Massacre de Jallianwala Bagh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Massacre de Jallianwala Bagh, também conhecido como o Massacre de Amritsar, foi um assassínio em massa ocorrida na cidade de Amritsar, no norte da Índia, em 13 de abril de 1919. Foi perpetrado por tropas do Raj Britânico contra manifestantes que reivindicavam a independência da Índia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O evento foi motivado pela ampliação dos poderes de emergência ao governador britânico na Índia, Udham Singh, durante a Primeira Guerra Mundial, com o intuito de combater a subversão. O ativista e político indiano Mahatma Gandhi convocou todos os hindus para se oporem a esta ação. Quando os líderes locais se aliaram no Congresso Nacional Indiano, foram presos, o que fez com que os seguidores se reunissem para protestar.

Sob o comando do general Reginald E. H Dyer, tropas britânicas foram enviadas para restaurar a ordem e foram à praça chamada Jallianwalla Bagh, onde entraram em confronto com cerca de 20 mil manifestantes desarmados. Depois que os soldados se posicionaram na única saída da praça, Dyer ordenou que eles disparassem sem avisar a multidão (que incluía mulheres e crianças). Cerca de 1.600 balas foram disparadas durante 10 a 15 minutos.

Estimou-se entre 380 a 1.000 os mortos no massacre, e 1.200 feridos aproximadamente.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]