Magna moralia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

A Magna Moralia (em latim, A grande moral) é um tratato sobre ética tradicionalmente atribuído a Aristóteles, ainda que o consenso atual é de que represente uma síntese de seu pensamento sobre ética por um escritor simpatizante posterior. Vários eruditos discordarem neste ponto, tomando a Magna Moralia por uma trabalho autêntico de Aristóteles, notadamente Friedrich Schleiermacher, Hans von Arnin e J. L. Ackrill. Neste caso, é considerada uma obra menos madura que outras obras sobre ética de Aristóteles, isto é, a Ética a Nicômaco, Ética a Eudemo e Das virtudes e vícios. Há um debate sobre se ela seria mais próxima à Ética a Eudemo ou à Ética a Nicômaco.

A história do nome Magna Moralia não pode ser traçada antes do reinado de Marco Aurélio. O prof. Henry Jackson sugere que a obra adquiriu seu nome seu nome do fato de que os dois rolos em que é dividida teriam parecido maiores na estante em comparação aos oito da Ética a Eudemo, apesar de esta ser duas vezes maior1 .

O Comentário sobre Jó de São Gregório também é chamado às vezes de Magna Moralia.

Referências

  1. G. Cyril Armstrong, Introduction to the "Magna Moralia", in Aristotle, Metaphysics X-XIV, Oeconomica, and Magna Moralia, Loeb Classical Library (Cambridge, MA: Harvard University Press, 1947),427-8.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.