Laranjal (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Laranjal
LaranjalMG.JPG

Bandeira desconhecida
Brasão de Laranjal
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 17 de dezembro
Fundação 17 de dezembro de 1938
Gentílico laranjalense
Prefeito(a) João Soares da Silva (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Laranjal
Localização de Laranjal em Minas Gerais
Laranjal está localizado em: Brasil
Laranjal
Localização de Laranjal no Brasil
21° 22' 26" S 42° 28' 37" O21° 22' 26" S 42° 28' 37" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008 [1]
Microrregião Cataguases IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Cataguases, Muriaé, Leopoldina, Recreio, Santana de Cataguases, Palma.
Distância até a capital 348 km
Características geográficas
Área 204,190 km² [2]
População 6 465 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 31,66 hab./km²
Altitude 175 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,769 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 39 856,461 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 101,72 IBGE/2008[5]
Página oficial

Laranjal é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. A cidade contém dois distritos: São João da Sapucaia e Sapucaia.

História[editar | editar código-fonte]

Nos meados do século XIX, resultante de um pouso dos tropeiros e boiadeiros de então, nasceu, à margem do caminho que levava a São Paulo do Muriaé, Presídio, Meio Pataca e outras localidades, o arraial que mais tarde viria a ser a bucólica cidade de Laranjal. Diz-se que a região fora habitada primeiramente pelos índios puris, que, de modo geral, foram os primeiros senhores daqueles rincões. A área em que os aventureiros da época escolheram para ponto de descanso de suas longas caminhadas foi pouco a pouco atraindo alguns residentes, que ali se estabeleceram, quer como comerciante, quer como posseiros e agricultores das terras ao redor. Nasceu assim o primeiro núcleo que, já em 1871, pela Lei provincial nº 1783, de 22 de setembro, era elevado à categoria de distrito de paz, pertencente ao município de Leopoldina. Mais tarde, foi transferido para Cataguases, até que, em 1938, o Decreto-lei estadual nº 148, de 17 de dezembro, elevou-o à categoria de município, com o nome atual, que lhe foi dado em virtude de um grande Laranjal que existia na sede do distrito, a época em que o mesmo era povoado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município localiza-se na Mesorregião da Zona da Mata mineira. A sede dista por rodovia 348 km da capital Belo Horizonte.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Relevo, clima, hidrografia[editar | editar código-fonte]

A altitude da sede é de 175 m, possuindo como ponto culminante a altitude de 1119 m. O clima é do tipo tropical com chuvas durante o verão e temperatura média anual em torno de 23,5 °C, com variações entre 18 °C (média das mínimas) e 31 °C (média das máximas). (ALMG)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município integra a bacia do rio Paraíba do Sul, sendo banhado pelos rios Pomba e São João.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 6.465

  • Urbana: 4.738
  • Rural: 1.727
  • Homens: 3.254
  • Mulheres: 3.211

(Fonte: [1])

Densidade demográfica (hab./km²): 29,9

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,0

Expectativa de vida (anos): 75,2

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,0

Taxa de alfabetização: 82,6%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,769

  • IDH-M Renda: 0,656
  • IDH-M Longevidade: 0,837
  • IDH-M Educação: 0,813

(Fonte: PNUD/2000)

Cultura[editar | editar código-fonte]

No mês de agosto acontece a maior festa do local, a Exposição Agropecuária e Industrial, que há quase 30 anos é o maior evento da cidade e na qual já se apresentaram diversos artistas bastantes conhecidos do cenário musical como: Erasmo Carlos, Zé Ramalho, Zé Geraldo, Aguinaldo Timóteo, Bonde do Forró, Latino, Titãs, Cheiro de Amor e João Bosco e Vinicius entre outros. Outro ponto alto de sua cultura são as Folias de Reis, que acontecem todos os anos entre 31 de dezembro e 6 de janeiro, tendo como ápice a missa com exaltação ao Divino e a chamada "entrega", que é nada mais que o evento final da festa. Consta de uma orquestra de violas, violões, sanfonas, cavaquinhos, bumbos entre outros instrumentos, embalados por um canto místico compreensível à poucos, mas rico em cultura da religiosidade popular católica. Acompanha uma semana madrugada adentro, juntamente, um homem travestido com roupas exóticas que narra contos, fatos e versos sobre o cotidiano, a bíblia e o dono da casa visitada, figura conhecida pelos populares como o "palhaço da folia".

Uma de suas personalidades mais marcantes foi o Cônego Geraldo Mendes Monteiro, conhecido popularmente como Padre Geraldo, grande professor, escritor, dentre outros títulos, deixou para Laranjal um legado cultural bibliotecário com seu nome, tendo algumas obras de suma importância para o município como o livro "História Geral do Laranjal" de sua própria autoria.

