Das Cores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Das cores (em latim, De Coloribus; em grego clássico, Περι χρωματων) é um tratado geralmente atribuído a Aristóteles, mas às vezes a Teofrasto ou a Estratão de Lampsaco.[1] Apesar de muitas deficiências, a teoria aristotélica sobre as cores, sujeita a alguma variantes, foi a teoria preferida dos filósofos europeus pelos menos até meados do século XVII.[2]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O autor elucida que o desenvolvimento da cor em animais e plantas dependem até certo ponto de calor e ele parece sugerir que o calor e a umidade são os fatores controladores, o autor ainda distingue entre cores primárias e secundárias e levanta a questão se a cor preto seria mesmo uma cor.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Referências

  1. a b Aristoteles. Minor works. [S.l.]: Harvard University Press, 1955.
  2. Luís Miguel Bernardo. Histórias da Luz e das Cores, volume 1. [S.l.]: Universidade do Porto. p. 149. ISBN 978-972-8025-87-8