Maracanã (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Maracanã
"Maraca"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 28 de maio de 1827
Fundação 11 de novembro de 1885 (128 anos)
Gentílico maracanaense
CEP 68710-000
Prefeito(a) Raimunda da Costa Araujo (Dica) (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Maracanã
Localização de Maracanã no Pará
Maracanã está localizado em: Brasil
Maracanã
Localização de Maracanã no Brasil
00° 45' 54" S 47° 27' 00" O00° 45' 54" S 47° 27' 00" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Nordeste Paraense IBGE/2008 [1]
Microrregião Salgado IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes a oeste: Magalhães Barata e Marapanim; ao sul: Igarapé-Açu e a leste: Salinópolis
Distância até a capital 164 Km km
Características geográficas
Área 780,724 km² [2]
População 28 376 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 36,35 hab./km²
Altitude 45 m
Clima Quente e úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,57 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 85 376,475 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 916,96 IBGE/2008[5]
Página oficial

Maracanã é um município brasileiro do estado do Pará. Localiza-se a uma latitude 00º35'42" sul e a uma longitude 47º34'55" oeste, estando a uma altitude de 45 metros e possui uma área de 777,3,99 km². Sua população estimada em 2004 era de 28.628 habitantes.

De topônimo indígena, Maracanã é uma ave, espécie de arara comum na Amazônia e em todo o Brasil, também conhecida por Araguaiaí, Araguari e Aruaí. A ave ganhou esse nome devido fazer o ruído de chocalho, daí o nome maracá (chocalho) e nã (falso).

História[editar | editar código-fonte]

Os espanhóis chegaram ao município em 1622, estiveram na Ilha do Marco, deixaram um monumento demarcatório, sinalizando 50 léguas da Costa Ocidental do rio Turiaçu em Maranhão, limite de uma pretensa capitania Hereditária. Daí surgiu o nome da ilha em decorrência do "marco" ou monumento de pedra.

Em 1613 e 1614, os franceses estavam estabelecidos na aldeia Maracanãs, onde construíram grandes embarcações para expandir seus domínios. naquela época o único meio de transporte ao município, era o fluvial.

A mando do Reino, o Padre António Vieira (orador sacro, missionário jesuíta e português) saiu de Lisboa comandando a 8ª expedição, a bordo da caravela Nossa Senhora das Candeias, em 22 de novembro de 1652. chegando a Belém em 24 de novembro de 1653, apresentou ao Governo Provincial a carta Régia que lhe dava a faculdade de evangelizar, educar, fundar igrejas, missões pelo sertão, levar índios consigo, etc.

Em Maracanã, Padre Antonio Vieira Fundou a primeira igreja de taipa e pilão e batizou o primeiro índio-chefe Copaúba, o qual recebeu o nome de Lopo de Souza. E organizou a aldeia.

Devido ao seu rápido progresso, em 1700, ganhou os foros de freguesia. Meio século depois, com a expulsão dos jesuítas, em cumprimento da Lei Pombalina de 6 de junho de 1755, o atual governador do Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado (irmão do marquês de Pombal), mudava-lhe o nome para Cintra, dentro de sua política de substituir os nomes indígenas por topônimos portugueses. Na mesma ocasião, elevou-se à categoria de vila. Porém, só foi instalada em 1757, com o nome de Vila de São Miguel de Cintra, em virtude do achado da imagem de São Miguel.

Em 11 de novembro de 1885, a lei provincial nº 1.209 elevou Cintra à categoria de [[cidade], que 10 anos antes já era Comarca (Lei nº 845, de 23 de abril de 1875).

Na época em que Paes de Carvalho governava o Estado, o Cônego Ulisses de Pennafort, deu início a uma campanha destinada a fazer com que o nome do município fosse mudado para a denominação primitiva/original , ou seja, Maracanã. Em 28 de maio de 1827, a lei nº 518 sancionada pelo governador, devolvia a Cintra seu antigo topônimo.

