Max Steel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Televisão.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde abril de 2010.

Max Steel
Logotipo da atual série de animação de Max Steel
Criador Mattel
Trabalho original Figuras de ação "Big Jim" e "Kid Acero"
Filmes e televisão
Filmes ver lista
Programas televisivos Série de 2000
Turbo Missions
Série de 2013
Lazer
Brinquedos Uma vasta quantidade de brinquedos licenciados
Jogos Max Steel: Covert Missions
Outros
Site oficial http://www.maxsteel.com

Max Steel é uma franquia de bonecos de ação criada e produzida pela empresa de brinquedos Mattel em 1999. É em maior parte composta em brinquedos tendo como foco principal o protagonista Max Steel, um agente especial da fictícia organização N-Tek cuja missão é a de deter os mais variados vilões com suas armas e equipamentos.

Cada produto sempre é composto do protagonista (Max Steel), de um vilão e pequenas armas que podem ser encaixadas no protagonista. Além disso a franquia também conta com uma série de animação homônima, uma série de filmes anuais, além de vários produtos como mochilas, cadernos, entre outras coisas.

Embora seja pouco conhecido nos Estados Unidos, Max Steel é bastante famoso em diversos países do mundo como o Brasil, Itália e México. Recentemente foi lançada uma nova série de animação da franquia.

Origens[editar | editar código-fonte]

Originalmente bem antes da criação de Max Steel ouve uma linha de brinquedos chamada Big Jim, que também foi produzida pela Mattel durante as décadas de 70 e 80 nos Estados Unidos.[1] A série também era composta por bonecos de ação, com estruturas bem semelhantes as de Max Steel, apresentando vários heróis em ambientes diferentes. Entretanto na América Latina a série foi relançada com o nome Kid Acero (acero, em inglês se traduz como steel, que significa aço) passando a ter um protagonista definido, um agente especial que viaja o mundo fazendo missões especiais, servindo como um protótipo para a série Max Steel.[2]

Somente no final da década de 90 a Mattel decidiu investir numa nova série tendo em base as franquias anteriores, daí surgiu Max Steel em 1999. A princípio o personagem era retratado como um simples agente especial que lutava contra espiões e agências criminosas por meio de seus equipamentos especiais.[3] O projeto deu um bom resultado com isso a Mattel quis expandi-lo cada vez mais, com um desenho animado, uma histórias em quadrinhos, além de uma série de filmes ao longo dos anos.

Personagens[editar | editar código-fonte]

A franquia Max Steel tem uma vasta quantidade de personagens, heróis e vilões. Em todas as versões Max é um agente da organização N-Tek que luta contra o mal.

Heróis[editar | editar código-fonte]

  • Max Steel, o protagonista título da franquia e agente da N-Tek. Originalmente ele era um jovem chamado Josh McGrath que perdeu os pais e foi adotado por Jefferson. Fascinado por ação e adrenalina ele se tornou agente após ser infectado por um experimento de nanomáquinas que se adaptaram e seu corpo lhe dando habilidades sobre-humanas. A partir dos filmes Max passou a parecer mais um super-herói, com seus poderes sendo ampliados com suas habilidades "Modo Turbo" e passou a enfrentar poderosos vilões mutantes. Na versão reboot de 2013 ele passa a ser encarnado como um adolescente chamado Max McGrath e é um super-herói por completo passando a se fundir com o robô Ultralink Steel ganhando uma série de transformações de ataques e defesas cada uma nomeada por "Modos Turbo".[4]
  • Berto Martinez, o principal auxiliar de Max Steel em suas missões que também trabalha na N-Tek. Originalmente nas séries mais antigas ele servia como um ajudante de Max nas suas missões o coordenando e descifrando códigos a longa distancia. Com o passar do tempo passou também a ser um cientista. Na versão de 2013 ele é um cientista da N-Tek que controla o robô Cytro em algumas missões ajudando Max. Sua aparência muda bastante, ficando mais jovem e sem os óculos.[5]
  • Kat Ryan, outra auxiliar de Max Steel em suas missões, também uma agente da N-Tek. Nas primeiras versões chegava a acompanhar Max em algumas missões assim como Berto. Na versão de 2013 ela continua sendo uma agente, porém com uma aparência mais madura comparado a Max e Berto.[6]
  • Comandante Ferrus, é o chefe de Max Steel e comandante da N-Tek. Nas primeiras versões conduzia Max em suas missões, mas não tinha muita importância. Na versão de 2013 ele se torna tio de Max e passa a ter mais destaque ao tentar esconder respostas sobre seu passado.
  • Jefferson Smith, um velho amigo do pai de Max que trabalha na N-Tek. Originalmente foi o pai adotivo de Max após a morte de seus pais e também era o chefe da N-Tek. Na primeira versão ele foi mostrado como um homem sério, responsável e severo quanto ao Max em suas missões de quem ele se preocupa bastante. Na versão reboot de 2013 ele é encarnado como um simples agente da N-Tek e parceiro de Max perdendo sua relação com a família dele, passando a ser mais descontraído e com um físico forte.[7]
  • Cytro, um robô agente da N-Tek. Originalmente apareceu no filme Bio Crisis como uma arma predestinada a destruir Max sendo uma bomba prestes a explodir, porém ele acabou se aliando a Max chegando a se sacrificar por ele e depois sendo restaurado por Berto para ser um agente. Desde então passando a ser visto como um ajudante de Max em suas missões, inclusive sendo incluído na linha de brinquedos. Na versão de 2013 ele aparece como um simples robô de batalha controlado por Berto nas missões, não tendo personalidade e mentalidade como na versão anterior.[8]

