Lothlórien

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Lothlórien
Terra Média
Outros nomes Lórien
Lórinand
Laurelindórenan
Golden Wood
A Terra Escondida
Dwimordene
Criador J. R. R. Tolkien
Senhor Amdír e Amroth (Segunda Era),
Celeborn e Galadriel (Terceira e Quarta Era)
Tipo Reino élfico
Possíveis localizações Leste de Moria entre as Montanhas Sombrias e o rio Anduin
Pessoas notáveis Elfos (Noldor e Teleri)

Nas obras fictícias de J. R. R. Tolkien, Lothlórien é um reino e floresta dos elfos restantes na Terra Média durante a Terceira Era.[1] O reino tem um papel importante em O Senhor dos Anéis[2] como o centro élfico de resistência contra Sauron e é um símbolo à estética élfica de preservação florestal que fornece um espaço 'fora do tempo' para os personagens que ambos vivem e visitam lá.[3] Com Lothlórien, Tolkien de outra forma reconcilia ideias conflitantes sobre o tempo distorcido dos Contos de Fadas de várias fontes tradicionais, como Tomás, o Rimador (séculos 13 e 14) e o conto folclórico dinamarquês Elverhøj (1828).[4]

O nome Lothlórien é uma abreviação do nome Laurelindórenan. Além de Lothlórien, no entanto, o reino pode ainda ser chamado apenas de Lórien, já que Lothlórien significa Lórien da Flor. No entanto, Lórien era na verdade o reino do Vala Irmo, que mora em Aman, as Terras Imortais. Lá seus jardins, chamados de Jardins de Lórien são considerados os mais belos locais do mundo, e Galadriel inspirou-se nesses jardins para criar seu próprio reino.

Nomes[editar | editar código-fonte]

Tolkien deu a mesma floresta muitos nomes diferentes:

Nome Significado Origem
Lindórinand Vale da Terra dos Cantores[5] Nome Nandorin mais antigo da área
Lórinand Vale do Ouro[5] Nome Nandorin após a introdução das árvores mellyrn
Laurelindórenan Vale do Canto de Ouro[5] Nome Sindarin após a introdução das árvores mellyrn
Lothlórien A Flor do Sonho[6] O nome Sindarin na Terceira Era
Lórien A Terra dos Sonhos[6] Forma abreviada de Lothlórien correspondente ao nome dos Jardins de Lórien em Aman

A forma Lórinand também foi proferida no Quenya como Laurenandë e em Sindarin como Glornan ou Nan Laur, todas com o mesmo significado. Outros nomes, dados mais tarde a terra incluem o póstumo rohirrim Dwimordene (de dwimor "fantasma", uma alusão à magia percebida dos Elfos), e o nome Westron Madeira de Ouro.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No início da Primeira Era alguns dos Eldar deixaram a Grande Marcha e se estabeleceram nas terras a leste das Montanhas Sombrias. Estes elfos ficaram conhecidos como os Nandor e mais tarde os Elfos Silvan. Em 1.200 da Segunda Era, Galadriel tinha feito contato com um reino Nandorin existente, Lindórinand, na área que mais tarde seria conhecida como Lothlórien,[5] e ali plantou as árvores douradas mallorn que Gil-galad tinha recebido como um presente de Tar-Aldarion.[7]

A cultura e os conhecimentos dos Elfos Silvan foi enriquecida consideravelmente com a chegada de Elfos Sindarin do oeste das montanhas e até mesmo a linguagem Sindarin foi gradualmente substituída pelo Sindarin. Entre estes que chegaram estava Amdír, que se tornou seu primeiro senhor, assim como Galadriel e Celeborn, que também cruzaram as montanhas e o Anduin para se juntar aos Nandor do sul após a destruição de Eregion durante a Guerra dos Elfos e Sauron. Em última análise, Amdír liderou um exército para fora da floresta como parte da Última Aliança Entre Elfos e Homens, assim como Oropher, outro senhor Sindarin, levou os Elfos Silvan do norte à mesma vitória sobre Sauron, por isso pode-se supor que tanto reinos da floresta do norte e do sul tinham sido fundadas até então.