A Igreja católica é representada pela Matriz Nossa Senhora da Conceição, um belo exemplar de arquitetura que, aos poucos, perde suas características históricas por inúmeras reformas insensíveis à cultura. É datada em sua torre em 1909, sendo corrigidas por estudiosos ter sido construída antes disso, e tal data expressa apenas o ano em que a torre foi terminada.

Laranjal possui inúmeros exemplares de arquitetura histórica que não são aproveitadas em sua memória cultural. O maior exemplo é o sobrado onde fica o conhecido e tradicional "Bar Silva", que há anos pertence a família que nomeia o estabelecimento. Sua fachada é decorada com belos ícones de sentido não conhecido, mas que demonstram a riqueza cultural do município. O Bar Silva é um dos mais frequentados bares da cidade, até mesmo moradores de cidades vizinhas já o frequentou atraídos por seus famosos petiscos.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O Município de Laranjal, tem um Hospital (Hospital Comunitário de Laranjal), três Unidades Básicas de Saúde "UBS Manoel Jose da Costa (Centro), UBS Dr. Mario Inácio Carneiro (Areá Hospitalar) e UBS Antonio Gonçalves Vieira (Distrito de São João)" e uma Base do Samu que atende os Municípios de Laranjal, Palma e Recreio. que compõem a rede de atendimento do SUS. No município ainda se encontra dois laboratórios de analises clinicas, consultórios médicos, odontológicos, e um laboratório de prótese dentaria.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Laranjal é a terra natal do empresário e ex-deputado federal Sérgio Naya, morto em 2009, o qual ficou conhecido nacionalmente pelo caso Palace II, edifício que desabou na cidade do Rio de Janeiro em 1998.

Também é nascido em Laranjal, José Inácio da Silva Pereira, mais conhecido como Professor Pachecão, o qual é sinônimo de alegria, criatividade, e irreverência. O mesmo é precursor do estilo “aula show”, que revelou uma nova didática de ensino no Brasil. Descoberto pelos meios de comunicação, Professor Pachecão participou dos principais programas de auditório e talkshows da televisão brasileira: Brasil Legal com Regina Casé, Jô Soares Onze e Meia, Domingão do Faustão, Programa Livre com Serginho Groismann, Programa da Hebe, Sem Censura, Xuxa, Angélica entre outros, se transformando no professor mais famoso do Brasil. Também atuou como professor no seriado Sandy & Júnior, produzido pela Rede Globo, e conduziu o quadro Blitz durante um ano na Globo Minas, além de inúmeras outras aparições em programas de rádio e TV. Atualmente o Professor Pachecão percorre o Brasil realizando palestras motivacionais, além de ser colunista de educação da Rede Globo e portal G1. Dezenas de milhares de alunos tiveram o prazer de assistir às suas aulas e outros milhares de executivos e profissionais já passaram por suas palestras. O Professor Pachecão, é engenheiro mecânico, com pós-graduação em gestão de negócios pela UFMG, Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável pela FGV e atualmente, ele é mestrando em Gestão e Auditoria Ambiental pela Universidade Leon da Espanha.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O Lago da Barra da Braúna, Hidrelétrica situada entre os municípios de Laranjal, Palma e Recreio, vem atraindo turistas da região.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Laranjal possui dois principais clubes de futebol, o alvirrubro Esporte Clube Laranjal e o alvinegro 15 de Novembro Futebol Clube, entre os quais se dividem os torcedores da cidade. Segue a seguir as histórias dos dois clubes, respectivamente.

