiteucris; Sabaudia; Saccocalyx; Salazaria; Salvia ; Salviastrum; Satureja; Schizonepeta; Schnabelia; Scutellaria ; Sideritis ; Siphonanthus; Siphocranion; Skapanthus; Solenostemon; Spartothamnella; Sphacele; Sphenodesme; Stachydeoma; Stachyopsis; Stachys ; Stenogyne; Stiptanthus ; Sulaimania; Suzukia; Symphorema; Symphostemon; Synandra; Syncolostemon; Taligalea; Tectona; Teijsmanniodendron; Tetraclea; Tetradenia; Teucridium; Teucrium ; Thorncroftia; Thuspeinanta; Thymbra; Thymus ; Tinnea; Trichostema; Tsoongia; Tullia; Vitex ; Viticipremna; Volkameria; Wenchengia; Westringia; Wiedemannia; Wrixonia; Xenopoma; Zappania; Zataria; Zhumeria; Ziziphora.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lamiaceae
Wikispecies-logo.svg
A Wikispecies possui a família: Lamiaceae