Com o retorno gradual da influência maligna de Sauron, a leste da floresta de Anduin, os Elfos Silvan do norte liderados por Thranduil, filho de Oropher (e pai de Legolas), mudaram-se ainda mais ao norte para escapar dele, e os do sul voltaram ao oeste através de Anduin, embora sem o seu último senhor Sindarin Amroth, filho de Amdír, que partiu para Edhellond após sua amante Nimrodel fugiu para lá.

Após a saída de Galadriel para Valinor no início da Quarta Era,[8] os elfos de Lothlórien eram governados unicamente por Celeborn, que levou todo a Anduin para fundar um reino novo e maior, Lórien do Leste, centrado em Amon Lanc. Até o momento da morte da Rainha Arwen, Celeborn e a neta de Galadriel, a própria Lothlórien estava deserta.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Lothlórien esta localizada a leste de Moria entre as Montanhas Sombrias e do rio Anduin. À exceção de uma pequena faixa de terra florestada ao sul, o reino fica entre os rios Anduin e Silverlode, uma região chamada de Naith (S. ponta de lança)[9] pelos elfos ou Gore em língua Westron. A cidade de Caras Galadhon estava na parte mais estreita de Naith, onde os dois rios se reuniram, chamada de Egladil (possivelmente (S. 'egol'=elfo, 'till'=ponto))[10] ou Ângulo.[2] Caras Galadhon, chamada de Cidade das Árvores, é a capital do reino élfico de Lothlórien.[11] Foi construída dentro da floresta densa do reino, perto do ponto onde os rios Celebrant e Anduin se cruzam. Em suas árvores ficavam diversas chamas usadas como luzes que iluminavam a escadaria, devida a isto também era conhecida como "Cidade da Luz e Som".

Legado[editar | editar código-fonte]

Influência[editar | editar código-fonte]

Muitas pessoas têm chamado a sua propriedade ou comunidade "Lothlórien"; Exemplos notáveis incluem:

  • A comunidade cristã de base familiar no sul da Escócia, fundada por Rosemary Haughton;[12] [13]
  • Um retiro neopagão em Indiana;[14]
  • Uma casa de estudantes vegetarianos e cooperativa filiada à Berkeley Student Cooperative localizada em Berkeley, Califórnia;
  • Australian School for Rudolf Steiner Education, Lorien Novalis, em homenagem ao poeta Novalis, e a floresta de Lórien.
  • Uma escola alternativa em Palo Alto, Califórnia em 1970, alojada na Igreja Unitária Universalista de Palo Alto. Embora a escola não exista mais, seus graduados mantem uma página no Facebook.

Canções sobre o lugar criado por Tolkien incluem a música "Lothlórien" da cantora irlandesa Enya, de seu álbum Shepherd Moons (Enya também escreveu música ouvida no filme O Senhor dos Anéis de Peter Jackson). Também é o título de uma canção da versão musical "West End" de O Senhor dos Anéis. E a banda de stoner metal Orange Goblin tem uma música em homenagem ao reino em seu álbum de estreia Frequencies from Planet Ten, ainda que tenha uma ortografia diferente.

A cantora e compositora Tori Amos chamou sua filha Natashya Lórien Hawley, em homenagem a Lothlórien.[15] Bandas musicais nomeadas Lothlórien, incluem o grupo de Indie rock de Nashville Lórien, o grupo de Celtic-Folk neozelandês Lothlórien, e a banda brasileira de metal Lothlöryen.[16]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Representação de Lothlórien na série de filmes O Senhor dos Anéis.

Assim como inspirou lugares do mundo real, Lothlórien foi retratada em outros meios de comunicação.

