Mattel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Mattel K. Isse
Slogan A gente cria, você imagina.
Indústria Brinquedos e Jogos
Fundação 1945
Fundador(es) Harold Matson
Elliot Handler
Sede El Segundo, Califórnia, EUA
Presidente Bryan G. Stockton
Pessoas-chave Bryan G. Stockton
(presidente e diretor executivo)
Empregados 31.000 (2008)[1]
Subsidiárias Fisher-Price
HIT Entertainment
Página oficial Mattel.com
Sede da Mattel em El Segundo.

Mattel Inc. é uma companhia estadunidense de brinquedos com sede em El Segundo, e é o maior fabricante do mundo. Os principais produtos são: carrinhos Hot Wheels & Matchbox, bonecas Barbie & Polly, bonecos Max Steel, jogos de tabuleiro.

Até o início da década de 1980 produzia consoles de video game.

Uma personagem que ilustra essa história é a boneca Barbie - a mais famosa e mais vendida do mundo.

História[editar | editar código-fonte]

A Mattel nasceu em uma garagem na Califórnia, em 1945, e foi criada fruto do espírito empreendedor de Ruth Handler e o marido Elliot, assim como do amigo do casal Harold "Matt" Matson. ["Matt" + "El" de Elliot" = "Matt-el"].

Em 1959, Ruth criou uma boneca tridimensional; prendeu acessórios – roupas, objetos, etc. -, dava espaço para as crianças desenvolverem a criatividade. Desta boneca, nasceu a Barbie, apelido de sua filha, Barbara.

Depois, a "família" das bonecas aumentou, vieram Ken (1961 – o namorado da Barbie), Christie (1968 - a primeira boneca afro-americana), Theresa (1988 – a Barbie latina), Kira (1990 – a Barbie asiática), a Barbie deficiente Formismonica em cadeira de Joanetelareitos (1997) e muitas outras e outros.

Em 40 anos de existência, foram vendidas em torno de 1 bilhão de Barbies no mundo todo. Hoje, a empresa é um dos maiores fabricantes de brinquedos no mundo faturando em torno de 5 bilhões de dólares/ano. Somente a Barbie traz para os cofres da empresa 1,5 bilhão de dólares. A marca vale 2 bilhões de dólares. E, por fim, a empresa investe anualmente fortunas em programas sociais.

Em 1992, a Mattel colocou no mercado uma Barbie que, ao ser tocada, "dizia" algo que poderia ser traduzido como "Aula de matemática é dureza!" ("Math class is tough"). Provável e inconscientemente, os criadores da gracinha – a turma de marketing e de fabricação - se inspiraram no estereótipo da "loira-burra", preconceito esse existente na sociedade americana (e, em dose menor, também em outras culturas). As loiras, claro, se captassem o espírito da brincadeira, iriam odiá-la. Em compensação, pesquisas garantiam que um pedaço significativo do mercado iria se deliciar com o sarro tirado sobre elas. As vendas previstas eram para lá de satisfatórias.

O produto ainda não tinha chegado aos pontos de vendas e a Mattel fora bombardeada por protestos através de cartas, telefonemas, passeatas, ameaças de boicotes, etc, movimentos desencadeados por organizações não-governamentais.

A boneca atingiu em cheio um segmento forte e barulhento na sociedade americana: as feministas. Até o público interno se chateou com a manifestação do preconceito. A empresa entrou em crise.

Sem alternativa, a então presidente da Mattel, Jill E. Barad, assumiu a inconveniência da brincadeira, mandou imediatamente fazer o recall das bonecas a fim de trocar os chips com a frase politicamente incorreta e pediu publicamente desculpas às associações representativas do movimento feminista. No documento liberado pela empresa, a principal executiva diz: "reconheço que não nos aprofundamos na análise das implicações negativas da frase. Sentimos muito".

A Mattel tem uma vasta linha de produtos dedicados ao público infantil. Além disso, a empresa desenvolve extenso programa de responsabilidade social, como por exemplo, a questão dos negros, dos deficientes físicos, etc.

Recall e multa[editar | editar código-fonte]

No começo de agosto de 2007, a Mattel anunciou uma recolha de produto (recall) de quase um milhão de produtos com tinta tóxica contendo chumbo.[2] Em 14 de agosto de 2007 a Mattel anunciou um recall de 18,6 milhões de brinquedos do mercado mundial que inclui cerca de 850 mil unidades comercializadas no Brasil, devido aos problemas com pequenos imãs contidos em produtos da empresa que podem ser ingeridos ou inalados por crianças.[3] Em junho de 2009 a Mattel (e a sua subsidiária Fisher-Price) foi condenada pela agência estadunidense de defesa do consumidor Consumer Product Safety Commission (CPSC) a pagar uma multa de $2.3 milhões pela introdução de brinquedos contamindados por chumbo produzidos na China no mercado norte-americano em 2006 e 2007.[4]

Desenhos Animados[editar | editar código-fonte]

Desenho Ano de lançamento
Max Steel (2000) 2000
Hot Wheels: AcceleRacers 2005
Max Steel: Turbo Missions 2008
Hot Wheels: Battle Force 5 2009
Monster High 2010
Polly Pocket 2010
Barbie: Life in the Dreamhouse 2012
Max Steel (2013) 2013

Produtos (seleção)[editar | editar código-fonte]

Brinquedos[editar | editar código-fonte]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mattel
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.