Lars Løkke Rasmussen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lars Løkke Rasmussen
Lars Løkke Rasmussen
Primeiro-ministro da  Dinamarca
Período de governo 5 de abril de 2009
3 de Outubro de 2011
Antecessor(a) Anders Fogh Rasmussen
Sucessor(a) Helle Thorning-Schmidt
Vida
Nascimento 15 de Maio de 1964 (50 anos)
Vejle, Dinamarca
Dados pessoais
Primeira-dama Sólrun Løkke Rasmussen
Partido Venstre
Profissão Político

Lars Løkke Rasmussen (Vejle, 15 de maio de 1964 -) foi o primeiro-ministro da Dinamarca entre 2009 e 2011 e é o líder do partido liberal Venstre.

Lars Løkke Rasmussen foi Ministro do Interior e da Saúde desde 27 de novembro de 2001, como parte do Gabinete de Anders Fogh Rasmussen (I e II) e Ministro das Finanças do Gabinete de Anders Fogh Rasmussen (III) desde 23 de novembro de 2007. Em 5 de abril de 2009 ele conseguiu o lugar de Anders Fogh Rasmussen por este ter sido nomeado secretário-geral da OTAN.

Lars Løkke Rasmussen tem sido membro do parlamento dinamarquês (Folketinget) desde 21 de setembro de 1994. Ele também atuou como Presidente da Câmara do Condado de Frederiksborg entre 1998 e 2001. Apesar do seu sobrenome comum, Lars Løkke Rasmussen não está relacionado nem com o seu antecessor, nem com o outro ex-primeiro-ministro, Poul Nyrup Rasmussen.[1]

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Lars Løkke Rasmussen nasceu em Vejle, filho de Jeppe e Lise Løkke Rasmussen. Ele graduou-se na escola secundária em 1983, e foi o presidente da Juventude Venstre entre 1986 e 1989. Ele é licenciado em Direito pela Universidade de Copenhaga em 1992. De 1990 a 1995 trabalhou como consultor.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Reforma municipal em 2007[editar | editar código-fonte]

Como Ministro do Interior e da Saúde, Lars Løkke Rasmussen liderou a reforma municipal de 2007, que reduziu a Dinamarca de 271 municípios a 98, e aboliu os 14 condados e substituí-os por cinco regiões.[2]

As acusações de irregularidades financeiras[editar | editar código-fonte]

Na Primavera de 2008, Lars Løkke Rasmussen foi acusado de ter pago as suas despesas pessoais com dinheiro público, por exemplo, refeições em restaurantes, cigarros, táxis e estadias em hotéis, tanto como Presidente da Câmara como Ministro.[3] [4] Em Maio de 2007, Løkke foi acusado de deixar o seu ministério pagar um quarto de hotel em Copenhaga quando Lars Løkke Rasmussen foi assistir a um concerto de Paul McCartney em Horsens, no ano de 2004.[5] [6] [7]

A reforma tributária de 2009[editar | editar código-fonte]

Em Fevereiro de 2009, Lars Løkke Rasmussen foi o principal negociador do acordo político por trás de uma grande reforma fiscal, a aplicação da ambição do governo na redução de receitas fiscais e aumento dos impostos sobre a poluição.[8] A reforma foi, de acordo com Lars Løkke Rasmussen, a maior redução da taxa de imposto marginal desde a introdução do imposto de renda em 1903.[9] A oposição acusou-o de ser historicamente distorcido, favorecendo as pessoas com altos rendimentos, e dando muito pouco para aqueles com baixos rendimentos.[9]

Primeiro-ministro da Dinamarca[editar | editar código-fonte]

Em 4 de abril de 2009, a NATO decidiu que o primeiro-ministro Anders Fogh Rasmussen iria substituir Jaap de Hoop Scheffer como Secretário-Geral da NATO.[10] No mesmo dia, Anders Fogh Rasmussen declarou que ele iria renunciar ao cargo de Primeiro-ministro em 5 de abril. Como suplente do maior partido no governo, Lars Løkke Rasmussen, assim, assumiu o cargo de Primeiro-ministro da Dinamarca.[11] Uma sondagem de opinião difundida no dia em que Lars Løkke Rasmussen tomou posse como Primeiro-ministro, revelou que os dinamarqueses acreditam que ele só bate Helle Thorning-Schmidt como a pessoa mais adequada para a interposição da Dinamarca através da crise financeira, e que Throning-Schmidt estava mais apto para reduzir o desemprego, reduzir as listas de espera nos hospitais, assegurar o bem-estar da sociedade do futuro, e para representar a Dinamarca internacionalmente.[12] A especulação é comum com a atual Ministra das Finanças Kristian Jensen, que assumirá o cargo de vice-presidente do Venstre e a actual Ministra do Emprego Claus Hjort Frederiksen será nomeada Ministra das Finanças.[13]

Referências

  1. Segundo as Estatísticas da Dinamarca, Rasmussen é o nono sobrenome mais comum na Dinamarca: http://www.dst.dk/Statistik/Navne/pop/2009.aspx
  2. "Regeringens populistiske narreværk", Politiken, 24-03-2009. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  3. "Amtsrådspolitikere vil undersøge Løkkes bilagsrod", Politiken, 23-05-2003. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  4. "Lars Løkke på flere hotelbesøg", Politiken, 22-05-2003. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  5. Løkke tog på betalt hotel efter koncert - Politiken.dk
  6. Ministerium fik hotelregning efter koncert - dr.dk/Nyheder/Politik
  7. TV 2 Nyhederne - Løkke på hotel efter rockkoncert
  8. "Nu er skattereformen på plads", Politiken, 01-03-2009. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  9. a b "Direktøren får 53.409 kr. - hjemmehjælper 2.779 kr.", Jyllands-Posten, 01-03-2009. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  10. "Fogh bliver ny Nato-chef", Politiken, 04-04-2009. Página visitada em 04-04-2009. (em em inamarquês)
  11. "Løkke tager over i morgen", Politiken, 04-04-2009. Página visitada em 04-04-2009. (em em dinamarquês)
  12. "Løkke slår kun Thorning på et punkt", Politiken, 05-04-2009. Página visitada em 05-04-2009. (em em dinamarquês)
  13. "Venstre lægger an til magtskifte", Politiken, 05-04-2009. Página visitada em 05-04-2009. (em em dinamarquês)


Precedido por
Anders Fogh Rasmussen
Primeiro-ministro da Dinamarca
2009 - 2011
Sucedido por
Helle Thorning-Schmidt