Aparece na adaptação cinematográfica O Senhor dos Anéis de Peter Jackson, especialmente em The Fellowship of the Ring (2001).[17] No apêndice Lórien and the Halls of the Elven Smiths do jogo Middle-Earth Role Playing (Iron Crown Enterprises, 1986), a sociedade Lórien é dividida em várias alianças, ou "Glades", com cada uma tendo um ofício específico (como cozimento, tecelagem ou caça). A natureza oculta do lugar é concedida aos efeitos do anel Nenya, e Elessar, a pedra álfica — na qual foi dito que ambas retardam os efeitos do tempo. Sua posição geográfica particular, sendo protegida pelas Montanhas Sombrias de tempestades, e o efeito ambiental das árvores mallorn (que não perdem as folhas e por isso oferecem abrigo constante aos habitantes durante todo o ano) também são reivindicados a causar uma redução do efeito das estações de passagem.

Em The Lord of the Rings Online: Mines of Moria, Lorien foi uma região introduzida ao jogo em março de 2009, que permite aos jogadores visitarem Caras Galadhon e outros locais, e completar missões dos elfos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal Terra-média

Referências

  1. Plechowicz, Sue. Classworks Literacy: Year 4 Nelson Thomas, 2004, p. 142-146.
  2. a b Tolkien, J. R. R.. The Fellowship of the Ring (em en). Boston: Houghton Mifflin, 1987. Capítulo: Lothlórien, O Espelho de Galadriel. , ISBN 0-395-08254-4
  3. Flieger, Verlyn. A Question of Time (em en). Kent, Ohio: Kent State University Press, 2001. Capítulo: Over a Bridge of Time. , ISBN 0-87338-699-X
  4. Shippey, Tom: Tolkien: Author of the Century, Harper Collins, 2000, p. 89.
  5. a b c d Tolkien, J. R. R.. In: Tolkien, Christopher. Unfinished Tales (em en). Boston: Houghton Mifflin, 1980. Capítulo: História de Galadriel e Celeborn, nota 5. , ISBN 0-395-29917-9
  6. a b Hammond, Wayne G.; Scull, Christina. The Lord of the Rings: A Reader's Companion (em en). Londres: HarperCollins, 2005. ISBN 0-00-720907-X
  7. Tolkien, J. R. R.. In: Tolkien, Christopher. Unfinished Tales (em en). Boston: Houghton Mifflin, 1980. Capítulo: Uma descrição de Númenor. , ISBN 0-395-29917-9
  8. Hardy, Gene B. CliffsNotes on Tolkien's The Lord of the Rings & The Hobbit. Boston, MA: Houghton Mifflin Harcourt, 2007. p. 20.
  9. Tolkien, J. R. R.. In: Tolkien, Christopher. The Lost Road and Other Writings (em en). Boston: Houghton Mifflin, 1987. ISBN 0-395-45519-7
  10. Salo, David. A Gateway to Sindarin (em en). Salt Lake City: University of Utah Press, 2004. ISBN 0-87480-800-6
  11. Dickerson, Matthew. Ents, Elves, and Eriador: The Environmental Vision of J.R.R. Tolkien. Lexington, Kentucky: University Press of Kentucky, 2006. p. 107. ISBN 0813171598
  12. Ryan, Eilish. Rosemary Haughton: Witness to Hope. Rowman & Littlefield, 1997. p. 54. ISBN 1-55612-860-6
  13. Dammann, Guy (Julho de 2008). Algy Haughton (em inglês) The Guardian. Visitado em 31 de dezembro de 2014.
  14. Blain, Jenny et al. Researching Paganisms p. 98, 2004, Rowman Altamira, ISBN 0-7591-0523-5
  15. Entrevista da revista The Independent on Sunday. 16 de novembro de 2003.
  16. Emanuel, Seagal. Lothlöryen: turnê "In the Name of Tolkien - Folk Metal Tour 2009" (em português) Whiplash.Net. Visitado em 31 de dezembro de 2014.
  17. Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring film locations (em inglês) Movie locations. Visitado em 31 de dezembro de 2014.