Mácron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diacríticos

acento
  acento grave ( ` )
  acento agudo ( ´ )
  acento agudo duplo ( ˝  )
  acento grave duplo (  ̏  )
  acento circunflexo ( ^ )
  acento mácron ( ¯ )
  acento bráquia ( ˘ )
caron ( ˇ )
cedilha ( ¸ )
trema / diérese ( ¨ )
ponto
  ponto mediano ( · )
  anunaasika ( ˙ )
  anusvara (    ̣ )
  chandrabindu ( ँ   ঁ   ઁ   ଁ ఁ )
gancho / dấu hỏi (  ̉ )
corno / dấu móc (  ̛ )
gancho polaco / ogonek ( ˛ )
anel / kroužek ( °)
spiritus asper (   ῾   )
spiritus lenis (   ᾿   )

Sinais utilizados por vezes como diacríticos

apóstrofo ( )
barra vertical ( | )
dois pontos ( : )
vírgula ( , )
hífen ( - )
til ( ~ )
titlo(  ҃ )

editar

Um mácron ou macro (do grego μακρός, makros, "grande") é um sinal diacrítico ( ¯ ) colocado sobre uma vogal originalmente para indicar que esta vogal é longa. Seu oposto é uma braquia ( ˘ ), usado para indicar uma vogal curta. Estas distinções são geralmente fonêmicas.[1]

Caracteres pré-definidos
Maiúsculas Minúsculas
Carácter Código HTML Carácter Código HTML
Ā Ā ā ā
Ē Ē ē ē
Ī Ī ī ī
Ō Ō ō ō
Ū Ū ū ū
Ǖ Ǖ ǖ ǖ
Ȳ Ȳ ȳ ȳ

Usos[editar | editar código-fonte]

Nas transliterações modernas do inglês antigo, o mácron é usado dessa forma.

No letão, Ā, Ē, Ī e Ū são consideradas letras separadas e que são posicionadas no alfabeto imediatamente após A, E, I e U, respectivamente. Por exemplo, baznīca vem antes de bārda nos dicionários letões.

No pinyin, os mácrons são usados sobre a, e, i, o, u, ü (ā, ē, ī, ō, ū, ǖ) para indicar o primeiro tom do chinês mandarim. Nunca indica se é uma vogal longa.

No alfabeto fonético internacional, o mácron indica um tom de nível médio.

No havaiano, onde é conhecido como kahakō, o mácron é usado para indicar vogais longas, o que por sua vez é uma influência da colocação de acento tônico nas palavras.

Em maori o mácron indica uma vogal longa, que muda o significado e o lugar da sílaba tônica. Inscrições antigas em maori não distinguem vogais longas. Alguns estudiosos[2] têm defendido que vogais duplas podem ser escritas para indicar uma vogal longa (por exemplo, maaori). De qualquer forma, a Comissão da Língua Maori (Te Taura Whiri o te Reo Māori) defende que o mácron deve ser usado para indicar vogais longas. De fato, o uso do mácron está muito difundido na atual escrita maori, embora algumas pessoas recorram ao trema em seu lugar (Mäori no lugar de Māori), quando o mácron não está disponível. A palavra maori para mácron é pōtae, "chapéu".

O mácron é usado também em muitos dicionários e compêndios para indicar as vogais longas nas línguas que não utilizam esse diacrítico no uso cotidiano; por exemplo, é usado na transcrição Hepburn do japonês para indicar uma vogal longa, como em kōtsū (交通), "trânsito", "tráfego", em oposição a kotsu (骨), "osso". A transcrição local japonesa kana de 交通, no entanto, é こうつう, que, caractere por caractere, é transliterado como koutsuu. Embora não sendo padrão, este último sistema é o mais comumente visto na internet, não marcando o comprimento da vogal.

O mácron é freqüentemente usado nos dicionários modernos de latim para indicar uma vogal longa, juntamente com a braquia para indicar uma vogal curta.

Em alguns estilos manuscritos do alemão, o mácron é utilizado para distinguir o "u" do "n".

Nas revistas em quadrinhos francesas, que são escritas todas com letras maiúsculas, o mácron substitui o acento circunflexo.

No russo manuscrito, o mácron é muitas vezes usado sobre o "м" minúsculo para distingui-lo do "ш". A letra "m" minúscula russa manuscrita (que é a minúscula para "T", não para "M"), assim, parece-se com o "m" do português minúsculo com um mácron. Alguns também utilizam o mácron sob a letra "ш".

Em estilos de escrever à mão antigos, como o alemão kurrent, o mácron sobre um "m" ou "n" significava que a letra era dupla. Isto continuou nos impressos ingleses do século XVI. Sobre o "u" no fim de uma palavra, o mácron significava "um", uma forma de abreviação dos escribas medievais.

Referências

  1. A fonêmica, no estruturalismo dos Estados Unidos, significa o estudo do sistema de fonemas de uma língua.
  2. Prof. Bruce Biggs

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]