Vilões[editar | editar código-fonte]

  • Psycho, foi o primeiro vilão da franquia até 2004. Ele é um humano meio androide que tentava de alguma forma destruir a N-Tek e o Max Steel com sua frota de clones androides feitos por seu chefe Dread. Ele morreu no filme Perigo de Extinção desde então não voltando mais a aparecer na franquia. Ele foi o único vilão que não ganhou uma contraparte na versão de 2013.
  • Dread, outro dos vilões originais de Max chefe de Psycho e dono de uma uma organização criminosa D.R.E.A.D. que frequentemente rivaliza com a N-Tek. Na série de 2013 ele retorna com uma mudança drástica na sua aparência desta vez se chamando Dredd e passando a ser um humano fundido com Ultralink servo de Makino e mestre dos Elementors sendo o primeiro grande inimigo de Max no início dessa fase.[9]
  • Elementor, o segundo vilão introduzido no filme O Domínio dos Elementos de 2005. Na primeira versão ele era uma criatura mutante capaz de mudar de forma, podendo dominar os elementos da natureza como um dos inimigos mais poderosos da N-Tek, embora ele só possua a ambição de querer destruir Max Steel, a quem ele chama apenas pelo sobrenome. Na versão de 2013 passa a ser um Ultra-Link dividido em vários personagens, cada um com um elemento correspondente dos filmes anteriores. É revelado também que eles possuem a capacidade de se fundirem num só.[10]
  • Extroyer, o terceiro vilão introduzido no filme O Inimigo das Trevas de 2007. Na primeira versão ele era um rival de juventude do Max chamado Troy Winter que num acidente foi transformado num mutante de cristal Extroyer capaz de absorver a energia dos animais e se transformar neles. Na versão de 2013 ele era um criminoso que após falhar em uma missão com Miles Dredd foi fundido a um Ultra-Link tornando-se em Extroyer.[11]
  • Toxzon, o quarto vilão da franquia introduzido no filme A Ameaça Mutante de 2009. Na primeira primeira versão ele era um agente da N-Tek que após ser infectado por toxinas ganhou poderes tóxicos de criar monstros mutantes com a ambição de poluir o mundo com suas toxinas, considerado por Ferrus como um dos vilões mais perigosos já enfrentados. Ele inclusive chega a formar aliança com os outros vilões no decorrer da história. Na versão de 2013 ele é encarnado como um vilão cômico e estúpido que após ser infectado por um experimento da N-Tek tenta destruir a organização. Ele possui uma imaginação bastante fértil inclusive tendo um peixe plástico como amigo imaginário que o auxilia nos planos.[12]
  • Makino, o quinto vilão da franquia introduzido no filme A Vingança de Makino de 2011. Na verdade ele apareceu pela primeira vez no final do filme A Legião Tóxica como um jornalista cheio de adrenalina muito parecido com o Max que após ser infectado junto a uma arma da N-Tek vira um androide mutante procurando destruir a organização. Na versão de 2013 ele é encarnado como um dos vilões mais poderosos, sendo líder de todos os Ultra-Links e de seu planeta de origem.

Filmes[editar | editar código-fonte]

De 2004 até 2012 foi lançada uma série de filmes baseados no personagem que descreveu suas aventuras na primeira geração da franquia Max Steel tendo início após o término do desenho animado. Todos foram produzidos pela Mattel em parceria da empresa Rainmaker Entertainment, responsável também pelos filmes anuais da Barbie, que também é baseada na propriedade da Mattel. A partir de 2013 eles deixaram de ser produzidos para dar início a nova série de animação do personagem, porém um filme em live-action baseado nessa versão foi anunciado. Para o papel dos personagens foram escalados vários atores como Andy Garcia, Ben Winchell e Ana Villafañe.[13] [14]

Filmes da primeira fase

Séries de TV[editar | editar código-fonte]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 1999 a Mattel fez um lançamento mundial da linha Max Steel em vários países, entre eles o Brasil. Na época os brasileiros já conheciam o boneco Falcon que era produzido pela Estrela e havia sido sucesso nos anos 80.[15] No ele acabou por se tornar uma mania entre o público infanto-juvenil graças ao seu desenho animado que veio entre 2000 e 2001 pela Cartoon Network e o SBT pelo Sábado Animado.[16] Com isso os canais se interessaram mais pelo personagem e com o término do desenho animado anos depois adquiriram seu primeiro filme Perigo de Extinção que diante bom resultado passaram a exibir com frequência seus demais filmes lançados ano após ano, porém foi no SBT que ele ganhou mais destaque em exibição. O desenho clássico também marcou uma pequena geração de fãs sendo mais tarde reprisado em outros canais como Globo e Band, mas sem atingir o mesmo sucesso apresentado no SBT.[17] Em 2013 com o lançamento da nova versão do boneco ela rapidamente teve a sua estreia no Brasil junto com seu desenho animado também pela Cartoon Network e mais tarde pelo SBT.[18] [19]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre animação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.