Acontecimento na história do município que merece destaque foi a Cabanagem, revolução popular que teve início em Belém, capital do Estado, a 7 de janeiro de 1835, logo após a proclamação da Independência do Brasil. No município de Maracanã, esse movimento nacionalista e o amadurecimento político reagindo ao sistema, já era sentido em 1824. O Padre André Fernandes de Souza, com o objetivo de pacificar os revoltosos foi mandado para o município de Maracanã.

O Movimento começou de Colares a Bragança. Em Maracanã, cerca de 200 homens armados se juntaram, reagindo contra o sistema vigente na época. Em março de 1835, ancorou o veleiro inglês "Clio", em frente a Salinas, carregando armas e munições dos portugueses. à espera de um "prático", como não apareceu nenhum "prático", para orientá-los, a tripulação tentou chegar à praia, quando foi trucidada pelos Cabanos de Maracanã e Salinas, a navegação foi incendiada e a carga foi sequestrada. No dia 4 de junho de 1836, os acusados foram presos, posteriormente mortos.

No município de Vigia, ocorreram as mais sangrentas lutas do movimento de toda a região do Salgado. Foram em direção a Vigia 200 Cabanos de Maracanã, 200 de Curuçá e inúmeros outros Cabanos vindos de Salinas que ficaram concentrados na cabeceira do rio Mahu. Na sede do município segundo relatos ficaram 30 cabanos armados que lixaram um portador de ofício do major Sérgio (Vigia).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Seu clima predominante é quente e úmido, tropical. Possui temperatura média de 26°C, com máxima de 34°C e mínima em torno de 19°C.

As precipitações estão em torno de 2.000 mm/ano, com maior índice de chuva nos primeiros meses do ano. A disponibilidade hídrica, também se revela maior de fevereiro a abril, e a menor em setembro e outubro.

Solo[editar | editar código-fonte]

O solo predominante é o Latossolo Amarelo distrófico (Oxissol), apresentando limitações químicas devido os baixos de matéria orgânica, fósforo (P), cálcio (Ca), magnésio (Mg), potássio (K), elevados teores de alumínio. Quanto as características físicas, apresentam classe textural arenoso a textura média, profundos a muito profundos. Há a ocorrência de Gleissolos sálicos e Gleissolos Tiomórficos com forte influência do mar (oceano atlântico) e rio Maracanã, a maioria dessas áreas são formadas por extensos manguezais.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Maracanã apresenta uma rede hidrográfica acentuada com participação fundamental do Rio Maracanã, que nasce no município de Santa Maria do Pará, passa pelo município de Nova Timboteua, fazendo limite à leste com Santarém Novo. A profundidade do rio varia de 15 a 20 metros, sendo principal afluente esquerdo, o rio Caripi.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Sua vegetação é composta basicamente por terra firme, principalmente por capoeira terciária, em decorrência dos frequentes desmatamentos na faixa litorânea.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo do município é de planalto rebaixado do Amazonas (Zona bragantina). São característicos tabuleiros ou baixos platôs e áreas de várzeas.

Topografia[editar | editar código-fonte]

Sua topografia é caracterizada por relevo de planície plana e ondulada.

Outras Informações[editar | editar código-fonte]

Organizações Existentes[editar | editar código-fonte]

  • Colônia de Pescadores Z-7 de Maracanã (fundada em 1917);
  • Sindicato dos Trabalhadores Rurais STR (fundada em 1971);
  • Liga Desportiva de Maracanã - LIDEM (fundada em 1965);
  • Botafogo Futebol Clube (Fundado em 1930);
  • Associação Comunitária e Recreativa Movicom (fundada em 1991);
  • Grêmio Cultural e Recreativo Ypiranga (fundado em 1931);
  • Clube de Mães;
  • Clube de pais;
  • Clube de Casais e de Jovens da Paróquia de Maracanã;
  • Alcoólicos Anônimos.

Distritos Municipais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 21 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.