No ano de 1928, no dia 7 de setembro, foi realizada a primeira reunião com objetivo de criar um time de futebol em Laranjal, participaram desta reunião, os então jovens Norberto Berno, Odilon Matozinhos, Edgar Lima, Manoel José Costa, Erasmo Lima, Enoch Affonso Guimarães, Carlos Berno, Epaminondas Lima, Jovino Aguiar, Felício Alves das Chagas, Manoel Silva Braga, Luiz de Mello, Sebastião Frutuoso e Ricardo Rodrigues Barroca, desta reunião surgiu o Esporte Clube Laranjal, que ao lado do 15 de Novembro de Laranjal formou nas décadas de 70 e 80 a página de ouro do futebol laranjalense, dada a rivalidade existente entre os times e a paixão entre os torcedores. Inicialmente o time do Esporte utilizou os campos denominados Nitério, Angolinha e do Patrimônio. No ano de 1972 por iniciativa de Norberno Berno o Esporte Clube Laranjal adquiriu um terreno onde em 1975 foi construído o seu Estadio, denominado de Estádio Firmo Dias, em homenagem a um dos grandes benemeritos do Clube. Nos anos 80 o empresário e mais tarde Deputado Federal Sérgio Naya doou no total de CZ$120.000,00 (Cruzados) no período da presidência do “Levi”. O dinheiro foi administrado por Miguel Berno e Luiz de Mello e com ele foram construídos a arquibancada, muro, melhorias no estádio, inicio da construção do salão de festa (ainda inacabado), cobertura na arquibancada entre outras melhorias, que transformou totalmente o estádio Firmo Dias. A iluminação veio através da partiticação de Expedito Alexandre por intermédio do Deputado Estadual Bené Guedes no ano de 1997, e para o ano do seu octagésimo aniversário, em 2008, o clube foi contemplado com uma verba estadual de mais de R$60.000,00 para reformas e construções de novas instalações. Atualmente o Esporte Clube Laranjal se encontra em plena atividades esportivas em torneios regionais realizados pelas ligas esportivas de Leopoldina, Muriaé, Ubá, Cataguases, Juiz de Fora e Mar de Espanha, sendo destaque principalmente nas categorias de base. O alvirrubro laranjalense conquistou em 2012 a 1ª Copa Integração de Futebol com Adulto,e em 2013 foi campeão da 2ª copa café donalice(liga esportiva muriae), e vem participando de várias copas pela região.

O 15 de Novembro Futebol Clube, carinhosamente designado por "15" entre seus torcedores, foi fundado no dia 15 de novembro de 1950 por iniciativa do seu primeiro presidente, Badaró, entre outros ilustres colaboradores, entre eles membros de diversas famílias tradicionais do município de Laranjal, como por exemplo, família Mello, Alvarenga, Dias, Garcia, Duarte, entre outras não menos importantes. As cores preto e branco em forma de listras foram escolhidas para compor a camisa do clube em homenagem ao Botafogo de Futebol e Regatas da cidade do Rio de Janeiro, visto que a maioria de seus fundadores eram torcedores do time carioca. Em 1956 o clube obteve seu registro e o reconhecimento pela Federação Mineira de Futebol. Teve seu auge nas décadas de 60 até início dos anos 80, quando se tornou o grande rival em torcida e equipe do Esporte Clube Laranjal, na cidade de Laranjal. O clube foi o campeão do primeiro torneio de futebol organizado pela hoje inexistente Liga Laranjalense de Futebol no inicio dos anos 60. Passados 6 anos no dia 10 de abril 1966 o 15 de Novembro inaugurou o seu estádio próprio, denominado mais tarde na década de 80 Estádio Serafim Machado Naya. Em 1986 o Estádio recebeu a iluminação. Já no ano de 2004 o Clube recebeu uma homenagem do seu ex-presidente e técnico, Paulo Alvarenga Domingues, que publicou um livro com o título “História do 15 de Novembro Futebol Clube – Um sonho, uma realidade”, com 52 páginas, editado pela Solução Digital Gráfica e Editora, o livro conta, na forma de poemas, toda a saga do clube laranjalense. Durante anos o 15 de Novembro ficou parado. As estruturas do estádio já estava em situação precária e o gramado já obtinha muitos danos. Já no final de ano de 2010, alguns torcedores resolveram "renascer o clube e o estádio" assim reformaram as estruturas que sofreram os danos durantes os anos de paralisação. O 15 de Novembro entrou na Copa Panorama pela 1° vez em 2011, após anos de inatividade. A equipe entrou desacreditada, mas logo mostrou que tinha força, terminando a fase de grupos em 1° lugar do grupo. Já nas quartas-de-final enfrentou a equipe do Itararé que já tinha sido vice na Panorama do ano anterior. Tanto que no 1° jogo em Tocantins, o placar foi de 0x0, mas em casa do 15 de Novembro fez o dever de casa e ganhou por 3x2. Pela semi-final enfrentou o Ribeiro Junqueira novamente após a fase de grupos. No 1°jogo em Leopoldina, 1x0 para o Ribeiro Junqueira, mas em Laranjal o 15 de Novembro venceu por 2x0 (na 2° fase não havia saldo de gols) levando assim a vaga para os pênaltis, brilhando assim a estrela de Adriano, onde o 15 de Novembro foi para final. Entretanto, na final o 15 de Novembro enfrentou a equipe do 15 de Rio Novo. O 1° jogo foi em Laranjal, onde o 15 de Laranjal perdeu por 2x1. Em Rio Novo, o 15 de Laranjal tentou mas só conseguiu o empate em 1x1, assim sendo vice campeão da Copa Panorama 2011. Atualmente o 15 de Novembro está treinando as categorias de base, com os sub-9, sub-11, sub-13, sub-15 e sub-17. As categorias disputam amistosos com times da região.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]