Lissanfíbio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaLissamphibia
Agalychnis callidryas

Agalychnis callidryas
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Subclasse: Lissamphibia
Ordens
Anura
Caudata
Gymnophiona
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Lissanfíbio

Lissamphibia é uma sub-classe de cordados que integra todos os anfíbios viventes. O grupo evoluiu entre o Triássico (pererecas, rãs e sapos) e Jurássico (gimnofionos, salamandras e tritões). Os anfíbios viventes pertencem a uma de três ordens - Anura (rãs, incluindo sapos), Caudata ou Urodela (salamandras, incluindo tritões) e Gymnophiona ou Apoda. Apesar da ancestria de cada um destes grupos ser controversa, todos partilham algumas características comuns, que indicam que eles evoluíram a partir de um ancestral comum e por isso formam um clado. A descoberta de uma forma do Permiano (Gerobatrachus hottoni) mostrou que rãs e salamandras tem um ancestral comum mais recentemente (±290 M.a.) do que anteriormente se achava baseado apenas no relógio molecular.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Enquanto que a monofilia dos Lissamphibia é aceite por muitos herpetólogos e paleontólogos, a origim e relação entre os vários grupos de Lissanfíbios quer entre eles quer com outros grupos de tetrápodes permanece controversa[carece de fontes?]. Nem todos os paleontólogos estão convencidos que os lissamphibia são de facto um grupo natural, pois as várias características também são partilhadas com alguns anfíbios do Paleozóico, e é possível que estas características tenham evoluído independentemente[carece de fontes?].

Actualmente há três hipoteses prevalecentes sobre a origem dos lissanfíbios: monofilia com os temnospondyli, monofilia com lepospondyli ou difilético (duas ancestrias separadas) com os apoda dentro dos lepospondyli e caudata e anura com os temnospondyli.

Características[editar | editar código-fonte]

As seguintes características são partilhadas por alguns, a maioria ou todos os Lissanphibia. Algumas destas aplicam-se a partes do corpo moles e por isso não estão presentes em fósseis. Aquelas que se referem ao esqueleto e são fossilizáveis também são conhecidas em vários tipos de anfíbios do Palaeozóico:

-pulmonar -cultênea -buco-faringeana -branquial

  • "Centra" cilíndrica (o corpo central das vértebras; também encontrado em vários grupos dos primeiros tetrápodes)
  • Dentes pedicilados (a coroa dos dentes estão separados da raiz por uma zona de tecido fibroso; também encontrado em alguns Dissorophoidea; os dentes de algumas salamandras fósseis não são pedicilados)
  • Dentes bicuspidos (duas cúspides por dente, também encontrado em Dissorophoidea juvenis)
  • Presença de papilla amphibiorum e papilla basilaris: áreas na parede do sáculo do ouvido interno sensíveis a frequências inferiores a 1000 Hz e superiores a 1000 Hz, respectivamente.
  • Opérculo (pequeno osso no crânio, ligado à cintura escapular pelo músculo opercular --> sons de baixa frequência do ar ou substrato; provavelmente envolvido na audição e equilibrio; ausente em Gymnophiona e algumas salamandras, fundido aos ossos do ouvido na maioria dos anuros)
  • Perda dos ossos do crânio posteriores )também em Microsauria e Dissorophoidea)
  • Pterigóide pequeno e muito separado (também em Temnospondyli e Nectridea)
  • Processo cultriforme largo do parasfenóide (também em alguns Microsauria (Rhynchonchos) e Lysorophia)
  • Condilo occipital duplo ou emparelhado
  • Sistema reprodutor são dióicos-desenvolvimento indireto (metamorfose)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]